Curiosidades, Tecnologia

5 coisas que você não sabia sobre o Bitcoin

5 coisas que você não sabia sobre o Bitcoin

Desde o início da era da Internet, várias empresas passaram a usar essa plataforma mundial para vender seus produtos para uma parcela cada vez maior da população mundial. De fato, muitos de nós compramos itens na Internet usando cartões de crédito ou contas bancárias. No entanto, ao longo dos anos, os desenvolvedores também tentaram encontrar uma maneira de criar uma moeda única apenas para o mercado digital. Em 2009, eles finalmente conseguiram isso com a introdução do Bitcoin.

Sites Responsivos e Profissionais

O Bitcoin conseguiu atrair uma grande atenção por ser uma criptomoeda descentralizada. Desse modo, o Bitcoin permite transações financeiras sem intermediários. No entanto, isso também deu origem a certas controvérsias, como grandes movimentos especulativos de oferta e demanda que influenciam na oscilação de seu valor no mercado de câmbio ou até mesmo a facilidade que o Bitcoin oferece no pagamento de transações no mercado negro, como na compra de drogas ilícitas e armas.

Pensando nisso, listamos aqui alguns fatos curiosos que você ainda pode desconhecer sobre o Bitcoin. Você vai ver que essa criptomoeda abrange coisas muito mais distintas do que parece.

5. A primeira transação de Bitcoin envolveu a compra de pizzas

Em meados de 2010, o Bitcoin ainda estava no início de suas operações, sendo que cada Bitcoin valia apenas alguns centavos de dólar. Em 18 de maio de 2010, um homem chamado Laszlo Hanyecz postou em um fórum dedicado ao Bitcoin que ele havia comprado duas pizzas pelas quais ele disse que havia pagado com 10.000 bitcoins. Essa transação entraria no histórico da Internet como a primeira vez que os Bitcoins foram realmente usados ​​para comprar algo.

Naquela época, ele achava legal que pudesse comer pizza por “nada” e continuou a comprar pizzas nos meses seguintes até ficar sem Bitcoins. No entanto, em meados de 2013, investidores e especuladores se interessaram pelo Bitcoin e começaram a negociá-lo em uma escala muito maior. Logo, o valor do Bitcoin começou a subir rapidamente ao se tornar uma mercadoria popular.

Para se ter uma ideia, um Bitcoin deixou de ser avaliado em alguns centavos para US $ 1.200 rapidamente. Ou seja, se Hanyecz tivesse gasto 10.000 Bitcoins em meados de 2014 em duas pizzas, elas teriam valido cerca de US $ 5 milhões!

4. Os Bitcoins criaram toda uma indústria de “mineração”

As “minas” de Bitcoin são onde os algoritmos complexos são resolvidos e os próprios Bitcoins são gerados. A maioria dessas minas está localizada na China, onde muitas vezes são instalações ocultas que operam fora da lei. Como resultado, as operações precisam ser altamente secretas.

No entanto, o maior problema disso tudo é que a mineração de Bitcoins é uma área altamente competitiva, exigindo hardwares especializados. Com a crescente dificuldade envolvida em toda essa questão criptográfica, tornou-se economicamente inviável utilizar CPUs comuns para a mineração, pois a energia elétrica consumida custa mais que a recompensa em Bitcoins gerada.

3. A verdadeira identidade do criador do Bitcoin ainda continua sendo um mistério

Tudo o que se sabe sobre o criador do Bitcoin é que ele supostamente se chama Satoshi Nakamoto. O mais curioso é que, assim como a moeda que ele inventou, Satoshi é quase completamente anônimo. Ele introduziu a moeda em 2009 e se comunicou com os primeiros usuários por e-mail, mas nunca por telefone ou pessoalmente. Mesmo após o aumento espetacular do Bitcoin, Satoshi continuou a permanecer nas sombras até desaparecer completamente em 2011.

Caneca para Presente

Em 2014, a revista Newsweek publicou uma matéria de capa alegando ter descoberto o verdadeiro Satoshi. Eles declararam que Satoshi era um engenheiro desempregado, com 60 anos de idade e que morava em um subúrbio de Los Angeles. Outra teoria que muitos acreditam na comunidade Bitcoin é que Satoshi é um homem americano de ascendência húngara chamado Nick Szabo. No entanto, Szabo nega que ele seja Satoshi, embora ele continue sendo uma das figuras-chave do Bitcoin.

Além disso, em maio de 2016, um empresário australiano chamado Craig Steven Wright afirmou ser o tal Satoshi, mas vários céticos imediatamente disseram que ele não era quem afirmava ser e que, se o verdadeiro Satoshi quisesse ser conhecido, não haveria dúvida quanto à sua identidade. Assim, a única coisa se sabe é que, no momento em que Satoshi desapareceu, ele tinha até então cerca de um milhão de Bitcoins, o que poderia facilmente valer centenas de milhões de dólares anos depois.

2. Os Bitcoins são voláteis por uma razão em particular

Desde que o Bitcoin foi lançado, o seu preço passou a subir e descer de uma forma bastante volátil, o que faz com que muitas pessoas fiquem com o pé atrás na hora de investir na criptomoeda. Basicamente, isso acontece porque o Bitcoin segue o princípio econômico de oferta e demanda, sendo que o curso de seu preço tende a ser determinado por isso.

Para se ter uma ideia, em meados de 2014 o preço do Bitcoin caiu 60%, fazendo com que muitos considerassem a queda como um sinal de que o Bitcoin iria colapsar totalmente. Porém, várias empresas do Vale do Silício começaram a investir em Bitcoins nesse mesmo ano, o que fez o seu valor subir novamente.

É exatamente por isso que, embora os preços continuem flutuando, muitos especialistas concordam que os Bitcoins provavelmente permanecerão no mercado por algum tempo, desde que mais empresas os adotem como forma de pagamento e a demanda permaneça em vigor.

1. Os Bitcoins podem entrar em colapso no futuro

Muitos especialistas financeiros acreditam que os Bitcoins podem colapsar no futuro se continuarem a seguir o seu caminho atual. Alguns deles dizem que aqueles que controlam o Bitcoin de alguma forma perderam a noção do objetivo original da moeda. Por exemplo, embora os Bitcoins tenham sido inicialmente concebidos para servirem como uma moeda descentralizada, os Bitcoins ainda são controlados por um pequeno grupo de pessoas na prática, o que é exatamente o oposto do que deveria acontecer.

Além disso, há quem acredite que há uma divisão interna no Bitcoin entre aqueles que desejam que a tecnologia expanda as suas transações e aqueles que se opõem a isso. Até mesmo a chamada “Blockchain”, a tecnologia por trás das transações Bitcoin, tornou-se cada vez mais aleatória quanto à velocidade das transações. Outro argumento comum também diz respeito ao fato de que a aceitação limitada do Bitcoin pode fazer com que a moeda se torne um fracasso inevitável.

Interessante, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Você também pode gostar de