Curiosidades

7 coisas que você não deve fazer em um carro com câmbio manual

7 coisas que você não deve fazer em um carro com câmbio manual

Optar por um veículo com transmissão manual confere uma experiência de condução muito diferente da oferecida pelos veículos de câmbio automático. De fato, alguns podem até considerar dirigir um carro manual como um verdadeiro teste para se tornar um “motorista real”. No entanto, boa parte da população ainda parece desconhecer que certos costumes podem atrapalhar (e muito) o bom funcionamento dos veículos de câmbio manual.

Pensando nisso, nós do TriCurioso resolvemos listar os hábitos mais cruciais e prejudiciais que devem ser evitados ao dirigir um carro com transmissão manual. Muitas dessas regras são situacionais e exigirão uma análise um pouco mais profunda, enquanto outras são muito óbvias. Então, sem mais delongas, vamos à lista das coisas que você NUNCA deve fazer ao dirigir um carro com câmbio manual. Confira!

7. Tentar trocar de marcha sem pisar na embreagem

Para qualquer motorista minimamente experiente, isso pode parecer muito óbvio, afinal de contas, as funções da embreagem correspondem exatamente à troca de marchas. No entanto, isso não diminui o fato de que até mesmo o engate “atrasado” ou “mal feito” da embreagem durante a troca de marchas também pode trazer consequências negativas bastante significativas para a caixa de câmbio.

Vale destacar que empurrar a alavanca de câmbio enquanto o carro não estiver funcionando não fará muita diferença, mas lembre-se de que a embreagem está lá por um motivo. Além disso, embora seja possível utilizar técnicas de correspondência de rotações para acionar uma mudança de marchas sem engatar a embreagem, isso poderá resultar em um desgaste severo das engrenagens, o que consequentemente reduzirá drasticamente a vida útil da transmissão.

6. Frear sem acionar a embreagem

Este é um assunto bem mais complexo. Para uma desaceleração rápida e em um curto espaço, a frenagem não exige que a embreagem seja engatada. De fato, não tocar na embreagem pode, na verdade, até melhorar o poder de frenagem do carro, pois ajuda a ativar a resistência natural do motor. No entanto, se você frear frequentemente em uma marcha mais alta ou se usar o freio para parar o veículo completamente sem usar a embreagem, problemas poderão ocorrer a longo prazo.

Normalmente, quando você freia e desacelera o veículo, a rotação do motor tende a diminuir com o carro e, se ela ficar muito baixa, o carro irá parar, podendo até deixar o motor “morrer”. Portanto, é importante engatar a embreagem para prevenir que isso aconteça.

5. Descansar a mão sobre a alavanca de câmbio

Nem todo mundo sabe disso, mas o fato é que existe um bom motivo pelo qual muitos instrutores de direção gostam de insistir na tese de que seus alunos devem manter as duas mãos no volante enquanto dirigem. No caso dos carros de transmissão manual, a tendência de descansar a mão na alavanca de câmbio entre a passagem de marchas não é algo incomum. No entanto, o que pouca gente sabe é que isso pode resultar em danos e desgastes significativos nas engrenagens da transmissão.

Na prática, isso ocorre porque a alavanca de câmbio está diretamente conectada ao garfo seletor, que quando é pressionado continuamente pode esfregar contra as engrenagens e os sincronizadores, causando um desgaste prematuro da transmissão.

Na pior das hipóteses, a coisa pode até quebrar, até porque a transmissão é uma parte do carro cuja tecnologia é muito complexa e delicada. Portanto, é melhor manter as duas mãos no volante durante todo o tempo possível e não pressionar desnecessariamente a alavanca de câmbio a todo momento.

4. Usar a embreagem em vez do freio de mão para segurar o carro em uma via inclinada

Liberar lentamente a embreagem em uma parada pode criar o que é conhecido como “ponto de mordida da embreagem”, que é basicamente um ponto em que o disco da embreagem engata no disco do motor. Quando essa técnica é aplicada a um veículo posicionado em um lugar inclinado, o mesmo ponto tende a não mover o carro, até ajudando a mantê-lo em posição, assim como faz o freio de mão.

No entanto, isso deve ser evitado, pois promove tensão e atrito constantes e desnecessários nos discos mencionados, causando um desgaste prematuro. De fato, há uma boa razão pela qual o carro vem equipado com freios de mão e freios regulares. Por conta disso, parar de usar a embreagem como freio de mão pode ser uma boa maneira de escapar de uma visita precoce ao mecânico.

3. Descansar o pé no pedal da embreagem

Algo muito comum entre os jovens condutores, o hábito de descansar o pé no pedal da embreagem é uma maneira fácil de desgastar o disco da embreagem em pouco tempo. Essa pressão excessiva no pedal da embreagem, mesmo quando este não está sendo usado, pode causar danos consideráveis ao veículo. Curiosamente, existem várias razões pelas quais isso pode ocorrer e uma delas é o posicionamento incorreto do assento.

Se o assento for colocado muito perto do volante ou ajustado incorretamente, o motorista pode tender a manter o pé pressionado contra o pedal da embreagem, ainda que inconscientemente. Uma maneira de evitar isso, além do ajuste correto do assento, é adquirir o hábito de colocar o pé no apoio para os pés próximo à embreagem.

2. Manter o carro engatado no sinal vermelho

Dirigir nas grandes cidades significa encontrar uma tonelada de luzes vermelhas. Portanto, muita gente gosta de manter a embreagem pressionada, o que infelizmente pode causar uma enorme quantidade de desgaste ao longo do tempo. Nesse caso, o dano ocorrerá principalmente nas molas e nos rolamentos dentro da embreagem.

Outros riscos adicionais incluem liberar acidentalmente a embreagem e bater no carro na sua frente ou nas pessoas que atravessam a rua. Por isso, recomenda-se mudar para o neutro e liberar a embreagem enquanto estiver no semáforo, além de engatar o freio de mão para garantir que o carro não vá a lugar algum.

1. Subir de marcha apenas quando a RPM do carro está muito alta

Uma das razões pelas quais muitas pessoas gostam dos carros de câmbio manual é a capacidade de ouvir o forte som do giro do motor quando a RPM está alta. Uma RPM mais alta geralmente significa que o carro está produzindo mais potência, mas também indica que é hora de mudar para uma marcha mais alta.

Portanto, o ato de atrasar a passagem de marchas sob essas circunstâncias, pode resultar em um superaquecimento ou até mesmo no “estouro” do motor. Inversamente, a mudança de marcha quando a rotação do motor está muito baixa pode fazer com que o carro perca potência, o que representa um perigo se o veículo estiver preso no trânsito ou em alta velocidade.

E você, prefere carros com câmbio manual ou automático? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: