Curiosidades

7 fatos curiosos sobre Vlad III, o verdadeiro Conde Drácula

7 fatos curiosos sobre Vlad III, o verdadeiro Conde Drácula

A Romênia é uma das joias escondidas da Europa. Muitos viajantes estrangeiros que passam pelo velho continente esquecem de incluir esse país em seus itinerários e nunca percebem o que estão perdendo. Além de ter marcos espetaculares e paisagens naturais impressionantes, a Romênia chama a atenção por também abrigar a lenda do Drácula. E quando eu falo em Drácula, não estou citando o personagem fictício do romance de Bram Stoker, mas sim o Drácula da vida real!

Canecas para Presente

Príncipe do antigo reino da Valáquia, Vlad III (também conhecido como Vlad, o Empalador) é uma das figuras mais controversas e fascinantes de toda a história humana. Embora muito de sua vida ainda permaneça rodeada de mistérios, ainda assim é possível explorarmos alguns fatos interessantes sobre esse homem rodeado de mistérios. Com isso em mente, listamos abaixo sete fatos curiosos sobre Vlad III, o Drácula da vida real.

7. Ele foi um príncipe que governou a província da Valáquia em três oportunidades

Por mais que seja considerado o “verdadeiro Drácula”, Vlad III não era um vampiro que aterrorizava aqueles que tentavam entrar no seu castelo. Na verdade, ele era um príncipe romeno que chegou a governar o reino da Valáquia, que hoje corresponde à parte sul do país. Durante sua vida, ele governou o reino três vezes, todas elas durante o século XV.

Em muitos casos, ele também costuma ser chamado de Vlad Tepes, pois Tepes é a tradução romena para “o Empalador”. Se você está curioso para saber o motivo pelo qual ele era chamado de “o Empalador”, saiba que chegaremos a esse tópico em breve!

6. Seu pai fazia parte de uma entidade secreta de cavaleiros

Às vezes, o príncipe Vlad também é chamado de Drácula, um nome que agora é sinônimo de uma criatura morta-viva das histórias de terror. No entanto, o que pouca gente sabe é que a palavra “Drácula” é derivada do termo “Dracul”, que na língua romena significa “o diabo”. Além disso, o próprio pai de Vlad já era conhecido por esse apelido antes mesmo do filho também recebê-lo.

Vale destacar que o pai de Vlad fazia parte de uma entidade secreta de cavaleiros conhecida como Ordem do Dragão, que na prática era uma sociedade religiosa criada pelo Sacro Império Romano, segundo o site oficial do turismo da Romênia. Por causa da associação romena entre diabo e dragões, esse apelido acabou surgindo.

5. Ele cresceu como um refém

À medida que ficava adulto, Vlad passou a fazer algumas coisas bastante controversas. Embora suas ações até fossem elogiadas na Romênia, elas eram bastante criticadas em outras partes da Europa. Mas o que é mais interessante é que qualquer brutalidade que ele demonstrava durante seu reinado pode ter decorrido do fato de que ele teve uma educação muito dura. De fato, no início de sua vida, Vlad foi enviado com seu irmão para viver em Constantinopla como refém do sultão local.

Enquanto ele era mantido refém no que hoje é a cidade turca de Istambul, Vlad testemunhou algumas atrocidades que impactaram sua visão geral do mundo. Ele só foi libertado do encarceramento depois que seu pai foi assassinado, mais especificamente no ano de 1447.

4. Seu método de punição favorito era o empalamento

Talvez a coisa mais cruel que Vlad veio a aprender durante o seu tempo com os turcos em Constantinopla foi um método de punição conhecido como empalamento. Na prática, o empalamento envolvia permitir que os criminosos morressem lentamente, depois de serem empalados com os seus corpos apoiados em grandes estacas. O empalamento se tornou o método de punição favorito de Vlad, o que lhe rendeu o apelido de Vlad, o Empalador.

Canecas para Presente

Quase todos os crimes cometidos sob o seu reinado, desde furtos a assassinatos, eram punidos com um empalamento público. O mais interessante é que esse método até provou ser eficaz na redução da taxa de crimes durante o reinado de Vlad, pois muitos cidadãos ficavam com medo do que poderia acontecer com seus corpos caso eles tentassem violar a lei.

3. Alguns romenos veem Vlad como um herói

Embora Vlad seja geralmente lembrado como um governante cruel e maligno nos registros históricos ocidentais e turcos, ele ainda é visto como um herói por boa parte da população da Romênia. Alguns estudiosos acreditam que tal fama é decorrente do fato de que ele conseguiu reduzir o crime e a corrupção durante seu reinado, ainda que seus métodos fossem extremamente controversos.

Além disso, Vlad defendeu seu país dos invasores turcos que avançavam para o território romeno enquanto estava no trono, sem falar que o comércio e a cultura da nação floresceram sob o seu regime. De fato, se você viajar para a Romênia, vai se deparar com estátuas e tributos especialmente dedicados a Vlad, o que é algo bem curioso, visto que outros países europeus o consideram um dos homens mais terríveis de toda a história.

2. Alguns detalhes da sua imagem difundida pelo mundo não são verídicos

A Transilvânia é amplamente associada à lenda do Drácula, assim como o Castelo de Bran. De fato, esses locais servem de cenários para o romance de Bram Stoker, levando muitos a acreditar que Vlad realmente viveu por lá. No entanto, de acordo com o site Live Science, o príncipe da Valáquia nunca possuiu nada na Transilvânia.

Outro fato curioso envolvendo Vlad é que os alemães da época alegavam que ele gostava de mergulhar seu pão no sangue de suas vítimas depois de empalá-las. Isso provavelmente contribuiu para a disseminação da figura do Drácula que temos hoje: um vampiro que bebe sangue. No entanto, os historiadores romenos geralmente argumentam que isso, juntamente com os rumores de que Vlad comia carne humana, não passavam de propaganda.

1. O paradeiro dos seus restos mortais ainda é motivo de debate

Muitas coisas sobre Vlad III permanecem sendo um mistério até os dias de hoje, incluindo seu local de descanso final. Embora alguns sítios tenham sido apontados como os verdadeiros locais que abrigam os seus restos mortais, os historiadores ainda questionam a validade dessas alegações. Alguns acreditam que ele está enterrado em um mosteiro nos limites de Bucareste. Esse mosteiro está localizado na comuna de Snagov e fica em uma pequena ilha no meio de um lago.

Por outro lado, há também quem acredite que os restos mortais de Vlad estejam enterrados no Mosteiro de Comana, localizado entre Bucareste e o Rio Danúbio. Esse local chama a atenção por realmente ser o mais próximo do lugar onde ocorreu a batalha em que Vlad perdeu a vida.

E você, já conhecia a história do “verdadeiro Drácula”? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: