Curiosidades

Qual o maior animal que uma cobra pode engolir?

Qual o maior animal que uma cobra pode engolir?

Se você visita o YouTube com uma certa frequência, muito provavelmente já deve ter notado que, entre as principais pesquisas sugeridas na plataforma de vídeos do Google, a sugestão “cobra engolindo animal” sempre costuma aparecer, o que por si só já dá uma ideia do nosso curioso fascínio pelo assustador e pelo nojento.

Canecas para Presente

Algumas das sugestões são extremamente grosseiras, como “cobra come sapo vivo”, enquanto algumas são difíceis de imaginar, como “cobra come porco-espinho”. Por outro lado, algumas são ainda mais inusitadas, como “a cobra que se come”. No entanto, o maior grupo de sugestões enfatiza um tema em particular: o tamanho da criatura.

Qualquer pessoa com uma sensibilidade macabra e alguns minutos de sobra pode assistir a uma cobra devorar animais grandes como jacarés, cervos, porcos, crocodilos e até mesmo uma vaca. Mas, afinal de contas, qual é o maior animal que uma cobra pode devorar? É exatamente essa questão que vamos abordar em detalhes ao longo desse post!

Como é a nutrição e os hábitos alimentares das cobras?

As cobras são criaturas extremamente bem-sucedidas. Exceto por algumas ilhas e os cantos mais frios do globo, o habitat das cobras abrange praticamente todo o planeta. Elas também são incrivelmente diversas, podendo ser encontradas tanto em água salgada quanto em água doce. Existem cobras que vivem no solo e existem cobras que vivem em árvores. Consequentemente, há também uma tremenda variação no que as cobras comem. Você pode encontrar cobras que comem minhocas, moluscos e grandes presas, incluindo mamíferos inteiros.

Assim, podemos concluir que as cobras têm uma relação incomum com a comida. Sem a incômoda necessidade de produzir calor corporal, uma cobra pode consumir muito menos calorias do que a maioria dos outros animais de sangue quente que tem o mesmo tamanho. Os pesquisadores estimam que as cobras fêmeas podem se manter vivas e reproduzir mesmo consumindo menos de 3% da quantidade de presas que um animal de sangue quente de tamanho semelhante precisaria, de acordo com um estudo publicado em 1988 na revista Oecologia.

Só que, embora as cobras possam usar sua energia com eficiência, elas ainda precisam comer, obviamente. No entanto, elas não compartilham algumas características que outros animais usam para se alimentar. Por exemplo, por ser um animal sem membros, uma cobra não consegue manter a sua refeição armazenada por dias, por isso deve comê-la o mais rápido possível. Outro detalhe é que as cobras também não possuem dentes devidamente serrilhados para rasgar a presa e dentes achatados o suficiente para mastigar, ou seja, engolir tudo é a melhor coisa que elas têm a fazer na hora do rango.

De fato, a capacidade de comer presas grandes não é algo incomum se levarmos em conta toda a trajetória de evolução das cobras. Embora os pesquisadores ainda tenham dúvidas sobre a árvore genealógica dessas criaturas, as evidências sugerem que diferentes linhagens de cobras desenvolveram independentemente características semelhantes que as permitem capturar, engolir e digerir suas presas de uma forma que nenhum outro animal consegue fazer.

Como as cobras conseguem abrir a boca de uma forma tão exagerada?

Ao contrário da crença popular, as cobras não deslocam suas mandíbulas. Em vez disso, elas usam uma espécie de coleção especializada para predação que inclui ossos, ligamentos e músculos ligados ao crânio para abrir as suas bocas incrivelmente largas, o que permite que elas possam caçar animais que podem ser significativamente maiores do que seus próprios corpos. É o tamanho dessa abertura que coloca um limite superior ao tamanho da presa que uma cobra pode comer, podendo variar de espécie para espécie.

É importante destacar que a mandíbula das cobras não está necessariamente presa ao crânio, mas conectada aos seus ligamentos. Assim, elas têm uma estrutura da mandíbula com ligamentos muito flexíveis que lhes permitem esticar a boca cada vez mais. Depois de esticar as mandíbulas sobre a sua refeição, o próximo passo da cobra é mover a presa pelo trato digestivo serpentino, onde os sucos digestivos no estômago podem começar a quebrar os tecidos.

Ao comer presas menores, uma cobra pode usar suas mandíbulas para empurrar um verme ou roedor para o trato digestivo, mas para refeições maiores, as cobras usam os ossos na cabeça e na mandíbula para devorar a presa o mais rápido possível.

Tá, mas quais são os maiores animais que uma cobra pode engolir?

Depois de explorarmos uma boa parte da anatomia das cobras e dos seus hábitos alimentares, finalmente chegou a hora de descobrirmos quais são os maiores animais que essas criaturas podem comer. Pois bem, veados e vacas estão entre os maiores animais que as cobras geralmente conseguem engolir.

Em 2018, uma píton birmanesa encontrada Flórida e que pesava cerca de 14 kg, engoliu um jovem cervo de cauda branca que pesava 16 kg, a maior proporção de peso de presa e predador já documentada para essa espécie de serpente e talvez para qualquer espécie de píton, de acordo com a Conservancy of Southwest Florida. No entanto, a cobra morreu logo depois de regurgitar o cervo. Acho que isso ilustra muito bem aquilo que o povo fala sobre “morrer pela boca”, não é mesmo?

No entanto, a variação individual no tamanho, na forma da presa e no tamanho da abertura dessas criaturas torna quase impossível saber com certeza qual é o maior animal que uma cobra pode engolir. Embora os humanos não estejam no topo da lista, nós também estamos entre os maiores animais que as cobras podem comer.

Em 2017, um homem de 25 anos foi comido por uma píton reticulada na Indonésia. Outro caso semelhante aconteceu no ano passado, quando uma pobre mulher de 54 anos foi aparentemente morta e comida por uma píton gigante, também na Indonésia. Felizmente, mortes desse tipo são extremamente raras.

Para fim de conversa, é importante deixar claro que, embora algumas cobras prefiram fazer um grande banquete com jacarés, vacas e até mesmo seres humanos, a maioria delas se contenta perfeitamente com minhocas e pequenos roedores. De fato, é se alimentado desses animais menores que elas acabam desempenhando um papel importante na manutenção do equilíbrio nas redes e dos ecossistemas alimentares da Terra.

Interessante, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: