Curiosidades, História

4 histórias curiosas envolvendo grandes samurais

4 histórias curiosas envolvendo grandes samurais

Por quase 700 anos, o poder dos samurais dominou o Japão feudal, fazendo com que esses guerreiros se transformassem em verdadeiras lendas da história asiática. Antes que o mundo ocidental fizesse contato com o Japão, o país era segmentado em vários estados feudais. Tecnicamente, havia um imperador, mas durante a maior parte do último milênio, o imperador governava apenas em nome. Na prática, eram os daimyo, os líderes individuais de cada cidade-estado, que realmente controlavam o país.

À disposição do daimyo estavam os samurais, um grupo de guerreiros quase imparáveis e altamente disciplinados que mantinham os princípios do trabalho duro, da lealdade e do respeito que formaram a base da sociedade japonesa moderna. Porém, antes de tudo, os samurais eram exímios lutadores. Utilizando um conjunto de ferramentas que faziam os cavaleiros medievais parecerem totais idiotas, os samurais figuraram na sociedade japonesa desde o século XII até o final da década de 1860.

Com isso em mente, listamos aqui algumas das histórias de samurais mais curiosas da história, o que nos ajuda a entender um pouco mais da vida dos homens e mulheres que ajudaram a moldar o Japão que conhecemos hoje.

4. Tomoe Gozen: a guerreira samurai que levou sete cabeças de rivais para sua casa após uma batalha

Em um campo quase totalmente dominado por homens, Tomoe Gozen começou sua vida como uma concubina de um dos mais famosos daimyo da história, Minamoto no Yoshinaka. Adepta do arco e flecha e da espada longa, Tomoe Gozen começou a ficar conhecida no campo da luta quando entrou em batalha à frente do exército de Yoshinaka.

No entanto,o auge da sua fama viria através da Batalha de Yokotagawara, em 1181, quando Tomoe Gozen supostamente reuniu as cabeças de sete guerreiros e decidiu levá-las para a sua casa. Além disso, na Batalha de Uchide no Hama, em 1184, ela liderou 300 de suas tropas na batalha contra um exército de 6.000 soldados inimigos.

3. Minamoto no Tametomo: um dos maiores arqueiros que o mundo já viu

Várias histórias dão conta de que o samurai Minamoto no Tametomo nasceu com um braço que tinha alguns centímetros a mais do que o outro, uma deformidade genética que lhe permitia fazer tiros de arco e flecha mais poderosos do que qualquer outro homem. De fato, diz a lenda que ele era praticamente invencível quando estava montado em um cavalo.

Ao longo dos séculos em que permaneceu na ativa, Minamoto no Tametomo tornou-se um verdadeiro ícone da força e da destruição. Para se ter uma ideia, diz a lenda que ele supostamente teria afundado um navio do clã Taira com apenas uma única flechada, que por sua vez teria acertado a embarcação abaixo da linha da água.

Curiosamente, ele chegou a encontrar forças superiores em sua viagem de volta ao Japão, mas nem por isso se rendeu. Em vez de ser capturado, ele cometeu seppuku, uma prática suicida comum entre os samurais que consideravam a sua vida como uma entrega à honra de morrer gloriosamente, rejeitando cair nas mãos dos seus inimigos.

2. Date Masamune: o samurai caolho que se transformou em um guerreiro implacável

Nascido em 1566, Date Masamune contraiu varíola quando ainda era criança. Como uma forma de impedir a infecção de se espalhar pelo corpo, conta a história que ele resolveu arrancar o seu olho direito. Posteriormente apelidado de “Dragão Caolho”, Date Masamune tornou-se um grande líder nos campos de batalha já aos 14 anos e se consagrou como um governante definitivo do clã Date aos 17 anos.

Na prática, Masamune era aquele tipo de cara que ninguém queria mexer. Ainda assim, em resposta a uma ofensiva de Masamune que liderava seus soldados em uma turnê de estupro e saques, um senhor da guerra rival chamado Hatakeyama Yoshitsugo tomou o pai de Masamune como refém, chegando ao ponto de usar o velho como um escudo humano no campo de batalha.

O pai de Masamune, chegou a gritar para o filho abrir fogo, mesmo que isso significasse a sua própria morte. No entanto, Masamune hesitou, ao mesmo tempo em que viu seu pai ter a sua garganta cortada por Yoshitsugo. Sem muita surpresa, Masamune respondeu atacando Yoshitsugo com seu exército. Capturado, Yoshitsugo foi torturando e teve toda a sua família morta pelas mãos de Masamune.

1. Miyamoto Musashi: o espadachim incrivelmente habilidoso que desenvolveu o estilo de luta com duas espadas

Aos 13 anos (por volta de 1595), Miyamoto Musashi matou seu primeiro oponente, um samurai de uma vila vizinha. Embora Musashi estivesse armado apenas com uma espada de treino feita de madeira, ele matou o cara em menos de um minuto, jogando-o no chão e atingindo o samurai na garganta com tanta força que o rapaz supostamente morreu vomitando sangue. Logo depois, Musashi começou a viajar pelo país na esperança de aperfeiçoar sua técnica e se tornar o maior espadachim do Japão, o que realmente viria a acontecer.

Antes dos 20 anos, ele se destacou lutando ferozmente em várias batalhas e saindo ileso em todos os combates. Ele também deu início a uma tradição de vagar pelo país e procurar (para depois assassinar) qualquer um que fosse considerado um mestre da espada. Ele mesmo destruiu sozinho um famoso clã de espadachins, a família Yoshioka, em uma série de duelos. Por volta dessa época, Musashi também começou a empunhar duas espadas em combate, uma técnica completamente inédita na época.

Por volta de 1613, Musashi criou um verdadeiro nome para si mesmo, cortando alguns dos mais famosos duelistas do Japão. Foi então que ele encontrou Sasaki Kojiro, o homem que se tornaria o oponente mais temível de Musashi. Foi nesse ponto que Musashi jurou duelos letais para sempre.

A história de Musashi continuou nesse ritmo até 1645, quando ele começou a sentir que seu fim estava chegando. Em vez de sentar e esperar pela sua morte, Musashi se mudou para uma caverna e começou a escrever seu famoso “Livro dos Cinco Anéis”, que serve como o texto definitivo sobre o clássico jogo de espadas japonês até hoje. Ele também chegou a elaborar um guia para ser autossuficiente, o “Dokkodo”, antes de morrer.

Histórias sobre samurais são sempre interessantes, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: