Curiosidades

7 fatos curiosos envolvendo as últimas refeições de condenados à morte

7 fatos curiosos envolvendo as últimas refeições de condenados à morte

A maioria dos seres humanos tem uma curiosidade mórbida sobre a morte. Muitas pessoas costumam se perguntar para onde vão e quando será a hora de partir, mas o fato é que existem questões ainda mais complexas sobre o assunto.

Canecas para Presente

Por exemplo, uma última refeição para alguém que está no corredor da morte é algo agradável a ser conferido a uma pessoa prestes a morrer, ou seria um desperdício de tempo e dinheiro para um criminoso condenado que está próximo de perder a vida?

Curiosamente, a comida que esses assassinos desejam pode ser tão variada quanto seus crimes. Às vezes, o que algumas pessoas comem nas últimas refeições é algo insanamente elaborado, enquanto outras simplesmente desejam uma única azeitona. Pensando nisso, listamos aqui alguns fatos curiosos para você aprender um pouco mais sobre as últimas refeições de condenados à morte. Confira!

7. A primeira refeição servida especialmente antes da morte de um condenado foi preparada em 22 aC

Por alguma razão, a humanidade sempre decidiu ao longo da história que, independentemente do crime horrível que alguém tenha cometido, se o criminoso vai ser morto, ele deve pelo menos receber uma refeição decente. De fato, o primeiro registro conhecido dessa prática pode ser rastreado no Código Sumério de Ur-Nammu, do século 22 aC.

Na ocasião, os gladiadores romanos foram servidos com um grande banquete antes de serem inevitavelmente abatidos na arena. Do outro lado do mundo, os astecas também costumavam alimentar bem aqueles que viriam a ser mortos como sacrifício. Ou seja, não importa a cultura, a morte e a comida sempre formaram uma dupla inusitada durante a maior parte da história da humanidade.

6. Os condenados nem sempre recebem o que pedem

Muita gente acredita que os presos no corredor da morte podem obter praticamente tudo que quiserem como última refeição, afinal de contas, até mesmo as refeições mais luxuosas são muito mais baratas do que manter um preso encarcerado pelo resto da sua vida. No entanto, o que os criminosos podem receber como última refeição varia muito de acordo com as leis de cada lugar, o que pode afetar significativamente o que eles comem.

Até é permitido aos presos solicitar o que quiserem, mas a verdade é que sempre cabe ao Estado decidir o que eles realmente receberão. Por exemplo, no estado americano da Flórida, a refeição deve ser comprada localmente e não pode exceder US $ 40. Já na Virgínia, os presos são praticamente limitados ao que está disponível no “cardápio mensal”.

5. Muitas dessas refeições são preparadas por outros presos

Talvez uma das maiores ironias envolvendo as últimas refeições de condenados à morte é que muitas delas são preparadas por outros prisioneiros. De fato, praticamente todas essas refeições são preparadas por outros condenados. De certo modo, isso faz muito sentido, afinal de contas, por que pagar mais para contratar um chef conceituado para preparar uma refeição para condenados à morte quando se têm vários reclusos em mãos?

Claro que é um tanto mórbido pensar em cozinhar alimentos para alguém que está prestes a morrer e é ainda mais estranho fazer isso para alguém que pode não ser exatamente seu amigo, mas que está definitivamente em uma situação semelhante a sua. Talvez essa também seja uma estratégia usada pelas prisões para “assustar” os prisioneiros.

4. Alguns condenados pedem refeições surpreendentemente básicas

Embora sempre haja pedidos excêntricos e luxuosos para as últimas refeições, a maioria dos pedidos costuma beirar o minimalismo. Ao examinarmos as últimas refeições de vários condenados à morte mundo afora, é possível vermos que certa escolhas feitas por esses criminosos são bastante “deprimentes”.

Alguns pedem apenas um copo de Coca-Cola com salgadinhos, enquanto outros exigem apenas uma azeitona. Timothy McVeigh, condenado à morte por terrorismo, pediu apenas dois copos de sorvete, enquanto Gary Heidnik, condenado pelo estuprou de seis mulheres, não comeu nada além de duas fatias de pizza de queijo e duas xícaras de café.

Curiosamente, essas refeições bastante simples não parecem muito com algo que um serial killer de sangue frio pediria, mas sim uma criança de oito anos sem muita imaginação.

3. Nos Estados Unidos, a refeição mais solicitada costuma ser um hambúrguer com batatas fritas

Se analisarmos os condenados à pena de morte nos Estados Unidos, veremos que eles realmente se saem muito bem como verdadeiros norte-americanos, ainda que estejam sob uma situação crítica. Na prática, eles geralmente pedem alimentos bastante gordurosos. Mais especificamente, os alimentos mais solicitados pelos condenados à morte nos EUA são hambúrgueres de queijo com batatas fritas.

Psicologicamente falando, é possível que os condenados estejam apenas procurando degustar um sabor que os lembre dos bons momentos de suas vidas, até porque convenhamos que, ainda que eles estejam próximos do fim, algo rico em gordura certamente fará com que eles se sintam bem, pelo menos por um curto período de tempo.

2. Os pratos são cobertos para que outros presos não possam ver

Há um detalhe muito curioso que parece ocorrer com todas as últimas refeições de condenados à morte e que nunca foi totalmente explicado. Depois que a refeição é preparada, ela é geralmente coberta ao ser levada ao recluso. Não há muitos detalhes que ajudem a explicar por que a refeição costuma ser coberta, mas é provável que isso ajude a proteger um pouco da privacidade do prisioneiro.

Os rostos dos prisioneiros também costumam ser cobertos antes da execução, tanto para proteger os espectadores da morte, quanto para manter a pessoa prestes a ser morta um pouco mais calma (se é que isso é realmente possível). Ou seja, talvez haja algum tipo de paralelo com a comida nesse sentido também.

1. Já houveram várias tentativas de vender esse tipo de refeição para pessoas normais

Muitas pessoas gostam de sentir medo, como pode ser evidenciado pelas dezenas de filmes de terror lançados todos os anos. De fato, um dos grandes enigmas de estar vivo é que não podemos realmente saber como é a morte, por isso algumas pessoas normais estão dispostas a pagar um bom dinheiro para se aproximar um pouco da sua morte prematura. Os profissionais de marketing sabem muito bem disso e já tentaram lucrar com a curiosidade mórbida das pessoas.

Por exemplo, há alguns anos, uma empresa chamada Death Row Dinners tentou recriar uma experiência de última refeição por um preço de aproximadamente US $ 80. No entanto, antes que eles pudessem começar os serviços, os possíveis clientes enlouqueceram e ironicamente começaram a enviar-lhes ameaças de morte.

Da mesma forma, uma empresa no Canadá surgiu com o objetivo de entregar as últimas refeições de vários assassinos famosos diretamente na casa dos clientes por apenas US $ 20. Até mesmo a rede de franquias Pizza Hut chegou a entrar no ramo nos anos 80, quando publicou um anúncio que dizia que um condenado havia escolhido uma pizza da rede como sua última refeição. No entanto, a propaganda não foi muito bem recebida.

Assunto bem curioso, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: