Conecte-se conosco

Oi, o que você está procurando?

Curiosidades

Por que os incêndios florestais na Austrália são tão severos?

Quase um bilhão de animais queimados vivos, 28 pessoas mortas, mais de 2.500 prédios perdidos e 14,6 milhões de acres queimados. Esse é um pequeno resumo do impacto dos incêndios florestais que assolaram a Austrália de setembro de 2019 até o início deste ano. Durante esse período, os incêndios ceifaram vidas se tornaram tão incontroláveis que os sistemas de previsão do tempo tornaram-se pouco confiáveis.

Todos os estados do território australiano costumam sofrer com seus próprios incêndios, mas Nova Gales do Sul e Vitória têm sido os mais atingidos nos últimos anos, tendo os seus céus sufocados com cinzas e fumaça que podiam ser vistas na maior parte do território nacional e até mesmo observadas do espaço.

Mas, afinal de contas, por que os incêndios florestais da Austrália costumam ser tão severos? O que diferencia as queimadas no território australiano das que ocorrem nos outros países? São essas as questões que vamos abordar ao longo deste artigo!

Um ambiente bastante propício ao fogo

Claramente, a Austrália não é estranha aos incêndios florestais. Os verões quentes e secos que assolam o país frequentemente criam sistemas perfeitos de combustível proveniente dos arbustos secos que exigem apenas um cigarro perdido, um relâmpago ou um incêndio criminoso deliberado para desencadear um fogo praticamente incontrolável e altamente destrutivo. De fato, a Austrália é um dos países mais secos do mundo, com a maior parte da massa de terra composta por um grande deserto quente, exceto nas costas leste, sudoeste e sul.

Ano após ano, a primavera traz consigo uma ampla preparação para a temporada de incêndios florestais. Incêndios controlados são realizados pelas autoridades locais para queimar o “combustível” dos locais vulneráveis sob condições climáticas específicas e com supervisão rigorosa. A implementação de corredores de vegetação limpa projetados para impedir a propagação do fogo também é algo comum.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Além disso, os governos locais emitem diretrizes completas e detalhadas de prevenção contra incêndios para proteger melhor os cidadãos. O problema é que, infelizmente, as técnicas de prevenção habituais falharam claramente em impedir as intensas forças da natureza. Mas o que há de tão especial nos incêndios de 2019? Bem, a resposta pode estar nas mudanças climáticas.

As mudanças climáticas na Austrália podem ser evidenciadas pelo aumento devastador de calamidades, fenômenos climáticos assustadores, condições climáticas extremas e temperaturas recordes. O que piorou ainda mais esta temporada de incêndios florestais foi uma confluência calamitosa de seca extrema e prolongada, juntamente com fortes ondas de calor.

Os efeitos das mudanças climáticas

O dia 17 de dezembro de 2019 registrou a temperatura média mais quente da Austrália já registrada: 41,9 ° C. O recorde anterior havia sido estabelecido no dia anterior a 40,9 ° C, depois de atingir 40,3 ° C em 2013. Para se ter uma ideia, a temperatura média normal do verão na Austrália é de cerca de 27,5 ° C, uns 15 graus inferiores à temperatura média registrada nesse verão histórico!

Outro problema é que as últimas décadas na Austrália foram caracterizadas por chuvas altamente imprevisíveis e erráticas. Relatórios climáticos sugerem que as regiões do norte do país têm recebido uma quantidade incomumente alta de chuvas nos últimos 800 anos, mas por outro lado, as áreas do sul tiveram níveis especialmente baixos de chuvas, de modo que as secas dos séculos 20 e 21 são possivelmente as piores ocorridas em 400 anos. Até mesmo a primavera de 2019 também foi a primavera mais seca na história do país!

Como se isso já não fosse o bastante, o deserto árido e quente que ocupa a maior parte do centro e do noroeste do país transporta rajadas de vento aquecidas para a maioria das costas leste e sudeste, sendo que os ventos de dezembro atingiram velocidades de até 128 km/h. Ventos fortes sazonais não são incomuns, mas nessas circunstâncias servem apenas para agravar as já severas condições de incêndio. O pior é que os ventos estão mudando de direção de maneiras imprevisíveis, tornando o combate ao fogo ainda mais difícil e incontrolável.

Propaganda. Role para continuar lendo.

O papel dos fenômenos naturais

Muitas dessas condições climáticas podem ser explicadas por fenômenos que ocorrem na região da Oceania. O El Niño, por exemplo, é um ciclo climático causado por mudanças nas correntes de água quente no Oceano Pacífico, mas que afeta as condições climáticas de todo o mundo. A piscina de água quente do Pacífico costuma estar presente perto do sudeste da Ásia, mas quando El Niño ocorre, essa piscina muda para o leste ao longo do equador, mais perto da América do Sul.

Consequentemente, isso causa mudanças nos padrões de vento e chuva devido às taxas variáveis de evaporação do oceano. Portanto, a piscina de água quente que traz grande parte da chuva para as partes norte da Austrália caba absorvendo a umidade da área durante o El Niño. De fato, muitas secas severas registradas na Austrália ocorreram durante os anos de forte intensidade do El Niño (1982, 1994, 2002 e 2006), sem falar que esse fenômeno relativamente comum também provoca altas temperaturas.

Vale destacar que uma forte intensidade do El Niño ocorreu em 2019 e, supostamente, terminou em agosto do mesmo ano. Na prática, isso ajudou a estabelecer uma paisagem com clima quente e vegetação seca na Austrália que estava apenas esperando para receber uma faísca para dar início a um grande incêndio.

A intensa luta contra as chamas

Para finalizar, vale destacar que o combate às chamas na Austrália tem enfrentado vários contratempos. A maioria dos bombeiros é voluntária, da Austrália e do exterior, e vários já perderam a vida. Imagens de cangurus carbonizados e coalas presos nas chamas se tornaram símbolos trágicos da devastação que esses incêndios causaram.

Além disso, com a seca drástica ainda em vigor, simplesmente não há água suficiente para combater as chamas, e muitos acreditam que apenas chuvas fortes podem salvar o país. Os ecologistas também temem que muitas espécies sofram extinção após os incêndios, como a população dos icônicos coalas, que pode ser dizimada em vários locais espalhados ao longo do território australiano.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Interessante, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Mais

Curiosidades

Os choques elétricos são frequentemente retratados em desenhos e filmes de comédia. O ato é sempre o mesmo: o protagonista se apodera de um...

Curiosidades

Certamente você já deve ter se hospedado em um hotel em algum momento, ou pelo menos já ouviu falar de alguns. Bom, existem diversos...

Curiosidades

É bem provável que você já tenha assistido a vários documentários da vida selvagem. Em sua grande maioria, esses programas trazem uma combinação de...

Curiosidades

Muita gente concorda que os gatos são animais fofos e bastante adoráveis. No entanto, basta uma rápida pesquisa no Google para perceber que os...

Curiosidades

Vivemos em um mundo onde existem mais de 7 bilhões de pessoas, podemos imaginar que cada uma delas possuem características únicas e ainda assim...

Curiosidades

O mar sempre aparentou ser um ambiente hostil para a vida humana. Tragédias como a do Titanic exemplificam muito bem o quão facilmente vidas...

Curiosidades

Dos últimos anos para cá os serviços de streaming começaram a se popularizar bastante, afinal a praticidade e facilidade de assistir um filme ou...

Curiosidades

Você já deve saber que as equipes de Fórmula 1 são orientadas por orçamentos com valores extremamente altos. De certa forma isso não é...