Curiosidades

Por que as tartarugas gigantes vivem tanto tempo?

Por que as tartarugas gigantes vivem tanto tempo?

Todo mundo já sabe que as tartarugas conseguem viver por muito tempo, mas as chamadas “tartarugas gigantes” conseguem levar isso a um nível ainda mais surpreendente. A tartaruga gigante mais velha conhecida pela ciência (e consequentemente o animal mais velho do mundo) é Jonathan, que tem 186 anos e vive na Ilha de Santa Helena. No entanto, existem dados extraoficiais que já apontaram a existência de tartarugas gigantes ainda mais velhas, incluindo uma que acredita-se ter morrido em 2006 aos 255 anos! Mas afinal, como esses animais conseguem viver por tanto tempo?

Os cientistas acreditam que toda essa longevidade tem a ver com o seu estilo de vida “em câmera lenta”. As tartarugas gigantes têm um metabolismo muito lento, o que significa que elas queimam energia a uma taxa bem mais prolongada do que animais menores e mais rápidos. Em 1908, o fisiologista Max Rubner apresentou a sua “teoria da taxa de vida”, que sugeriu uma correlação inversa entre o metabolismo e a expectativa de vida (quanto mais rápido o metabolismo, menor o tempo de vida). Outros cientistas tiveram algumas dúvidas sobre essa teoria ao longo do último século, o que acabou deixando-a de lado. No entanto, nos últimos anos essa teoria tem servido como base para pesquisas ampliadas sobre o tema, resultando em descobertas interessantes.

A ligação entre o metabolismo e a longevidade ainda não é totalmente compreendida, mas alguns cientistas acreditam que o metabolismo está ligado à criação de radicais livres, que são moléculas instáveis ​​que danificam as células e que se proliferam à medida que mais energia é queimada pelo corpo. De acordo com essa teoria, as tartarugas gigantes vivem mais porque o seu metabolismo lento queima menos energia, o que ao mesmo tempo proporciona menos danos às suas células.

Além disso, graças ao casco extremamente duro e seu isolamento geográfico, as tartarugas gigantes acabam tendo poucos predadores para se preocupar. Ou seja, essa combinação de fatores biológicos e evolutivos é o que mantém as tartarugas gigantes vivas por tanto tempo. Infelizmente não existe um gene mágico nesses animais que os humanos possam coletar e explorar. Mas viver sem muito estresse, como essas tartarugas, pode ser uma forma de tentar prolongar a nossa vida um pouco mais.

Interessante, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: