Tecnologia

5 tecnologias de Star Wars que são realidade

5 tecnologias de Star Wars que são realidade
Foto: Divulgação

Antes que você fique animado além da conta: não, ainda não existem sabres de luz. Ou naves espaciais que voam no hiperespaço. Ou pods de corrida incríveis. Mas isso não quer dizer que tudo existente na galáxia muito, muito distante de Star Wars seja pura ficção científica: atualmente, 5 tecnologias da saga de George Lucas já são realidade – ainda que um pouco diferentes das suas versões cinematográficas.

Diferente dos ensinamentos de mestre Yoda, na realidade existe sim muita tentativa antes de se conseguir reproduzir os aparatos usados por Rebeldes e Império. Confira abaixo aqueles itens que já são parte da nossa galáxia aqui do presente.

Hologramas

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Embora ainda não possamos enviar mensagens secretas em pequenos robôs mecânicos, atualmente a tecnologia de projeção de hologramas já é considerada bastante avançada. Ele vem sendo aprimorada e qualificada há alguns anos, e hoje até concertos musicais com artistas já falecidos acontecem graças ao holograma.

Definição de imagem e liberdade de movimentos são algumas das características mais impressionantes dos hologramas atuais. O lado ruim é não poder conversar “ao vivo” via holograma – por enquanto, nos resta mesmo os apps de mensagem.

Speeder Bikes

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Em O Retorno de Jedi, os Stormtroopers usam espécies de motocicletas flutuantes que se locomovem a velocidades incríveis para perseguir os rebeldes – e assim despertaram em todo mundo que já assistiu ao filme o desejo de ter uma dessas. A boa notícia é que hoje essas motos voadoras já são quase realidade: é o projeto Tandem Duct Aerial, criado pela empresa Aerofex.

O projeto se trata de um veículo que flutua a alguns metros do solo graças à duas hélices e um sistema de tubos e ar. A parte ruim é que o Tandem Duct Aerial ainda não se move na velocidade impressionante das Speeder Bikes e o seu preço é lá nas estrelas: entre US$ 50 mil e US$ 100 mil.

Canhões laser

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Os raios laser da Estrela da Morte são tão impressionantes quanto assustadores. E hoje existe uma tecnologia bastante parecida, usada pelas forças armadas americanas – mas calma que o projeto ainda está em desenvolvimento.

Laser Gif

Foto: Diulgação

Os canhões laser da marinha americana ficam dentro de navios e são usados para abater apenas drones e pequenas embarcações, uma medida adotada por ser mais barata do que fabricar mísseis. Os raios laser da realidade também possuem outra diferença sobre os de Star Wars: nada de luzes brilhantes ou aqueles barulhos de “pew pew”.

Implantes biônicos

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Próteses biônicas são algo bastante comum no universo de Star Wars: o vilão Darth Vader possui um corpo mais robótico do que humano, e até seu filho Luke (spoilers!) acaba se ferindo em uma luta contra o próprio Vader e passa a usar uma mão biônica.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Apesar de atualmente ainda não existirem próteses com reflexos tão precisos quanto os de uma mão humana, essa tecnologia já alcançou grandes níveis de praticidade e uso, melhorando muito a vida de quem precisa delas. O próximo passo é aperfeiçoar as já existentes próteses que se conectam a nervos – e que permitiriam precisão suficiente até para controlar um sabre de luz.

Droides pessoais

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

R2-D2, C-3PO e até o novo BB-8 são robôzinhos muito úteis e também cheios de personalidade, exemplos de algo bem comum nas histórias de Star Wars: droides e drones pessoais que desempenham várias funções na sociedade. E aqui na nossa sociedade, embora não existam ainda robôs tão carismáticos e úteis quando o faz-tudo R2-D2, também há projetos muito interessantes de robôs pessoais.

Desde os mais simples, como o Roomba, da empresa iRobot, que foi construído para limpar o chão de forma prática e eficiente, até o humanoide Pepper, idealizado pela SoftBank com o objetivo de auxiliar em tarefas domésticas e interagir e fazer companhia às pessoas, os robôs pessoais já são uma realidade (bem cara, é verdade). E se no futuro as máquinas se revoltarem e tentarem dominar o mundo? Bom, aí já é assunto para outra ficção científica…

Leia Também: