Curiosidades, História

Qual foi a guerra mais curta da história?

Qual foi a guerra mais curta da história?

Desde os tempos antigos, os seres humanos têm lutado constantemente entre si através de guerras. Parece que nunca se passa um ano sem que uma guerra ou outra comece ou termine. Algumas dessas batalhas levam muitos anos e registram um alto número de mortes, mas também já existiram algumas guerras que tiveram o seu fim em um período de tempo extraordinariamente curto. O melhor exemplo disso é a Guerra Anglo–Zanzibari, que ocorreu em 1896 e durou apenas 38 minutos.

Em 1896, grande parte dos países europeus tinham colônias na África com o objetivo de explorar os recursos naturais do continente. França, Grã-Bretanha e Alemanha eram as nações que dominavam a paisagem política na África. Isso fazia com que ocasionalmente as nações africanas se revoltassem contra seus colonos e a Guerra Anglo-Zanzibari foi parte dessa luta colonial. O sultão pró-britânico Hamad bin Thuwaini morreu em 25 de agosto de 1896, depois de ficar apenas três anos no poder. Seu primo, Khalid bin Barghash, assumiu o trono em meio aos rumores de que ele teria supostamente envenenado o antigo governante, muito provavelmente porque Khalid não concordava com o domínio colonial britânico. Ele queria que seu país fosse soberano para poder lucrar com o comércio de escravos que ainda existia na África nessa época. Acredita-se que os britânicos procuraram abolir completamente o comércio de escravos, só que essa política conflitava com os interesses de Khalid.

Khalid bin Barghash, o herdeiro do trono.

O governo britânico queria seu forte aliado Hamoud bin Muhammad como o novo sultão e deu a Khalid até as 9h da manhã, horário local, do dia 27 de agosto de 1896, para ceder o trono ao herdeiro desejado. Khalid inicialmente pensou que os britânicos estavam blefando. Ele cercou o palácio real com seus guardas e artilharia, só que pouco tempo depois, cinco navios da Marinha Real britânica (alguns dos melhores do mundo) cercaram o porto mais próximo do palácio. Marinheiros desembarcaram em terra para aguardar as ordens de Harry Rawson, o responsável pelo ataque britânico.

Às 9h da manhã, quando Khalid se recusou a abdicar do trono, o bombardeio britânico teve início, mirando diretamente o palácio do sultão. A estrutura de madeira não tinha chance contra a forte artilharia britânica e o navio solitário de Khalid em sua marinha, um iate de luxo recebido como presente pela rainha Vitória, não era adequado para a guerra. Depois de apenas 38 minutos, as tropas de Khalid fugiram do local e deram fim ao que se tornou a guerra mais curta da história.

Fuzileiros britânicos após o término da guerra.

Khalid e seus aliados mais próximos acabaram pedindo asilo em um consulado alemão vizinho, mas viriam a ser capturados pela Grã-Bretanha durante a Primeira Guerra Mundial, que o obrigou a reivindicar o sultanato. Quanto às baixas, as forças britânicas e pró-britânicas tiveram apenas 1 homem ferido de um total de 1.000, enquanto que as forças pró-khalid tiveram 500 mortos em um total de 3.000 combatentes.

Palácio do sultão do Zanzibar, parcialmente destruído após a guerra.

Logo após a Grã-Bretanha tomar o controle, o país colocou o sultão que queria no poder e as forças britânicas proibiram a escravidão no Zanzibar um ano depois. O domínio dos britânicos no Zanzibar permaneceu por mais 67 anos. Em 1964, o Zanzibar fundiu-se com a República de Tanganica e logo depois o país foi renomeado para Tanzânia.

Um fato histórico bem curioso, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: