Curiosidades

Qual foi o primeiro carro conversível?

Qual foi o primeiro carro conversível?

Eu comecei as pesquisas para escrever esta matéria acreditando que houvesse um primeiro carro conversível, porém você já percebeu que o primeiro carro da história já não possuía capota? Pois então, o primeiro automóvel que se movia através de motores a combustão interna de gasolina foi criado por Karl Benz em 1886, ele possuía 3 rodas e era baseado em um modelo de carruagem, ele se chamava Motorwagen. Desde então, começou uma grande corrida entre as grandes marcas onde cada um trazia uma inovação diferente.

Nesta época tínhamos a Peugeot Frères, Whoseley Sheep Shearing Machine Company, Austin, Renaut, Mercedes, Cadillac, Oldsmobile, Ford e outras que juntas fizeram o mercado dos automóveis se erguer, assim tornando-se uma paixão mundial. Porém, não demorou para que as montadoras optassem por carros totalmente fechados. A próxima inovação diante dos carros conversíveis foi em 1934 quando a Peugeot lançou o chamado 402 Eclipse Décapotable, o primeiro carro conversível que possuía um teto rígido elétrico, porém mesmo assim os fechados assumiram o mercado.

Eles só voltaram a ter um importante papel no mercado quando começaram a ter um ar mais esportivo e glamouroso. Então, tornou-se comum ver conversíveis grandes e pequenos, cupê, em versões esportivas e esporte que, é claro, tornaram-se mais caros. Como destaque dos conversíveis modernos podemos trazer o Volkswagen EOS, MINI Cooper Cabrio, Porsche Boxter Spyder e Maserati GranCabrio. Já no Brasil tivemos dois conversíveis produzidos em território nacional que fizeram sucesso. Foram eles o Escort XR3 produzido entre 1988 e 1994 e o Kadett GSi fabricado entre 1992 e 1996. Ambos marcaram inovação em nosso mercado brasileiro.

Infelizmente, segundo estudos do Worcestershire Royal Hospital, da Inglaterra, veículos conversíveis podem atuar como causadores de problemas auditivos graves. A exposição ao barulho do motor, do vento, do trânsito e da estrada representaram grandes problemas de perda gradativa de audição já que estes sons da rotina alcançam de 88 a 90 decibéis enquanto o limite seria 85 decibéis. Porém, se você deixar seus vidros laterias levantados, mesmo que a capota esteja baixada seus ouvidos ficarão mais protegidos. Outra boa dica é utilizar protetores auriculares.

Interessante, não é mesmo? Comente!

Leia Também: