Curiosidades

Por que o azul é a cor favorita da maioria das pessoas?

Por que o azul é a cor favorita da maioria das pessoas?

Muito provavelmente alguém já deve ter perguntado para você qual era a sua cor favorita. Além disso, essa também pode ter sido uma das primeiras perguntas que você pode ter feito quando criança para alguém que você estava considerando como um novo amigo. Mas o que é mais curioso nessa simples pergunta é que a maioria das pessoas ao redor do mundo prefere uma cor em particular: o azul.

Muitas pesquisas, algumas feitas até em meados de 1941, já indicavam que as tonalidades azuladas eram as mais populares em todo o planeta. Na prática, essa é uma predileção que não se limita a uma determinada cultura, sexo ou idade. Basicamente, todos simplesmente amam o azul! Obviamente, algumas preferências de cores podem mudar com o tempo, mas ainda assim o azul consegue se manter no topo das preferências. Mas afinal, existe alguma explicação científica para o fato da cor azul ser tão adorada?

O que faz uma pessoa amar ou odiar uma cor?

De acordo com um estudo da Universidade Estadual da Pensilvânia, a resposta para essa pergunta não pode ser encontrada na estrutura do seu DNA. A resposta, na verdade, está nas associações que você faz com uma determinada cor. O estudo estabelece que a sua preferência por uma determinada cor pode ser determinada pela média de quanto você gosta de todas as coisas que associa a essa cor. Por exemplo, sua preferência pela cor laranja depende de como você se sente com relação às coisas laranja ao seu redor, como cones de trânsito e abóboras, entre outras coisas. Bizarro, não?

Pois bem, isso acontece porque uma determinada cor não fica registrada em seu cérebro como “uma simples cor”. Quando você vê uma certa tonalidade, a cor em questão forma uma imagem em sua mente, que por sua vez compartilha uma determinada emoção ou faz uma associação com algum tipo de experiência, pessoa ou coisa. Isso acontece porque os estímulos que atingem os receptores sensoriais em seu cérebro não ficam simplesmente lá. Na verdade, eles ainda são consequentemente transmitidos para várias outras terminações nervosas, ativando o circuito de memória que conecta as amígdalas cerebrais e o hipotálamo. Desse modo, a união das amígdalas e do hipotálamo leva à cognição de uma cor ao adicionar elementos psicológicos à sua percepção das tonalidades. Por tanto, características como emoções e sentimentos também tornam-se parte do ato de “enxergar” uma cor.

É importante destacar que as amígdalas armazenam as memórias de eventos e emoções para que você possa reconhecer eventos similares no futuro. Por exemplo, se você já sofreu uma mordida de cachorro, as amígdalas cerebrais foram responsáveis por processar esse evento e consequentemente aumentar seu estado de alerta e medo ao redor dos cães. Muitos cientistas acreditam que essas pequenas partes em forma de amêndoas desempenham uma conexão íntima com o seu julgamento sobre se algo é “seguro” ou “perigoso”. Consequentemente, isso se expande para incluir também a percepção de que algo é “agradável” ou “desagradável” e, em última análise, se você gosta de algo ou não. Desse modo, suas preferências de cor estão intimamente relacionadas a esses sentimentos de prazer ou desconforto, fazendo com que você goste das cores que você associa a um satisfatório sentimento de bem-estar.

Fatores ambientais

Como você já deve ter notado, as nossas preferências de cores, como a maioria das outras preferências, também são afetadas por centenas de fatores externos, já que somos continuamente influenciados pela mudança de modas e costumes. Fatores geográficos, como o clima do lugar, também desempenham um papel na decisão de nossas percepções e escolhas de cores. De fato, nós “automaticamente” queremos usar cores brilhantes para a praia e cores mais escuras para a discoteca, por exemplo.

Essas camadas de fatores formam uma estrutura geral de preferência de cores com o fator de agradabilidade em questão, de modo que os fatores individuais que o cercam e os fatores ambientais que compõem a camada mais externa conferem um sentimento à cor. Quanto mais próxima a preferência estiver do “centro” da estrutura, mais estável ela será. Em outras palavras, quando uma cor tem uma “pontuação alta” em termos de agradabilidade, ela é comumente apreciada pela maioria das pessoas e é menos propensa a sofrer mudanças mais negativas com base no indivíduo e no ambiente em torno desse mesmo indivíduo.

Tá mas, por que o azul é a cor favorita de tanta gente?

Se você observar todas as coisas associadas ao azul, verá que elas são majoritariamente positivas. De fato, quase não existem associações negativas que são comumente feitas à essa cor. Até mesmo as poucas coisas azuis que você pode chegar a considerar “ruins” ou “insatisfatórias” não são necessariamente tão azuis assim. Por exemplo, os hematomas (que são indesejáveis) são mais frequentemente roxos do que necessariamente azuis. Por outro lado, podemos muito bem associar o azul em grande parte com o belo e vasto céu em um dia ensolarado, o oceano pacífico e até mesmo com itens mais mundanos (porém neutros ou positivos) como canetas e jeans. Em outras palavras, quando você pensa em coisas positivas, agradáveis e bonitas, é bem provável que você se depare com alguma coisa azul.

Além disso, é importante deixar claro que essa percepção não está limitada a uma determinada região do globo, uma vez que todos nós experimentamos universalmente várias coisas azuis, incluindo céus abertos e água limpa. Desse modo, a presença de coisas azuis positivas é algo consistente, onde quer que você vá. Uma outra coisa interessante é que, da mesma forma que o azul aparece no topo das preferências em pesquisas, cores como o amarelo escuro e o marrom quase sempre são as menos favoritas. Estudiosos acreditam que isso ocorre por causa das coisas negativas associadas a essas cores, como vômito, lixo biológico e outras coisas grosseiras.

Por outro lado, além de ter coisas positivas associadas a ele, o azul também está ligado à estabilidade, paz e pureza. De fato, essa cor tem conotações positivas em muitas culturas em todo o mundo e não é “tabu” em quase nenhuma cultura. A frase “sangue azul”, por exemplo, até passou a ser usada para significar a aristocracia durante o século XV na Espanha, onde muitos aristocratas tinham a pele clara, fazendo suas veias apresentarem tonalidades mais azuis. Algumas culturas também usam amuletos azuis para supostamente neutralizar o “mau olhado”. No caso do antigo Egito, deuses e reis eram frequentemente representados com barbas e cabelos azuis. Ou seja, essa cor é bastante popular há muito tempo!

E você, qual é a sua cor favorita? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: