O incêndio que consumiu a Catedral de Notre-Dame de Paris nesta segunda-feira (15), acabou derrubando seu teto, sua torre e uma grande parte de sua estrutura até ser finalmente controlado na manhã da terça-feira (16). As autoridades ainda estão incertas sobre a causa do incêndio, mas a catedral estava passando por reformas, o que levanta a possibilidade de um acidente em meio à construção. Embora ainda haja muito o que investigar, especialistas em incêndios dizem que existem algumas explicações para o incêndio da Catedral de Notre-Dame ter se proliferado tão rapidamente.  Confira os três principais fatores levantados por eles a seguir!

1. A Catedral de Notre-Dame não está em grande forma há algum tempo




Construída no final do século 12, a catedral estava começando a mostrar sinais da sua “idade avançada”. Poluição, intemperismo e chuva ácida já haviam manchado as suas paredes e vários dos seus detalhes arquitetônicos. Além disso, houveram conflitos políticos sobre quem deveria pagar pela sua manutenção, o que causou o atraso de atividades como a remoção de poeira inflamável e a enceração da estrutura do telhado de madeira para evitar que ela secasse e consequentemente se tornasse passível de combustão.

2. O processo de reforma introduziu novos riscos de incêndio

Levar ferramentas elétricas, lâmpadas e equipamentos de solda para dentro de um edifício centenário aumenta bastante o risco de algum tipo de ignição. Esse é um risco que pode surgir em qualquer tipo de reforma nessa escala, mas ele se torna especialmente arriscado quando se trata de uma estrutura que não foi projetada tendo em mente a prevenção contra incêndios. Especialistas acreditam que a estrutura de andaimes também pode ter servido como combustível para o fogo.




3. Havia muito material combustível disponível

Embora a maior parte do que vemos de fora da Catedral de Notre- Dame seja feito de pedra e vidro, grande parte do seu interior é sustentado por madeira. No seu período de construção, os operários da catedral colheram mais de 5.000 carvalhos para construir as vigas, treliças e reforços para a estrutura de pedra com o objetivo de segurar o revestimento de chumbo de 200 toneladas do telhado. As próprias árvores tinham entre três e quatro séculos de idade quando foram colhidas, o que explica o fato de toda a estrutura de madeira do interior ter sido perdida no incêndio.

Uma verdadeira tragédia cultural, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!