Connect with us

Hi, what are you looking for?

Notícias

Crustáceos poderão ajudar a transformar madeira em biocombustível sustentável

Durante várias décadas, os cientistas do ramo da energia sustentável trabalharam arduamente para resolver um enigma desafiador: como transformar a madeira em uma fonte eficiente e sustentável de biocombustível, semelhante ao milho e a soja. Ao que tudo indica, uma equipe de pesquisadores do Reino Unido parece ter finalmente encontrado uma solução para esse quebra-cabeça, ao se afastar das florestas e passar a estudar os crustáceos marinhos.

Uma nova pesquisa publicada esta semana na revista acadêmica “Nature Communications” sugere que a chave para a produção de um biocombustível de madeira totalmente viável pode ser encontrada em minúsculos crustáceos de nome científico Limnoria quadripunctata. Esses crustáceos rastejantes evoluíram para servir a um importante papel ecológico de comer a madeira flutuante nos mares.

Curiosamente, esses pequenos animais também são uma dor de cabeça para os donos de barcos, já que eles gostam de mastigar a madeira das embarcações. Mas apesar de incômoda, toda essa adaptação evolutiva pode nos fornecer uma orientação para a produção de um novo biocombustível. Isso porque o sistema digestivo desses crustáceos é notavelmente eficaz em quebrar a “lignina”, um revestimento bastante resistente que envolve os polímeros de açúcar dentro da madeira. Esses açúcares são, em última análise, o combustível do biocombustível, de modo que se pudermos descobrir uma maneira melhor de extraí-los, a madeira poderá se tornar um biocombustível de energia renovável de alto rendimento, como a soja e o milho.

Para a alegria dos cientistas, a resposta para a extração dos açúcares também parece estar presente no sistema digestivo desses crustáceos. Trata-se da “hemocianina”, um tipo de proteína que quebra a lignina e extrai os polímeros de açúcar. Essa proteína é originalmente responsável pelo transporte de oxigênio em animais invertebrados, mas que também serve para oxidar as ligações de lignina que unem a madeira e prendem as moléculas de açúcar tão desejadas pelos pesquisadores. Dessa forma, basta tratar a madeira com a hemocianina para aumentar radicalmente a quantidade de açúcar que é liberada no processamento do mesmo pedaço de madeira.

A longo prazo, essa descoberta poderá ser útil na redução da quantidade de energia necessária para o pré-tratamento da madeira para convertê-la em biocombustível, economizando capital e até mesmo evitando danos maiores ao meio ambiente.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Interessante, não é mesmo? Compartilhe a matéria e deixe o seu comentário!

Leia Mais

Curiosidades

Todos nós sabemos que a morte é algo completamente inevitável e em algum momento ela chegará para todos nós. Muitas pessoas possuem medo de...

Curiosidades

Os doces fazem um enorme sucesso, principalmente entre as crianças, mas engana-se quem pensa que os mais crescidinho não curtem elas. São milhares de...

Curiosidades

Desde a época da escola estamos acostumados a ouvir bastante sobre os mais variados países que existem pelo mundo. Sabemos que cada um dos...

Curiosidades

Muitas pessoas sonham em serem uma grande celebridade um dia, além disso, desejam também serem referências e deixarem um legado por aqui. O mundo...

Curiosidades

O mundo dos investimentos está crescendo cada vez mais e é uma boa opção para aqueles que também desejam crescer e gerar bons lucros,...

Curiosidades

Todos os dias nós produzimos uma quantidade consideravelmente enorme de lixo em nossas casas, trabalho e até mesmo na escola. É quase inevitável fazer...