Desde pequeno eu sempre quis votar, não porque eu entendia algo sobre política, mas sim por usar a urna eletrônica que fazia uma barulhinho muito legal para os meu ouvidos, óbvio que atualmente as coisas são diferentes. Hoje, com 17 anos, eu posso finalmente votar e admito que estou muito ansioso para esse dia chegar logo (TÁ CHEGANDO, BRASIL!).

Como sou novato nesse negócio de eleitor, esse ano eu dediquei boa parte do meu tempo para estudar um pouquinho sobre a atual situação do Brasil e também um pouco dos políticos que estão se candidatando esse ano. Nessa pesquisa eu acabei descobrindo o porquê de uma votação poder ir para o segundo turno e como muitas pessoas ainda não sabem e as eleições estão cada vez mais perto, hoje decidi esclarecer esta dúvida.




Segundo informações, o segundo turno só poderá ocorrer para eleição de um presidente e vice-presidente da República, governadores e vice-governadores dos estados e do Distrito Federal e para prefeitos e vice-prefeitos de cidades que possuem mais de 200 mil eleitores. Com isso podemos afirmar que senadores, deputados (Federais e estaduais) e vereadores são eleitos em um único turno. Vale lembrar que o candidato a prefeito de uma cidade com menos de 200 mil eleitores também é eleito ainda no 1º turno.

Mas como é definido quando a votação vai ou não para segundo turno? Bom, para ser eleito não adianta apenas ter mais votos que o seu concorrente, um candidato a presidência da república, por exemplo, precisa ter mais da metade dos votos válidos (com exceção dos votos em branco e os votos nulos) para ser eleito, em primeiro ou em segundo turno. Se ele conseguir a maioria dos votos válidos ainda no primeiro turno, ele assume o cargo. Caso ninguém consiga essa quantidade de votos, os dois candidatos mais votados no primeiro turno se enfrentam no segundo turno, onde qual conseguir mais votos válidos vence.




Mas e aí, o que achou do post? Comente logo abaixo e não se esqueça de ir votar no dia 07/10. O Brasil espera por você!