Curiosidades

5 fatos curiosos envolvendo cirurgias

5 fatos curiosos envolvendo cirurgias

Ainda que muitas das técnicas cirúrgicas usadas nos dias de hoje tenham sido desenvolvidas em uma era recente, as pessoas sempre experimentaram várias técnicas diferentes na esperança de tratar doenças ao longo da história. O desenvolvimento das cirurgias desempenharam uma grande contribuição para a humanidade e aparecem em registros históricos de várias regiões do mundo. No entanto, os primeiros humanos faziam isso mais para ver o que estava dentro do corpo do que para tratar certas doenças.

Canecas para Presente

Por outro lado, as cirurgias modernas são verdadeiras maravilhas da ciência médica. Nós agora usamos várias técnicas distintas para fazer coisas como transplantes de órgãos e cirurgias plásticas que nós nem sabíamos que eram possíveis até muito recentemente. No entanto, o campo da cirurgia ainda tem muitos mistérios não resolvidos e fatos interessantes que a maioria das pessoas não conhece.

Pensando nisso, listamos aqui alguns fatos curiosos envolvendo cirurgias. Você vai ver que os procedimentos cirúrgicos são bem mais interessantes do que parecem. Confira!

5. Existe um número relativamente alto de casos em que os pacientes acordam durante a cirurgia

Se você conversar com um cirurgião sobre a realização de um procedimento cirúrgico, ele certamente fará todo o possível para garantir que você não fique nervoso e não sinta nada durante a cirurgia. Embora isso seja verdade, já que a anestesia geral deve cuidar disso, nem sempre as coisas saem como planejado. De acordo com um estudo, cerca de 1 em cada 1.000 pacientes acorda durante a cirurgia nos Estados Unidos todos os anos.

Embora a maioria desses casos ocorra no início ou no final da operação, isso também pode acontecer no meio da cirurgia. O problema é que cerca de metade de todos os pacientes que acordam durante a cirurgia podem acabar desenvolvendo estresse pós-traumático ou depressão, o que é bastante compreensível, pois trata-se de uma experiência horrível. Em alguns casos, isso pode ser agravado pelos paralisantes administrados com anestesia antes da cirurgia, pois tornam os pacientes incapazes de apresentar queixas aos cirurgiões.

Obviamente, a dor pode não estar envolvida em todos esses casos, mas a verdade é que o simples ato de ver alguém te cortando e fazendo coisas dentro do seu corpo já é o suficiente para mexer com o seu cérebro por um longo tempo.

4. Inicialmente, a anestesia era impopular e até chegou a ser banida em alguns lugares

Embora seja um tanto difícil imaginar algo assim nos dias de hoje, o fato é que as cirurgias eram realizadas sem qualquer tipo de anestesia durante a maior parte da história humana. Coisas como plantas medicinais e álcool até chegaram a ser usadas, embora coisas desse tipo dificilmente fossem suficientes para anestesiar a dor de alguém que estava tendo a sua perna cortada por um machado, por exemplo.

A coisa fica ainda mais interessante quando descobrimos que, por incrível que pareça, a anestesia não era tão popular quando foi desenvolvida pela primeira vez. Inicialmente, a anestesia era um procedimento impopular em vários lugares ao redor do mundo, especialmente nos EUA. Enquanto alguns cirurgiões usavam desculpas esfarrapadas como “só é cirurgia se o paciente conseguir sentir tudo”, algumas pessoas até chegaram a dizer que a anestesia estaria ligada a algum tipo de “influência satânica”.

É importante destacar que a impopularidade inicial da anestesia também poderia estar ligada ao grande número de mortes relacionada à overdose de medicamento anestésicos, já que a maioria dos cirurgiões daquela época não sabia a quantidade adequada de anestesia a ser administrada no paciente.

3. Instrumentos deixados dentro de pacientes não é algo tão incomum quanto parece

Canecas para Presente

Ainda que isso tenha se transformado em um tema recorrente de piadas sobre cirurgiões em praticamente todo o mundo, muita gente acha que é extremamente raro um cirurgião esquecer acidentalmente algum instrumento cirúrgico dentro do paciente durante o procedimento cirúrgico, afinal de contas, os cirurgiões são alguns dos profissionais médicos mais habilitados e qualificados. Só que, surpreendentemente, esse não é bem o caso.

Em todo o mundo, os cirurgiões deixam uma certa variedade de objetos dentro de seus pacientes com uma certa frequência, incluindo fórceps, máscaras cirúrgicas e agulhas. No entanto, coisas desse tipo tendem a ocorrer com mais frequência durante cirurgias onde a equipe cirúrgica é muito reduzida ou quando o acompanhamento do inventário cirúrgico não é feito de maneira correta.

2. Cirurgias de transplante de cabeças poderão ser comuns no futuro

Quando falamos de transplantes, certos órgãos simplesmente não parecem se qualificar para tal procedimento. A cabeça é uma delas, já que a habilidade de colocar a cabeça de alguém em outra pessoa parece ser algo retratado em algum filme de ficção científica. Embora seja desonesto dizer que já temos essa tecnologia, o fato é que podemos estar surpreendentemente perto de tornar isso realidade.

De fato, alguns pesquisadores já deram grandes passos para fazer com que isso realmente aconteça nos próximos anos, de modo que pode não levar muito tempo até que possamos finalmente testemunhar esse incrível acontecimento. A ideia básica é exatamente o que você imagina: simplesmente cortar a cabeça de um doador, colocá-la no torso de alguém e esperar que ela “grude” e não seja rejeitada.

Curiosamente, um grupo de cirurgiões americanos estava bem perto de fazer isso acontecer, mas o primeiro voluntário do procedimento acabou desistindo de se submeter a tal transplante, o que pode ser encarado como uma decisão sensata da parte dele, visto que este ainda é um tema polêmico e bastante recente.

1. Nós ainda não sabemos exatamente como a anestesia funciona

Por incrível que apreça, nós ainda temos poucas informações sobre o motivo da anestesia funcionar. De fato, os mecanismos do cérebro que nos fazem entrar em um estado profundo de inconsciência sob os efeitos da anestesia ainda continuam sendo um mistério para os cientistas.

Em essência, acredita-se que um paciente sob anestesia geral entre em uma espécie de coma artificial, embora isso seja tudo o que sabemos sobre tal procedimento. É por isso que a anestesiologia é uma ciência completa e os anestesiologistas são alguns dos médicos mais qualificados e requisitados nos procedimentos cirúrgicos.

Curiosamente, entender o que a anestesia faz com o cérebro também poderia nos ajudar a responder as maiores questões da vida, como tentar identificar qual é a parte do cérebro que nos torna conscientes e auto-suficientes.

Interessante, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: