Curiosidades

Por que algumas músicas grudam na cabeça?

Por que algumas músicas grudam na cabeça?

Muitos de nós já passaram pela mesma situação: basta ouvir uma determinada música por algumas vezes, até mesmo sem querer, para depois ficarmos cantarolando a melodia e ouvi-la em um loop contínuo em nossas cabeças. Mas o que torna algumas músicas mais pegajosas do que outras?

Pesquisadores da Universidade de Durham, na Inglaterra, sugerem que algumas músicas são mais propensas a ficar na nossa cabeça com base em seu conteúdo melódico. Essas músicas pegajosas geralmente contam com um ritmo bem rápido, que costuma ser composto por uma forma melódica comum e intervalos ou repetições incomuns. Isso pode ser facilmente notado nos riffs de abertura de canções como Smoke On The Water do Deep Purple ou no refrão de Bad Romance da Lady Gaga.

Estima-se que cerca de 90% de nós experimentam um fenômeno desse tipo pelo menos uma vez por semana, mas algumas pessoas podem passar por uma experiência desse tipo em uma frequência ainda maior. Curiosamente, isso normalmente ocorre quando o cérebro não está desempenhando muitas funções ao mesmo tempo, como quando estamos debaixo do chuveiro no banho, fazendo caminhada ou simplesmente fazendo tarefas domésticas.

Em termos de ritmo, as músicas pegajosas costumam ser mais rápidas e têm um ritmo que proporciona uma maior “movimentação” por parte do ouvinte. Por exemplo, pesquisas anteriores descobriram que as músicas utilizadas em treinos físicos tendem a transportar os atletas para um estado conhecido como “fluxo”, que é quando as pessoas estão completamente imersas no que estão fazendo e se sentem com se estivesse no “piloto automático”. É por isso que as canções usadas em sessões de práticas de exercícios aumentam gradualmente de intensidade.

O contorno melódico de uma música, ou formato musical, também é determinante na constituição de uma música chiclete. Essas músicas são geralmente simples em estrutura, mas possuem um padrão rítmico bem arranjado. Por exemplo, a canção de ninar “Brilha Brilha Estrelinha” aumenta o tom, mas logo volta a descer. Canções fáceis, como essa, também são as mais fáceis de serem memorizadas e por isso são muito utilizadas no aprendizado de crianças.

Curioso, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: