Curiosidades

As 5 tradições de casamento mais estranhas do mundo

O casamento é uma linda cerimônia que comemora a união de duas pessoas que resolveram iniciar uma longa jornada de compartilhamento das suas vidas. Cada cultura tem suas próprias tradições e costumes sobre como as pessoas se casam, geralmente dependendo das crenças religiosas e às vezes também das superstições. No entanto, algumas culturas tem tradições tão estranhas que merecem um maior destaque. Confira cinco bons exemplos.

5. O choro da noiva (China)

Existe um costume entre o povo Tujia da China que diz que cada noiva deve chorar desde a preparação até a cerimônia de casamento. Os anciãos acreditam que essa prática pode ser usada para expressar a gratidão e o amor da noiva com seus pais e outros membros da família. Se a noiva não chora, então os convidados olham para ela como uma “menina mal educada”. A noiva geralmente começa a praticar o choro a aproximadamente um mês antes do casamento real. Então, ela passa a chorar por uma hora todas as noites. Curiosamente, essa tradição não é mais tão comum entre o povo Tujia como era no passado.

4. Colher do amor (País de Gales)

Por volta do século 17, os galeses iniciaram uma tradição de casamento onde o noivo pegava um único pedaço de madeira e o cortava e transformava em uma colher. Então, ele a usava para presentear a mulher que está cortejando. Se aceita, a colher se tornava um símbolo de compromisso entre o casal. Essa “colher do amor” também servia como uma promessa de que o noivo nunca deixaria a sua noiva passar fome. Hoje em dia, as colheres do amor podem ser compradas.

3. Leblouh (Mauritânia)

Na Mauritânia, quanto mais gorda for a noiva, mais atraente ela se torna. É por isso que os pais mandam suas filhas, algumas com apenas cinco anos de idade, para os chamados “acampamentos de engorda” durante o verão, com o único objetivo de ganhar peso. Esta tradição é conhecida como o Leblouh. As meninas têm que comer uma quantidade absurda de comida que pode chegar até até 16.000 calorias por dia, muitas vezes chegando a serem alimentadas à força. Essa prática se origina da crença de que o tamanho da mulher indica o espaço que ela ocupa no coração do marido.

2. Blackening (Escócia)

O Blackening é uma tradição de casamento da Escócia, sendo praticada antes da cerimônia como uma forma de “simbolizar as dificuldades do casamento”. Os noivos recebem uma espécie de banho de uma mistura que envolve várias coisas repugnantes, como ovos, peixes mortos, comida estragada, leite coalhado, lama e farinha. Acredita-se que depois de passar por toda essa experiência desconfortável juntos, o casal pode superar todas as provações e tribulações que o casamento implica. O Blackening é praticado principalmente nas áreas rurais do nordeste da Escócia.

1. O fígado saudável (China)

O povo Daur, da China, têm uma maneira bem esquisita de escolher a data para o casamento. O casal de noivos segura uma faca e a usa para matar um pintinho. Então, eles dissecam o animal para inspecionar seus órgãos. Se o fígado do bicho estiver saudável, o casal pode marcar uma data e começar a planejar o casamento. No entanto, se o fígado estiver doente, isso é considerado um sinal de azar. Dessa forma, o casal tem que repetir o processo até encontrar um pintinho com um fígado saudável.

Tradições de casamento bem curiosas, não é mesmo? Deixe o seu comentário!

Você também pode gostar de