Curiosidades

5 coisas que você provavelmente não sabia sobre as libélulas

5 coisas que você provavelmente não sabia sobre as libélulas

Você deve concordar comigo que os insetos voadores geralmente são bastante irritantes. Os mosquitos, por exemplo, são mestres em deixar marcas vermelhas e coceiras espalhadas por nossa pele. Já as abelhas e vespas costumam distribuir picadas sem dó. As moscas, por sua vez, são criaturas extremamente chatas e repugnantes. Mas por outro lado, as libélulas são seres essencialmente inofensivos e até “agradáveis”, de certo modo.

Com uma existência que remonta há cerca de 300 milhões de anos, as libélulas são consideradas alguns dos primeiros insetos a habitar este planeta. Por causa disso, elas tiveram muito tempo para aperfeiçoar a arte de voar e caçar, o que acabou tornando-as seres incríveis. De fato, esses aeronautas de olhos grandes adoram se alimentar de pragas, como mosquitos e moscas, façanhas pelas quais podemos ser verdadeiramente gratos.

No entanto, essas não são as únicas qualidades interessantes que tornam as libélulas tão fascinantes. A seguir, você pode ficar por dentro de cinco fatos curiosos que vão mudar a forma como você olha para esses insetos engraçados, antigos e incrivelmente variados. Confira!

5. As libélulas podem interceptar as presas em pleno ar

As libélulas são inimigas terríveis dos mosquitos e de outros pequenos insetos. Isso por que elas não apenas perseguem as suas presas, em vez disso, elas são capazes de interceptá-los em pleno ar com emboscadas aéreas minuciosamente calculadas. As libélulas podem avaliar a velocidade e a trajetória de um alvo e até mesmo ajustar o seu vôo para interceptar a presa. De fato, elas são tão habilidosas que têm uma taxa de sucesso de incríveis 95% quando caçam!

Uma pesquisa divulgada no The New York Times descobriu que o sistema nervoso de uma libélula apresenta uma capacidade quase humana de atenção seletiva, capaz de se concentrar em uma única presa que voa em meio a uma nuvem de insetos semelhantes, assim como um convidado em uma festa pode reconhecer um amigo enquanto ignora todas as outras pessoas ao redor.

Outros pesquisadores também já identificaram um tipo de circuito composto por 16 neurônios que conectam o cérebro da libélula ao seu centro motor de voo localizado no tórax. Com a ajuda desse pacote neuronal, uma libélula pode rastrear um alvo em movimento, calcular uma trajetória para interceptar esse alvo e sutilmente ajustar o seu caminho conforme necessário. Simplesmente fantástico, não é mesmo?

4. Elas têm mandíbulas incrivelmente afiadas

Como já deu pra perceber, a estratégia de caça dessas criaturas é impressionante, mas a habilidade das libélulas em destruir as presas com as suas mandíbulas leva a sua proeza predatória a um outro nível. É importante destacar que as libélulas são criaturas da ordem Odonata, que significa “dentados”, de modo que a razão por trás desse título curioso está estritamente relacionada às suas mandíbulas serrilhadas.

Quando caçam, as libélulas inicialmente arrancam as asas das presas com suas mandíbulas afiadas, fazendo com que os seus alvos não consigam escapar. A partir daí, elas até podem guardar o inseto capturado para um “lanche posterior”, caso não estejam com tanta fome assim na hora da caça.

Felizmente, as libélulas não mordem os seres humanos. Na verdade, a grande maioria das espécies não tem mandíbulas fortes o suficiente para romper a pele humana. Apenas uma pequena fração das espécies grandes é realmente capaz de causar algum dano aos humanos, mas isso geralmente só ocorre como uma estratégia defensiva. Por isso, não há necessidade de se preocupar enquanto você estiver andando em torno de um santuário de libélulas.

3. Elas são seres voadores diferenciados

Existem poucas espécies no reino animal que conseguem desempenhar uma habilidade de voo tão espetacular quanto as libélulas. Essas criaturas têm dois conjuntos de asas com músculos no tórax que fazem com que elas trabalhem cada asa independentemente. No fim das contas, isso faz com que esses incríveis voadores alterem o ângulo de cada asa e pratiquem certas piruetas no ar.

Vale destacar que as libélulas podem voar em qualquer direção, incluindo para as laterais e para trás. Elas até podem flutuar em um único ponto por um minuto ou mais, como se fossem pequenos helicópteros. De fato, esta incrível habilidade é uma das principais razões por trás do seu sucesso como exímios predadores de emboscadas aéreas, já que elas podem se mover na direção de presas desavisadas ao utilizar qualquer direção.

Curiosamente, elas não são apenas ágeis, mas também são relativamente rápidas, de modo que algumas espécies conseguem atingir uma velocidade máxima de 28 quilômetros por hora. Essas criaturas também são muito resistentes. Para se ter uma ideia, uma espécie de nome científico Pantala flavescens consegue voar através de um oceano durante a migração, registrando um deslocamento de 17 mil quilômetros, o que lhe confere o título de inseto com a maior migração do mundo!

2. A sua cabeça é repleta de olhos

Se você olhar para a cabeça de uma libélula com certa atenção, poderá notar uma coisa em particular, ou melhor, 30.000 coisas em particular! Isso porque a área da cabeça dos seres odonados é geralmente formada por enormes olhos compostos, que contêm 30.000 facetas, cada uma sendo responsável pela obtenção de informações sobre o que acontece nos arredores.

As libélulas têm uma visão de 360 graus, com apenas um ponto cego diretamente atrás delas. De fato, essa visão extraordinária é uma das razões pelas quais elas podem manter um controle invejável durante perseguições atrás de presas específicas, evitando colisões no ar com outros insetos.

1. Elas podem viver até 2 anos debaixo d’água

As libélulas depositam seus ovos na água, sendo que, quando as larvas eclodem, os recém-nascidos podem viver debaixo d’água por até dois anos. Na verdade, dependendo da altitude e latitude na qual se encontram, algumas espécies podem permanecer no estado larval por até seis anos antes de se transformarem nas libélulas que vemos no ar.

Elas são especialmente adaptadas para a vida aquática neste estágio, com a capacidade de capturar presas em condições adversas. Elas também podem comer uma enorme variedade de alimentos, incluindo outras larvas de insetos, girinos e até mesmo peixes minúsculos. E sim, elas também podem se deliciar com outras larvas de libélulas! Ou seja, esses caras são predadores em todos os sentidos!

Criaturas muito interessantes, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: