Curiosidades, Tecnologia

Conheça a mosca robótica que pode salvar vidas

Conheça a mosca robótica que pode salvar vidas

A expansão da ciência e da tecnologia em nosso cotidiano continua a nos impressionar cada vez mais. Um bom exemplo disso vem da criação de um robô com aparência de mosca que usa raios laser como fonte de energia e que foi desenvolvido com o objetivo de ajudar a encontrar sobreviventes em desastres e farejar vazamentos de gás.

Embora esses tipos de robôs voadores do tamanho de insetos não sejam totalmente novos no mercado, nenhum deles conseguiu funcionar tão bem quanto o RoboFly, como é chamada essa invenção. O RoboFly foi criado por engenheiros da Universidade de Washington e se tornou o primeiro inseto robótico sem fio a conseguir voar perfeitamente.

Os desenvolvedores por trás desse projeto bastante ousado esperam ter verdadeiros enxames de moscas robóticas voando pelos céus nos próximos cinco anos. Esse dispositivo inovador tem o peso equivalente ao de um palito de dente e funciona através de um circuito a bordo que é capaz de converter a energia do laser em eletricidade, permitindo que ele opere suas asas por longos períodos de tempo. Vale destacar que os insetos robóticos criados no passado ​​eram incapazes de voar por causa do peso das asas que eram conectadas por fios, mas no caso da mosca robótica, seu tamanho pequeno e peso leve permitem que ela voe sem problemas.

Espera-se que a criação de uma mosca robótica totalmente autônoma possa ser criada daqui a alguns anos, o que permitiria que ela navegasse e concluísse tarefas sozinha. Além disso, a equipe de desenvolvedores do RoboFly espera aprimorar ainda mais o seu sistema de detecção de vazamentos de gás. A ideia por trás dessa medida seria soltar várias moscas para buscar focos de vazamento de gás torno de um determinado prédio, o que poderia ajudar até mesmo o trabalho dos bombeiros.

Como se isso não bastasse, a mosca robótica também pode ser usada em missões de busca e salvamento de vítimas de desabamentos. Ela seria capaz de voar em áreas menos acessíveis onde os drones não são viáveis, além de serem muito mais viáveis financeiramente.

Interessante, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Você também pode gostar de