Curiosidades

Você sabia que despertador já foi uma profissão?

Você sabia que despertador já foi uma profissão?

Se você acha que o que acordava as pessoas, todos os dias, sempre foi um aplicativo de smartphone, ou pra quem veio da geração anos 90 (como este que vos fala \o/), um aparelhinho movido a pilhas, ou mesmo se a referência mais distante que você tem de “despertador” seja a mãe e o pai gritando na sua orelha, bom, estes últimos se aproximam bem da realidade que vamos mostrar hoje. Vamos falar sobre os despertadores vivos, ou despertadores humanos!

Não precisa ficar com medo, porque não se trata de creepypasta, nem caso da deep web. Estamos falando de pessoas que trabalhavam como despertadores, no verdadeiro sentido da palavra! Saca só!

“Tá pensando que é brincadeira, é? Aqui ninguém dorme em serviço não, rapaz!”

O primeiro relógio despertador só foi construído em meados do ano de 1847. Mesmo assim, só foi possível se popularizar décadas depois. Antes disso, em tempos de Revolução Industrial, as pessoas recorriam a outros meios para acordarem cedo e saírem de casa para trabalhar. Como o iPhone demorou pra chegar um pouco, em meados de 1820 a tarefa de despertar as pessoas era uma função exercida como profissão real, por humanos.

No estilo Chaves, com chumbinho e zarabatana, despertadora exercendo seu ofício. Hidratada, motivada, a 80km/h.

Como mostram as imagens, os despertadores humanos chegavam na hora marcada por seus contratantes. Dentre suas técnicas, usavam bastões para tocar nas janelas das pessoas. Haviam pessoas que usavam canudos, com os quais assopravam pequenas pedras nas janelas ou portas.

Apesar das piadas, não me levem a mal, gosto de informar as pessoas de modo divertido. É muito interessante entender as técnicas que o ser humano usou em suas atividades ao longo de sua história, desde coisas mais simples, até as mais complexas e os métodos para medição do próprio tempo são uma prova disso. Vivemos em uma era cheia de algoritmos envoltos por uma tecnologia que muitas vezes não entendemos, mas não vivemos sem.

Outra coisa que não percebemos é que, em todo detalhe de nossas vidas, alguém está trabalhando para o funcionamento de tudo, mesmo que de maneira precária. Os despertadores vivos foram alguns destes detalhes: Pessoas que trabalhavam como engrenagens para moverem outras pessoas, engrenagens que moviam as indústrias, plantios e colheitas. Existem rumores que dizem que a pessoa que trabalhava como despertador humano não dormia até que chegasse sua hora de trabalhar. Time is money, honey!

E aí, a matéria “despertou” ainda mais o seu interesse? Deixe seu comentário! 🙂

Leia Também: