Curiosidades

Conheça o curioso lago atômico cheio de água radioativa

Conheça o curioso lago atômico cheio de água radioativa

Durante a Guerra Fria, as autoridades soviéticas tiveram a “brilhante ideia” de explodir bombas nucleares em todo o nordeste do atual Cazaquistão para analisar a possibilidade de usar a energia nuclear para fins de construção, como mover a terra, criar canais e reservatórios, perfurar petróleo e assim por diante. Os testes foram realizados sob um programa que recebeu o nome de “Explosões Nucleares para a Economia Nacional”. Um dos testes mais conhecidos do projeto ocorreu em janeiro de 1965 em Chagan, à beira da Área de Testes de Semipalatinsk, no Cazaquistão, que por sua vez originaria um lago de caraterísticas bastante incomuns.

O teste de Chagan foi projetado especificamente para analisar a adequação de explosões nucleares para a criação de reservatórios de água. De fato, essa foi a primeira e a maior de todas as detonações realizadas durante a existência do programa Explosões Nucleares para a Economia Nacional. Um dispositivo de 140 quilotons foi colocado em um buraco de 178 metros de profundidade no leito seco do rio Chagan para que a cratera represasse o rio durante períodos de alto fluxo. A explosão criou uma cratera de 400 metros de diâmetro e 100 metros de profundidade, sendo que um canal foi posteriormente cortado na cratera permitindo que ele e o reservatório ao lado se enchessem de água.

A explosão que deu origem ao lago.

O reservatório, conhecido informalmente como Lago Chagan, ainda existe até hoje com as mesmas características. Para se ter uma ideia, a água do local continua a ser radioativa, apresentando cerca de 100 vezes mais radiação do que o nível permitido na água potável. No entanto, na época de sua criação, o governo soviético estava orgulhoso do surgimento do Lago Chagan.

Quem vê assim até pensa que se trata de um lago “normal”.

Eles até fizeram uma gravação com um ministro do alto escalão do governo que tinha sido o responsável por todo o programa de armas nucleares soviético, nadando no lago da cratera e até mesmo usando a água para alimentar o gado na área. Obviamente, tempos depois eles perceberam que aquela água não deveria continuar a ser usada e consequentemente abriram mão da sua utilização para quaisquer fins.

Radioatividade na água permanece até os dias atuais.

Estima-se que cerca de 20% dos produtos radioativos emitidos pelo teste de Chagan escaparam da zona de explosão e até chegaram a ser detectados em áreas do Japão. Isso enfureceu os EUA por violarem as normas do Tratado de Proibição Total de Testes, de outubro de 1963, que proibia experimentos do tipo. Curiosamente, os soviéticos responderam dizendo que se tratava de “um teste subterrâneo e que a quantidade de detritos radioativos que escaparam para a atmosfera era insignificante”. No entanto, após várias discussões entre os países, o assunto acabou morrendo sem grandes desdobramentos.

Bizarro, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário com a gente!

Leia Também: