Curiosidades, Mistérios

A misteriosa morte da atriz Brittany Murphy

A misteriosa morte da atriz Brittany Murphy

Em 2009, a morte prematura da famosa atriz de Hollywood, Brittany Murphy, foi um choque para muitos, deixando vários fãs confusos sobre como a estrela realmente morreu. De fato, muitos dos detalhes de sua morte sempre foram inconsistentes e deram origem a uma mistura de perspectivas questionáveis envolvendo toda a investigação. A atriz tinha apenas 32 anos quando foi encontrada inconsciente em sua casa.

Desde o início, surgiram muitas teorias sobre o que realmente teria causado a morte de Brittany Murphy. Segundo o pai de Brittany, Angelo Bertolott, ela foi envenenada intencionalmente e até chegou a mencionar isso em uma agência de notícias, mas deixando totalmente vago quem ele acreditava ser o responsável.

A investigação da morte de Brittany

Segundo os relatos oficiais das investigações sobre o caso, Brittany Murphy passou mal no banheiro de sua casa em 20 de dezembro de 2009, dias antes do Natal. O Departamento de Bombeiros de Los Angeles recebeu um pedido de “solicitação médica” e a transportou de sua casa em Hollywood Hills para o hospital onde ela morreu após sofrer uma parada cardíaca.

Inicialmente, o assistente do médico legista anunciou que a morte da estrela levantava dúvidas. No dia seguinte, um relatório da autópsia apontou a causa da morte para três fatores principais: pneumonia aguda, anemia por deficiência de ferro e intoxicação por medicamentos tanto prescritos como de venda livre.

Curiosamente, a estrela tinha substâncias como hidrocodona, acetaminofeno, L-metanfetamina e clorfeniramina em seus órgãos. Nenhuma das substâncias encontradas era ilegal, mas supunha-se que a atriz havia consumido tais drogas para combater uma doença que foi descoberta tardiamente. Outra peça em potencial no complexo quebra-cabeça da morte da atriz é a relação com substâncias tóxicas. Desde o início, a mãe de Brittany, Sharon, não acreditava que a morte da filha se devesse a uma pneumonia.

A morte de Simon Monjack e a descoberta de outros problemas

Para tornar as coisas ainda mais estranhas, o marido de Murphy, Simon Monjack, morreu cinco meses após a morte da estrela de Hollywood e foi encontrado na casa onde o casal morava pela mãe da atriz. O mais sinistro disso tudo é que Mojack morreu de causas semelhantes com as da morte de Brittany, levantando ainda mais dúvidas envolvendo o falecimento da famosa atriz.

Segundo o coronel assistente do condado de Los Angeles, Ed Winter, a morte de Brittany poderia ter sido evitada se ela tivesse procurado atendimento médico quando começou a sentir-se doente. Murphy e seu marido, Simon Monjack, teriam contraído um vírus durante o set de gravações do filme de terror ‘The Caller’, em San Juan, Porto Rico. Segundo Winter, ela estava doente há pelo menos duas semanas.

A reticência de Brittany quando se tratava de cuidar de sua própria saúde era, supostamente, um resultado direto da influência por parte de seu marido, que conseguia convencê-la de que muitas visitas ao médico atrairiam atenções indesejadas e acrescentariam credibilidade às fofocas da indústria do entretenimento de que Brittany Murphy era uma atriz de temperamento “difícil”.

Na noite anterior à sua morte, Brittany supostamente abordou Simon e sua mãe, Sharon, que morava com o casal, reclamando de fraqueza e falta de ar, mas parece que nem Simon nem Sharon levaram os sintomas de Brittany a sério até que fosse tarde demais.

A teoria do mofo

Eventualmente, Sharon, acabou se convencendo de que sua filha e Simon morreram não de pneumonia, como sugeriam os relatórios do legista, mas de doenças causadas por um mofo tóxico presente na casa do casal, uma mansão que Brittany havia comprado de Britney Spears em 2003 depois que Spears terminou o seu relacionamento com Justin Timberlake.

Sharon começou a levar a sério o possível papel do mofo nas mortes de Brittany e Simon em 2011, quando passou a tentar vender a casa. Tendo recebido US $ 600.000 em um acordo com os construtores da mansão sobre a questão do mofo, ela decidiu processar seus advogados nesse caso, argumentando que eles agiram de maneira inadequada por não propor uma ação por morte por negligência contra os construtores da residência.

O escritório do legista do condado de Los Angeles descartou repetidamente a teoria de que o mofo tóxico poderia ser considerado um fator relevante nas mortes de Brittany Murphy e Simon Monjack, mas o fato é que a casa tinha mofo suficiente para levar a mãe da atriz a receber a indenização de US $ 600.000.

A teoria do veneno

Em 2013, depois de solicitar uma análise independente de seu relatório de toxicologia, o pai de Brittany, Angelo Bertolotti, disse ter encontrado altos níveis de metais tóxicos, incluindo bário (que é usado em alguns venenos de ratos) nos cabelos da filha.

No entanto, a mãe de Brittany refutou as alegações de Bertolotti que diziam que sua filha havia sido assassinada, escrevendo para o Hollywood Reporter em 2013 que “suas alegações eram baseadas em evidências muito frágeis e eram mais um insulto do que uma percepção do que realmente aconteceu”. Ela também disse que a análise de uma amostra de cabelo não é considerada muito confiável, a menos que seja apoiada por testes de tecido e sangue juntamente com alguma outra análise, o que Bertolotti não fez.

Além disso, familiares e pessoas próximas alegaram que havia sinais de abuso de drogas por parte de Brittany e seu marido. Muitos acreditam que a estrela também apresentava comportamentos potencialmente suicidas, além de enfrentar problemas conjugais.

Por conta disso, a morte de Brittany Murphy rendeu boatos cada vez mais sérios e misteriosos. Uma década depois, a morte da atriz continua a levantar dúvidas e assombrar Hollywood, enquanto sua ausência continua sendo sentida profundamente pelos seus fãs.

Uma morte realmente misteriosa, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: