Curiosidades

Por que o chiclete é grudento?

Você já pisou acidentalmente em um chiclete enquanto andava na rua? Se sim, então já deve saber o quão pegajosa essa guloseima pode ser. Enquanto você tenta esfregar o chiclete no seu sapato, ele pode se esticar e grudar nas mãos ainda mais, o que acaba fazendo-o grudar em novos lugares no sapato. Até mesmo alguns produtos de limpeza não conseguem ajudar a remover esse resíduo pegajoso. Mas afinal, por que o chiclete é tão grudento?

Primeiramente, é importante destacar que cada tipo de chiclete tem a sua própria formula exclusiva. No entanto, existem certos ingredientes que podem encontrados quase todos os tipos de chiclete. Por exemplo, o sabor doce geralmente vem de uma variedade de açúcares e aromatizantes. Já as propriedades elásticas e mastigáveis ​​do chiclete vêm dos outros ingredientes, como polímeros (incluindo elastômeros), plastificantes (como ceras naturais) e resinas que atuam como estabilizadores. Estes ingredientes conferem ao chiclete a sua textura característica e elasticidade. Infelizmente, eles também dão ao chiclete a sua natureza pegajosa. Os polímeros encontrados no chiclete são hidrofóbicos, o que significa que eles repelem a água. Por isso, a saliva aquosa da sua boca até pode dissolver os açúcares e os aromatizantes, mas não conseguirá dissolver a parte formada pelos polímeros.

Mas apesar desses polímeros repelirem a água, eles são facilmente atraídos por outras substâncias, principalmente as que contém algum tipo de óleo em sua composição. Por isso, quando eles entram em contato com superfícies oleosas, como calçadas, solas de sapatos, dedos e cabelos, eles formam uma ligação forte e aderem firmemente à sua superfície. As longas cadeias de ligações químicas dentro dos polímeros tornam a limpeza ainda mais difícil, porque elas tendem a se esticar ao invés de se romper.

No entanto, essas bagunças pegajosas podem um dia se tornar coisa do passado. Isso porque cientistas já conseguiram desenvolver novos polímeros de gomas de mascar que são hidrofílicos, o que significa que eles se decompõem na presença de água e se deterioram naturalmente durante um curto período de tempo. Curiosamente, essa pode ser uma ótima notícia para a preservação do espaço público nas cidades. Por exemplo, as autoridades governamentais de Londres, na Inglaterra, estimam que quase 4 milhões de dólares são gastos todos os anos apenas para pagar a remoção de chicletes jogados em lugares públicos, como trens, pontes e estações de metrô.

Interessante, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: