Curiosidades

7 monarcas do passado que tinham apelidos pra lá de esquisitos

7 monarcas do passado que tinham apelidos pra lá de esquisitos

Todos nós já ouvimos falar de grandes monarcas da história, como Alexandre, o Grande. Mas você já parou para pensar naqueles que não eram “tão grandes” assim? De fato, certos governantes tiveram a má sorte de atrair alguns inimigos astutos que usavam adjetivos pouco lisonjeiros para descrevê-los.

Canecas para Presente

A pior parte disso tudo era que alguns apelidos eram completamente hilários, o que era lamentável para tais governantes, mas bastante divertido para a nossa sorte. Pensando nisso, nós do TriCurioso resolvemos listar os monarcas do passado que tinham os apelidos mais incomuns. Você vai ver que nem os grandes líderes da história ficaram livres da popularização de nomes infames na boca do seu povo. Confira!

7. Carlos II da França (O Calvo)

O Sacro Imperador Carlos II da França tornou-se um dos monarcas mais conhecidos do seu tempo pelo seu envolvimento em várias disputas territoriais familiares. Depois de receber terras de seu pai, o imperador Luís I, Carlos se envolveu em uma série de guerras civis entre seus meio-irmãos pela manutenção das terras para um status de sucessão. No entanto, o que mais chamava a atenção eram as fofocas que davam conta de que ele era calvo.

Alguns historiadores teorizam que o apelido pode ter sido mais irônico do que ilustrativo, mas outros estudiosos pensam que ele era realmente careca. No século 9, a calvície geralmente provocava risos e aqueles que sofriam com isso costumavam responder citando os “grandes homens carecas do passado”. Por isso, acredita-se que, supondo que Carlos era realmente careca, ele deve ter recebido muito bem a associação com essas grandes figuras históricas.

6. Ivã IV da Rússia (O Terrível)

No ano de 1547, Ivã IV obteve o elevado título de “czar e grande príncipe de toda a Rússia”. Após essa promoção real, a maioria de suas reformas de centralização foram aprimoradas saciar o seu fervoroso desejo de limitar os poderes da aristocracia hereditária em favor da nobreza e seus serviços. De fato, o “reino de terror”, que o faria ficar conhecido como Ivã, o Terrível, foi projetado para tornar a terra e o status dos indivíduos dependentes pertences ao soberano, em última análise.

Vale destacar que a ira do czar não se limitou aos não-membros da realeza. Em 1581, ele também chegou a assassinar o seu próprio filho Ivã Ivanovich da Rússia, o único herdeiro viável de seu trono, dando início a um período que ficou conhecido como o “tempo dos problemas”.

5. Guilherme I da Sicília (O Mau)

Embora tenha ficado conhecido por um epíteto pouco positivo, Guilherme, o Mau, governava a Sicília de maneira eficiente e progressiva. Ele promoveu a ciência e a alfabetização durante seu reinado e até praticou a tolerância religiosa. Na verdade, o seu apelido de “mau” veio através da supressão do poder dos barões da Sicília em favor de uma autoridade mais centralizada.

Mas mesmo com sua recém-adquirida autoridade real, ele perdeu os territórios africanos da Sicília em meados de 1160, ao mesmo tempo em que rebeliões eclodiram em todo o seu reino. Ou seja, no fim das contas, Guilherme I da Sicília não era necessariamente um homem “mau”, mas sim um “azarado”.

4. Maria I da Inglaterra (Maria Sangrenta)

Filha de Henrique VIII e Catarina de Aragão, Maria I tornou-se a primeira monarca feminina da Inglaterra. Desde o início de seu reinado, em 1553, ela estava determinada a tornar o catolicismo a religião primária da Inglaterra através de seu casamento com Filipe II da Espanha, mas as coisas não seriam tão simples como planejado.

Uma rebelião protestante liderada por Sir Thomas Wyatt logo entrou em erupção, mas foi posteriormente reprimida por seus apoiadores, que deixaram um resíduo sangrento de “hereges” massacrados. Por causa desse episódio, Maria I da Inglaterra, que era uma rainha popular entre seus súditos até então, acabou sendo desprezada por muitos e veio a receber o infame apelido de “Maria Sangrenta”.

3. Luís V da França (O Preguiçoso)

Último rei da dinastia carolíngia, Luís V foi um daqueles típicos monarcas que ficaram mais conhecidos por conta do seu reinado decepcionante e sem intercorrências. Coroado rei da Aquitânia em meados de 979, enquanto seu pai ainda estava vivo, Luís V acabou recebendo o curioso apelido de “preguiçoso”, até porque ele era isso mesmo.

De fato, ele nunca teve interesse em reunir esforços para fazer coisas como retomar a Aquitânia e julgar o arcebispo de Reims por traição, o que qualquer pessoa no seu lugar provavelmente teria feito. Ele veio a falecer por conta de uma queda acidental aos 20 anos de idade sem deixar herdeiros legítimos.

2. Ivaylo da Bulgaria (O Repolho)

Ivaylo era um daqueles monarcas que surpreendentemente conseguiram deixar uma vida de pobreza para atingir um status de riqueza invejável. Nascido como um simples camponês, ele era conhecido pelo apelido búlgaro de “Repolho”. Ele se tornou famoso no país ao liderar uma revolta no nordeste da Bulgária em 1277, na qual ele e seu exército obtiveram várias vitórias contra os tártaros.

Depois que seu exército matou o czar Constantino Tico da Bulgária durante uma das batalhas, Ivaylo foi reconhecido como o novo czar do país. No entanto, seu reinado foi curto, pois ele acabou sendo decapitado por rivais políticos em 1280. Mas o fato é que seu nome continuou vivo quando dois falsos Ivaylos tentaram liderar revoltas camponesas sob o apelido inspirador do homem que era conhecido popularmente como “Repolho”.

1. Carlos VI da França (O Louco)

O rei Carlos VI da França subiu ao trono em 1380, aos 11 anos de idade, e tornou-se o único governante do país oito anos depois. Seu reinado acabou sendo envolvido em várias controvérsias, de modo que, durante as disputas contra a Inglaterra pela residência do papado em 1392, Charles teve um ataque de “loucura” que chegou a incluir até febre e convulsões.

No entanto, a tal “loucura” de Carlos não acabaria por aí, já que ele se envolveria posteriormente em mais 43 incidentes, cada um com duração de três a nove meses, algo que acabou consolidando de vez a sua imagem de louco.

E você, já conhecia a história de algum desses monarcas? Qual apelido você achou o mais bizarro? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: