Curiosidades, História

O Conde Drácula foi inspirado em uma pessoa real?

Publicado em 1897, o romance gótico de Bram Stoker, “Drácula”, deu início a um gênero muito bem-sucedido de literatura e cinema sobre vampiros, com todas aquelas figuras sinistras que usam seus poderes sobrenaturais para caçar seres humanos e beber seu sangue. Para criar seu personagem mais famoso, o Conde Drácula, Stoker certamente se baseou em contos populares da Europa Central sobre criaturas míticas, mas ele também parece ter sido inspirado em relatos históricos de um príncipe romeno do século XV chamado Vlad III, porém mais conhecido como “Vlad, o Empalador”. Que tal conhecer um pouco da história desse “Drácula da vida real”?

Quem era Vlad, o Empalador?

A vida no século XV, especialmente na fronteira entre o Império Otomano e a Europa cristã, era muitas vezes cruel e a experiência de Vlad III refletia isso. O pai de Vlad III, Vlad II, ganhou o apelido de “Dracul” por sua participação na Ordem do Dragão, uma fraternidade militante fundada pelo Sacro Imperador Romano Sigismundo e dedicada a interromper o avanço otomano na Europa. A subsequente reviravolta de Vlad II e sua submissão à autoridade otomana ajudaram-no a preservar seu próprio poder político, mas a um alto custo. Isso fez com que Vlad III e seu irmão mais novo fossem enviados como reféns para o tribunal do sultão otomano Murad II para garantir o cumprimento de Vlad II. O ganho territorial otomano levou o general húngaro János Hunyadi a intervir e, com o apoio dos boiardos (aristocratas), Vlad II foi deposto. Ele foi posteriormente executado e seu filho mais velho, Mircea, foi cegado e enterrado vivo.

Vlad, o Empalador, era um sujeito muito excêntrico para a sua época.

A fama de empalador

No entanto, Vlad III, que havia se irritado com a vida na corte otomana, retornou à Valáquia em 1448 e, aos 17 anos, começou a trabalhar para recuperar o voivodato (principado) da Valáquia. Como governante de Valáquia (hoje Romênia), Vlad se tornou notório pelas táticas brutais que empregava contra seus inimigos, incluindo tortura, mutilação e assassinato em massa. Embora ele não se esquivasse de estripar, decapitar, ferver ou até mesmo esfolar suas vítimas, seu método preferido era empalar, que consiste em empurrar uma estaca de madeira através de seus corpos para deixá-los morrer ao ar livre. Para se ter uma ideia, durante sua campanha contra invasores otomanos em 1462, Vlad supostamente empalou cerca de 20.000 vítimas nas margens do Rio Danúbio.

O empalamento era o método de tortura preferido de Vlad.

Fim e legado

Posteriormente capturado pelas forças húngaras e preso, ele foi finalmente capaz de recuperar o seu posto de governante em 1476, apenas para ser morto em batalha no mesmo ano. Alguns relatos particularmente macabros afirmavam que Vlad gostava de jantar entre os corpos empalados de suas vítimas, e até mergulhava seu pão no sangue dos inimigos. Esses detalhes sangrentos, assim como seu nome legalmente adotado (Drácula) e seu local de nascimento (Transilvânia), convenceram muitos estudiosos de que Vlad, o Empalador, foi a pessoa que serviu como inspiração parcial para a criação do famoso vampiro de Stoker.

Interessante, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: