Curiosidades, Saúde

Comer rápido faz mal à saúde?

Comer rápido faz mal à saúde?

Todos nós temos aquele amigo que costuma finalizar a refeição inteira ao mesmo tempo em que você ainda degusta a sua terceira ou quarta mordida. Curiosamente, não há uma razão específica para o fato de que algumas pessoas resolvem comer tão rapidamente. Obviamente, dizer se uma pessoa está comendo rápido demais ou não também pode ser algo de percepção relativa, mas a questão é que ver alguém terminar uma determinada refeição muito antes dos outros à mesa tem sido algo mais comum do que muitos imaginam.

Se você já testemunhou algo parecido ou até mesmo agiu como o comilão da vez, saiba que existem muitos problemas associados à alimentação rápida demais. Embora esse assunto tenha sido pouco difundido, o fato é tais problemas parecem bastante óbvios quando você pensa sobre eles. Para começar, comer rápido pode potencialmente torná-lo obeso e cheio de problemas estomacais.

Não sabe como isso pode ocorrer na prática? Então, permita-me explicar ao longo desse artigo!

As desvantagens e os problemas de comer muito rápido

De certo modo, tudo se resume à fisiologia do corpo humano, que nesse caso parece funcionar na base do “quanto mais calorias, menor a satisfação”. Desde o momento em que você começa a comer, leva cerca de 20 minutos para o cérebro enviar sinais de “saciedade” que servem para dizer ao seu corpo que já está na hora de parar de comer. Portanto, quando você come muito rápido, você acaba consumindo muito mais calorias do que o seu corpo é capaz de analisar antes de começar a enviar os sinais de saciedade.

Para piorar ainda mais essa situação dramática, de acordo com um estudo publicado em 2006 no Journal of Epidemiology, os “comilões apressados” tendem a experimentar menos satisfação após a refeição. Por outro lado, comer em um ritmo mais tranquilo oferece tempo suficiente para o seu corpo analisar toda a quantidade de calorias ingerida e perceber que você já comeu o suficiente para desfrutar adequadamente de todos os nutrientes obtidos através da sua refeição.

Obviamente, muita gente gulosa pode achar isso uma grande besteira, mas é a pura verdade! Se você comer rápido demais, há uma chance muito boa de não sentir o sabor da comida tão profundamente quanto uma pessoa que come em um ritmo bem mais lento. De acordo com um estudo realizado na Universidade da Flórida, uma pessoa que come rápido demais não consegue sequer sentir o cheiro da comida tão bem quanto aquele que está comendo devagar.

Alem de tudo isso, de acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Médica da Carolina do Sul, consumir uma refeição de 690 calorias em 5 minutos (em vez de 30 minutos) pode resultar em uma maior probabilidade da ocorrência de problemas como o refluxo ácido, já que o trato digestivo é carregado com alimentos em maiores quantidades do que ele pode lidar ao mesmo tempo. Consequentemente, a alimentação rápida pode causar estreitamento do esôfago, sangramento interno e outros distúrbios digestivos.

A curiosa relação entre as refeições rápidas e a diabetes

Embora o ato de comer rápido não cause diretamente a diabetes do tipo 2, é possível que esse hábito de comer alimentos muito rapidamente possa dar um empurrãozinho extra ao seu corpo nessa direção. Em um grande estudo, homens e mulheres de meia-idade sem diabetes, mas que afirmavam comer muito rápido, apresentaram estar em um grupo de maior risco de resistência à insulina.

Essa condição, na qual o corpo não usa insulina de maneira eficaz, pode levar ao surgimento da diabetes ao longo do tempo. Além disso, como já foi dito anteriormente, comer rápido está intimamente relacionado a um crescimento no número de casos de obesidade, que por sua vez é uma das principais causas de resistência à insulina.

Outro ponto que merece atenção tem a ver com o fato de que a resistência à insulina está intimamente relacionada à síndrome metabólica, um conjunto de fatores que aumentam o risco do desenvolvimento não apenas do diabetes, mas também de doenças cardíacas e derrames. Em particular, pessoas que comem rápido também tendem a ter cintura maior e baixos níveis de colesterol HDL (o “colesterol bom”), sendo que esses são dois dos fatores de risco que compõem a síndrome metabólica e, muitas vezes, são precursores de doenças cardíacas.

Então, quanto tempo devemos levar para comer?

Na prática, a resposta para essa pergunta depende inteiramente da quantidade de comida que você está ingerindo. Isso acontece porque o tempo ideal para comer um lanche pode variar significativamente se for comparado ao tempo necessário para o corpo humano processar uma refeição completa. Ainda assim, a faixa dos 20 minutos é geralmente considerado pelos especialistas como o tempo mínimo que uma pessoa deve se dedicar a comer.

Vale destacar que, quando a comida (ou a água) começa a encher o estômago, são ativados receptores de estiramento que, por sua vez, enviam sinais ao cérebro através do nervo que conecta o tronco cerebral e o intestino. Assim, quando os alimentos parcialmente digeridos entram no intestino delgado, são liberados sinais hormonais, sendo que esses processos levam, em média, quase 20 minutos (dependendo do seu metabolismo) para serem concluídos e determinar se o corpo está totalmente saciado ou não.

Também é importante deixar claro que você não precisa ficar desesperado caso esteja particularmente ocupado ou atrasado para chegar a algum lugar e, portanto, não possa dedicar tanto tempo para comer. No entanto, criar o hábito de comer rápido definitivamente é o que pode prejudicar o seu corpo no longo prazo. Portanto, não se apresse e tente saborear cada pedaço de comida que você escolher consumir. Lembre-se, uma refeição deliciosa é uma jornada, não uma simples corrida!

E você, também se enquadra no grupo da pessoas que comem mais rápido do que deveriam? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: