Curiosidades

Conheça o kintsugi, a arte japonesa de consertar cerâmica quebrada com ouro

Conheça o kintsugi, a arte japonesa de consertar cerâmica quebrada com ouro

Se você pensa como a maioria das pessoas, é bem provável que você gostaria que os danos nos seus itens quebrados pudessem ser ocultados através de pequenos reparos, fazendo com que o objeto se parecesse totalmente novo, não é mesmo? Só que uma arte japonesa chamada “kintsugi” segue uma filosofia diferente. Ao invés de “disfarçar” a parte quebrada, o kintsugi promove a restauração do objeto ao mesmo tempo em que incorpora o dano na estética do item restaurado, tornando-se uma parte da história da peça. A arte kintsugi geralmente usa uma resina de laca misturada com ouro em pó, prata, platina, cobre ou bronze, resultando muitas vezes em algo mais bonito que o original.

Alguns historiadores sugerem que o kintsugi teria se originado por volta do século XV, quando um militar japonês acabou quebrando a sua tigela de chá favorita e a mandou de volta para a China para ser consertada. No entanto, o trabalho de reparo, que havia sido feito com grampos de metal (que era o padrão de reparo usado na época), acabou prejudicando a beleza da tigela. Desapontado, o militar recrutou um artesão japonês para tentar encontrar uma solução mais esteticamente agradável. O artesão japonês supostamente usou a mesma técnica que se tornaria o kintsugi tempos mais tarde.

Embora o reparo kintsugi até faça parecer que a peça original foi consertada com ouro, o processo original é essencialmente uma forma de arte de verniz. As peças quebradas são coladas usando laca urushi, derivada da seiva de uma árvore chinesa. A camada final de urushi é coberta com um pó fino de ouro e depois é polida.

Vale destacar que a coleta da seiva e o processamento da laca de urushi pode ser uma tarefa complicada devido à sua toxicidade. Felizmente, uma vez que ela seca e endurece, os efeitos tóxicos do urushi são essencialmente anulados, tornando a laca segura para ser manuseada. Hoje, graças à moderna tecnologia de polímeros, o reparo do estilo kintsugi pode ser realizado com materiais de última geração, mais fortes e com maior longevidade do que a metodologia tradicional de verniz.

Curiosamente, os colecionadores de kintsugi são geralmente tão apaixonados pela arte que alguns até já foram acusados ​​de esmagar deliberadamente peças de cerâmica muito valiosas para que elas pudessem ser consertadas com as costuras douradas da técnica kintsugi.

Uma arte muito interessante, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: