Curiosidades

Seria possível detectar um vírus zumbi antes do início de uma epidemia?

Seria possível detectar um vírus zumbi antes do início de uma epidemia?

Não há como negar: os vírus são assustadores. Eles podem até ser invisíveis a olho nu, mas são incrivelmente difíceis de se eliminar, pois contam com uma capacidade incrível de se espalhar rapidamente. É por isso que é muito importante detectar esse causador de doenças antes que ele tenha a chance de infectar uma quantidade enorme de pessoas. Esse é um tema tão interessante que a falha em identificar e conter um vírus mortal cedo o suficiente para prevenir um surto é muitas vezes retratadas em séries que giram em torno da temática dos zumbis. Mas uma situação incontrolável desse tipo seria possível no mundo real?

Primeiramente é necessário dizer que felizmente os cientistas já desenvolveram várias técnicas para detectar rapidamente esses agentes infecciosos. Uma das maneiras mais eficazes de detectá-lo é identificar o seu ácido desoxirribonucleico (DNA) ou ácido ribonucleico (RNA). Os ácidos nucleicos são os materiais moleculares que “informam” ao vírus como ele deve se desenvolver. Existem centenas de vírus conhecidos que os cientistas podem identificar em um curto espaço de tempo, geralmente ao reconhecer sua sequência única de ácidos nucleicos. O problema é que alguns são bem mais fáceis de encontrar do que outros.

A maioria dos vírus gosta de se desenvolver no sangue, mas nem sempre são fáceis de localizar, pois muitas vezes não há uma concentração suficientemente alta do vírus no sangue, o que pode dificultar a identificação desses agentes infecciosos. A boa notícia é que os cientistas desenvolveram uma tecnologia para detectá-los com rapidez e precisão. Hoje, já é tecnicamente possível obter resultados de exames de sangue em menos de 30 minutos. A razão pela qual o resultado demora pra sair quando as pessoas fazem exames desse tipo tem mais a ver com questões de logística e custo, o que impede que essa tecnologia mais promissora se torne difundida e comercialmente viável.

Ou seja, provavelmente os cientistas poderiam detectar um vírus zumbi antes que uma epidemia ocorresse, desde que o surto de zumbis não fosse causado por um vírus que não usa DNA ou RNA. Nessa situação, levaria dias para descobrir qual seria o novo vírus e de onde ele veio, o que poderia ser tempo demais para evitar uma situação catastrófica. Desse modo, esperamos que os zumbis continuem apenas no mundo dos filmes e das séries de TV.

Interessante, não é mesmo? Deixe o seu comentário!

Leia Também: