Entretenimento

A fábula da Cigarra e a Formiga

Fábulas são histórias curtas onde os personagens são animais, muito presentes na literatura infantil. As fábulas tem caráter educativo, apresentando uma moral no fim da história. Estão ligadas também a sabedoria popular. A diferença da fábula para as outras histórias é que o animal é o personagem principal da história, no lugar dos humanos. As fábulas tiveram origem no Oriente, com os assírios e babilônios. Mas foi Esopo, escravo grego do século VI a.C, que as desenvolveu.

A fábula da Cigarra e a Formiga

Essa fábula, de Esopo, é a mais famosa e difundida.

“Era uma vez uma cigarra e uma formiga. Todo dia a formiga passava pelo mesmo caminho, a carregar folhas para guardar em seu formigueiro. Nesse caminho, sempre estava a cigarra, toda contente a cantar. A cigarra era despreocupada, cantava e passeava o dia todo. Certo dia, ao ver a formiga lhe disse:

-Para quê tanto trabalho, formiguinha?! Larga disso e vamos brincar! O verão é tempo de alegria, de cantar e se divertir.
A formiga lhe respondeu:

-Não tenho tempo para diversões. O verão é tempo de colher para comer no inverno.

A cigarra protestou, que se quisesse comer, era apenas pegar uma folha de qualquer árvore, alimentar-se e seguir  a diversão. A formiga não lhe deu ouvidos, e seguiu seu trabalho.

Leia também: Histórias originais dos Contos de Fadas

O verão foi passando, todo dia a formiga carregava pesados mantimentos para sua casa, enquanto a cigarra cantava e dançava.

Então o inverno chegou. A formiga que trabalhara o verão inteiro estava com sua casa repleta de mantimentos, segura e aquecida para os longos meses de frio que viriam. Um dia ouviu uma batida em sua porta, foi atender e era a cigarra. Quase a morrer de fome, lhe suplicou abrigo e comida. A formiga então lhe perguntou o que fizera o verão inteiro, que não se preparou para o inverno.

-No verão eu cantei,  o calor era demais para trabalhar.

Ao que a formiga simplesmente lhe respondeu:

-Cantou é? Então agora dança!

Você conhecia essa fábula? Conta pra nós!

Leia Também: