Curiosidades

Conheça os carros conceituais do século passado com os interiores mais inusitados

Conheça os carros conceituais do século passado com os interiores mais inusitados

Se analisarmos com atenção a longa história da tecnologia automotiva, podemos facilmente constatar que alguns carros conceituais bastante interessantes e incomuns nunca sequer chegaram ao mercado. A maioria desses protótipos foram projetados nos anos 70 e 80, quando os fabricantes de automóveis aparentemente pensavam que seria uma boa ideia deixar de colocar botões nos volantes para torná-los “um pouco mais operacionais”.

De fato, seria uma pena deixar que todas estas ideias surpreendentes caíssem no esquecimento. Por isso, resolvemos compilar aqui no TriCurioso uma lista dos carros conceituais do século passado com os interiores mais bizarros. Você vai ver que a definição de um carro futurista compartilhada pelos fabricantes da época pode ser bem mais inusitada (e até mesmo assustadora) do que muita gente imagina. Confira!

7. Citroen Karin (1980)

O Citroen Karin ganhou destaque na época de sua apresentação por trazer um conceito de carro exclusivo até então, apresentando três lugares, de modo que o motorista ficaria posicionado no centro. Consequentemente, o seu interior também apresentava um visual bem incomum, incluindo alguns detalhes questionáveis como um volante que adotava uma forma que supostamente poderia oferecer o fácil acesso aos botões de controle localizados no meio.

Curiosamente, o carro também não oferecia painel de instrumentos. Em vez disso, o volante se projetava para o corpo do motorista através de uma longa coluna. Por conta desses detalhes, podemos considerar que o interior do Citroen Karin é peculiar e incomum o suficiente para ganhar um lugar na nossa lista.

6. Maserati Boomerang (1971)

Este interior que você pode ver na imagem acima foi a brilhante ideia do lendário designer Giorgetto Giugiaro. A parte exterior do carro até acabou sendo muito bem aproveitada, já que mais tarde viria a se tornar parte integrante do popular Maserati Bora, mas por outro lado, o seu interior não teve tanto sucesso assim.

Para início de conversa, qualquer pessoa ficava surpresa com o volante extremamente incomum que essa máquina apresentava. A coisa toda foi montada em uma estranha protuberância tubular sobressaltante do painel. Além disso, o aglomerado de mostradores no volante é um tanto inútil, já que não conta com um velocímetro, mas apenas com o indicador de rotação, os medidores de combustível e uma infinidade de botões e chaves.

5. Mazda MX-81 Aria (1981)

A ideia da concepção de um carro futurista no início dos anos 80 era algo tão sistemático que a primeira questão que vem à nossa mente ao vermos o interior de um Mazda MX-81 Aria pode ser alguma pergunta sobre o paradeiro do volante desse veículo. Pois bem, acredite ou não, não há nenhum volante nesse carro! Em vez disso, ele foi substituído por uma estrutura retangular que mais se parece com uma pequena televisão.

Supostamente, isso foi feito para economizar espaço e tornar a experiência de dirigir mais confortável. No entanto, convenhamos que é um tanto difícil imaginar como isso facilitaria a operação do tal veículo. Sem muitas surpresas, esse carro nunca viu a linha de produção, embora outros modelos da Mazda tenham se inspirado consideravelmente em seu design exterior.

4. Oldsmobile Incas (1986)

Este modelo foi inspirado no Ford Maya de 1974, que por sua vez também tinha um interior bem inusitado. O Oldsmobile Incas chamava a atenção por ter cinco portas e contar com 230 cavalos de potência, além de apresentar um aspecto aerodinâmico com faróis retrácteis. No entanto, o seu interior se destacava ainda mais, pois parecia ser algo tirado de dentro de um jato.

O volante foi realmente inspirado em um manche aeronáutico e oferecia um giro máximo de direção de 90 graus, o que supostamente ajudava a tornar o carro mais ágil e “divertido” de dirigir. Além de um conjunto de indicadores do painel extremamente interessante, o carro apresentava um interior polido com poltronas confortáveis e uma vista externa sem restrições, cortesia do pára-brisa curvado. Bem futurista, não?

3. Lancia Stratos Zero (1970)

O Stratos Zero foi conceituado pelo mesmo grupo de design que pensou no já mencionado Mazda MX-81, mas com um objetivo diferente: tentar ser o mais minimalista possível. De fato, o exterior do carro era quase perfeitamente plano, sem portas. Para entrar, o pára-brisa dianteiro precisava ser levantado. Estranho, não? Pois bem, as coisas ficam ainda mais estranhas por dentro!

No seu interior, um volante que mais parecia uma bola com um anel em volta, além de um questionável mostrador verde e o interior minimalista e escuro sem painel tornaram este carro extremamente inusitado. Na verdade, para dirigir esse carro o motorista precisava assumir uma posição reclinada com as pernas praticamente “abraçando” o volante.

2. Lancia Sibili Concept (1978)

Quando se trata dos interiores de carros estranhos, o Lancia Sibili Concept de 1978 consegue se destacar facilmente. Esse carro foi projetado como um protótipo futurista baseado no Lancia Stratos. O seu interior é coberto em couro e apresenta um volante de plástico com 3 botões vermelho enormes que controlam as funções básicas mais importantes, como os faróis.

Outra coisa que chama a atenção é que o painel tradicional foi descartado e substituído por um pequeno centro de informações localizado logo abaixo do para-brisa. Mas o volante, supostamente projetado para “encaixar perfeitamente na palma da mão”, é realmente a coisa que faz com que os amantes de carros fiquem surpresos.

1. Saab 9000 (1992)

Em 1992, a fabricante de carros sueca Saab decidiu explorar novos horizontes ao criar um carro operado por um Joystick em vez de um volante convencional, o que fazia parte de um programa europeu para construir veículos mais seguros, mais silenciosos e mais sustentáveis. Além disso, o tal joystick, montado no lado direito do motorista, substituia completamente os freios e o acelerador.Desse modo, é possível concluir que dirigir o protótipo Saab 9000 seria algo como voar com um jato de combate.

O sistema era bastante avançado para a época, já que o joystick ficava ligado a um computador e sua sensibilidade mudava com base na velocidade do carro. O motorista também tinha total autonomia para ajustar as configurações do joystick às suas preferências de direção. Mas mesmo com todas essas inovações, o projeto nunca vingou.

Na sua opinião, qual dos carros conceituais apresentados possui o interior mais inusitado? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: