Curiosidades

As mudanças de temperatura realmente podem nos deixar doentes?

As mudanças de temperatura realmente podem nos deixar doentes?

Você já deve ter notado que a temperatura desempenha um papel muito importante em nossas vidas. Nossas roupas, os eventos que frequentamos, a comida e muitos outros elementos da vida mudam constantemente para se adequar às condições climáticas existentes. De fato, além de nossos hábitos sociais, até mesmo o nosso corpo precisa se adaptar e acomodar as mudanças que ocorrem de acordo com as variações nas condições do tempo.

No entanto, não importa quantas precauções tomemos, sempre tendemos a adoecer em algum momento ou outro, de modo que, quando passamos a analisar o cenário geral a longo prazo, podemos perceber que isso leva à formação de certas crenças. Por sua vez, essas crenças nem sempre podem ser apoiadas por evidências científicas, mas ainda assim continuam sendo seguidas com muito fervor por boa parte da população.

Por exemplo, uma dessas ideias comumente compartilhadas sustenta a tese de que as mudanças bruscas de temperatura podem deixar uma pessoa doente. Mas, afinal de contas, será que isso é verdade? É exatamente essa a questão que vamos abordar ao longo desse post!

As variações de tempo podem nos deixar doentes?

Bem, a versão resumida da resposta para essa pergunta seria sim e não. Para entender isso da melhor forma, devemos levar em conta o fato de que, devido à maneira complexa pela qual o nosso corpo funciona, a temperatura sozinha não pode simplesmente nos fazer adoecer. No entanto, se você pensar no clima não apenas como a temperatura, mas também considerar os outros fatores que contribuem para tal, podemos dizer que realmente podemos adoecer por conta disso. Ainda não entendeu? Calma que eu já vou explicar!

A doença relacionada ao clima mais comum é o resfriado, mas como já foi  mencionado anteriormente, a temperatura sozinha não determina se uma pessoa fica doente ou não. Na prática, vários outros fatores contribuem para o surgimento da enfermidade, como hábitos pessoais, imunidade da pessoa, tipo de infecção, entre outros.

Para compreender melhor toda essa complexidade, vamos tentar identificar como esses fatores contribuintes conseguem tornar a resposta à nossa pergunta principal muito mais complicada do que parece.

Analisando os fatores contribuintes

Não há provas científicas de que as mudanças de temperatura possam nos deixar doentes. Pelo contrário, é uma combinação de fatores e o nosso próprio comportamento que nos faz adoecer. Além disso, é preciso destacar que existem muitos organismos que podem causar um resfriado, sendo que esses diferentes tipos de germes costumam se proliferar em estações distintas, mas praticamente todos eles dão origem aos mesmos sintomas.

Pessoas com sistemas imunológicos relativamente fracos também tendem a adoecer com uma frequência maior, mas devido à prevalência dessa noção de clima, elas acabam percebendo esse tipo de problema somente durante os períodos de flutuações sazonais ou de mudanças de temperatura.

Outro fator contribuinte são os nossos hábitos pessoais. Durante os invernos, a maioria das pessoas prefere ficar em ambientes fechados com uma xícara grande de chocolate quente nas mãos, mantendo-se quente e aconchegante com seu cobertor favorito. Embora essa imagem pareça perfeita, há uma pequena falha: se apenas uma pessoa em uma casa estiver doente, as chances de transmissão da infecção aumentam muito devido à proximidade dos membros da casa causada pela permanência em ambientes fechados.

Por outro lado, durante os meses quentes e ensolarados característicos do verão, as pessoas geralmente gostam de passar muito mais tempo ao ar livre. Na prática, isso aumenta a exposição a vários alérgenos ou substâncias causadoras de alergias, incluindo pólen e poeira, entre outros. Desse modo, é possível ver que, quando uma pessoa sofre de uma alergia, sua imunidade costuma estar constantemente enfraquecida e, portanto, mais suscetível a infecções.

Um fato concreto ou apenas um equívoco?

Como você pode ver, existem muitos fatores que entram em cena quando falamos sobre o clima e as doenças, especialmente as enfermidades respiratórias. No entanto, as mudanças de temperatura realmente pode ter alguma influência direta em nossa saúde. Por exemplo, dependendo da temperatura externa, nosso corpo tende a ajustar nosso mecanismo interno de manutenção da temperatura para funcionar de uma maneira específica.

Desse modo, com as mudanças súbitas e frequentes no clima, uma pessoa com um corpo mais fraco e uma imunidade deficiente pode não ser capaz de lidar com as mudanças climáticas e, portanto, adoecerá muito mais facilmente do que uma pessoa com o sistema imunológico bem mais estável e saudável. Embora ainda careçam de mais estudos, pesquisas já chegaram a sugerir uma possível ligação entre as enxaquecas e as variações de pressão e temperatura, o que em tese pode ajudar a explicar casos de enxaquecas sazonais.

Por conta de todos esses fatores, seria incorreto descartar completamente essa ideia de temperaturas e doenças como um simples mito, embora ainda não existam provas ou dados suficientes para aceitá-la como um fato comprovado. Por isso, a melhor iniciativa para a devida prevenção de possíveis doenças sazonais seria participar regularmente de atividades que fortaleçam a sua imunidade, como uma alimentação saudável, exercícios físicos regulares e manutenção adequada da higiene.

No fim das contas, um conjunto bem estabelecido de medidas benéficas para a saúde acaba sendo a melhor maneira de minimizar suas chances de adoecer, independente das condições climáticas predominantes na ocasião. Por outro lado, se você continuar ficando enfermo sob essas circunstâncias, considere isso como uma espécie de “dia de folga” da sua rotina regular e aproveite-o para descansar o máximo que puder. O seu sistema imunológico ficará muito grato por isso!

Ficar doente durante um período de variação climática é algo realmente incômodo, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: