Curiosidades, Tecnologia

Por que não devemos colocar metais no forno de micro-ondas?

Por que não devemos colocar metais no forno de micro-ondas?

Imagine que, logo após acordar e se levantar da cama, você decide aquecer um determinado alimento no forno de micro-ondas para o café da manhã. Você coloca a tigela no aparelho, aperta o botão de iniciar e de repente entra em pânico quando observa um curioso fenômeno de faíscas semelhantes a mini-fogos de artifício explodindo no seu interior. A causa de tudo isso? A colher que você esqueceu dentro da tigela!

Embora os filmes possam fazer você acreditar que esse bizarro cenário elétrico pode levar a uma explosão do aparelho e tudo mais, a verdade é que colocar uma colher dentro do forno de micro-ondas não é algo tão violento assim, embora seja um tanto assustador. Mas por que exatamente os objetos feitos de metal geram faíscas quando são submetidos ao aquecimento de um dos eletrodomésticos mais icônicos do século XX? É isso o que vamos abordar ao longo desse post!

Entendendo como funciona um forno de micro-ondas

Para responder a isso, precisamos primeiramente entender como funciona um micro-ondas. Pois bem, para funcionar, esse pequeno aparelho eletrodoméstico depende de um dispositivo chamado “magnetron”, que é basicamente um tubo conectado a uma fonte de alta tensão. Este magnetron direciona as micro-ondas para a caixa de metal onde nossos alimentos são colocados. Por sua vez, essas ondas refletem as paredes de metal internas do forno e passam pelo papel, vidro e plástico, mas são absorvidas pela comida.

Mais especificamente, essas ondas são absorvidas pelo teor de água da comida. Essa absorção faz com que as moléculas oscilem para frente e para trás, criando calor e cozinhando a comida de dentro para fora ou uniformemente, dependendo de onde a água está. Para cada material, existem frequências particulares nas quais ele pode absorver as micro-ondas particularmente bem, sendo que 2.5 gigahertz é a frequência para a água. Como a maioria das coisas que comemos contém uma certa quantidade de água, esses alimentos absorvem energia das micro-ondas e são aquecidos.

Curiosamente, 2,5 gigahertz não é a freqüência mais eficiente para o aquecimento da água. Na verdade, essa frequência tornou-se padrão porque a empresa que inventou o micro-ondas, a Raytheon, notou que as frequências altamente eficientes eram “boas até demais” em seu trabalho. Desse modo, a água na camada superior de um alimento muito líquido, como uma sopa, absorveria todo o calor, então apenas os primeiros centímetros do alimento ficariam aquecidos, deixando uma boa parte doa comida totalmente fria.

Tá, mas por que os objetos de metal “soltam faíscas” no micro-ondas?

Agora que já compreendemos o funcionamento básico do micro-ondas, vamos abordar a questão principal do post. Pois bem, quando as micro-ondas interagem com algum material metálico, os elétrons na superfície desse material acabam sendo “respingados”. Na prática, isso não causa nenhum problema se o metal estiver todo “liso”. Mas nos casos onde há uma borda, como nos dentes de um garfo, as cargas podem se acumular e resultar em uma alta concentração de voltagem.

Se essa concentração de voltagem for alta o suficiente, a carga exercida pode “arrancar” um elétron de uma molécula no ar, criando uma faísca e uma molécula ionizada (ou carregada). As partículas ionizadas absorvem micro-ondas ainda mais facilmente do que a água, então uma vez que uma determinada faísca aparece, mais micro-ondas são absorvidas, ionizando ainda mais moléculas, fazendo com que a faísca cresça e transforme-se em uma espécie de “bola de fogo”.

Geralmente, esse evento pode ocorrer apenas com os objeto de metal que possuem arestas irregulares. É por isso que, se você pegar uma folha de alumínio e colocá-la em um círculo plano, ela pode não acender. No entanto, se você enrolar a mesma folha de alumínio para fazer uma pequena bola, vai perceber que ela irá acender muito rapidamente.

Portanto, o metal em si não é o único motivo pelo qual ocorre a deflagração de faíscas. Em vez disso, é a forma do objeto que realmente é a principal culpada. Objetos com bordas mais nítidas causam faíscas mais brilhantes, enquanto aqueles com bordas arredondadas são mais seguros. No entanto, é importante deixar claro que usar qualquer tipo de metal para aquecer alimentos não é uma boa ideia, a menos que você queira acabar com as mãos queimadas por conta disso.

Essas faíscas podem causar algum problema ao forno de micro-ondas?

Se esse “espetáculo de faíscas” ocorrer com muita frequência, ele realmente pode queimar pequenos orifícios na parede de metal do micro-ondas, destruindo assim o eletrodoméstico. De fato, isso pode tornar o forno de micro-ondas praticamente disfuncional, reduzindo de forma significativa a “expectativa de vida” deste aparelho de cozinha.

Por outro lado, vale destacar que algumas sopas, pizzas e tortas de micro-ondas são embaladas com uma fina camada metálica sob uma tampa não metálica. Essencialmente, os fabricantes fazem isso porque sabem muito bem que a comida presa contra o metal tende a ficar cozida muito mais rapidamente. No entanto, se você deixar essas mesmas embalagens no micro-ondas por alguns minutos a mais do que deveria, elas podem pegar fogo.

Outras coisas também podem provocar faíscas no micro-ondas

Por incrível que pareça, os objetos de metal não são os únicos objetos que podem gerar um show de luzes dentro de um microondas. Alguns vídeos postados na internet também já mostraram uvas cortadas ao meio produzindo faíscas espetaculares de plasma, um gás de partículas carregadas. Vários “detetives virtuais” buscaram uma explicação, muitos deles sugerindo que isso tinha a ver com um acúmulo de carga elétrica como em um metal. No entanto, testes científicos apontam para algo ainda mais interessante.

Ao encher esferas de hidrogel (um polímero superabsorvente usado em fraldas descartáveis) com água, pesquisadores descobriam que a geometria era o fator mais importante na geração de faíscas em objetos parecidos com uvas. Esferas de tamanho semelhante a essas frutas acabam sendo excelentes concentradores de micro-ondas, provocando uma maior geração de faíscas.

Na prática, o tamanho das uvas faz com que a radiação das micro-ondas se acumule dentro das minúsculas frutas, resultando em energia suficiente para extrair um elétron do sódio ou do potássio de dentro da uva, criando uma faísca que se transforma em plasma. Muito interessante, não?

E você, já esqueceu algum objeto de metal dentro do forno de micro-ondas? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: