Mistérios

O misterioso assassinato de Blair Adams

Blair Adams era um encarregado de obras canadense que trabalhava em uma construtora da cidade de Surrey, no Canadá. Adams tinha 31 anos e era o tipo de rapaz que todo mundo gostava, de modo que praticamente nenhum dos seus amigos, parentes ou colegas de trabalho tinha algo ruim para falar a seu respeito. No entanto, o seu comportamento alegre começou a desaparecer e foi sendo lentamente substituído por constantes mudanças de humor e aumento de ansiedade. Independente da razão por trás dessa mudança radical no comportamento de Adams, a única certeza que as pessoas ao seu redor tinham era que isso começou a afetar o seu sono e que ele estava ficando cada vez mais desequilibrado com o passar do tempo. Mas o pior ainda estava para acontecer.

Em 5 de julho de 1996, Blair Adams se dirigiu para a sua agência bancária e retirou todo o seu dinheiro, o que totalizava aproximadamente US $ 6.000. Ele também removeu o conteúdo de um cofre que incluía milhares de dólares em joias, ouro e platina. Dois dias depois, ele chegou na fronteira entre o Canadá e os EUA, com o objetivo de entrar no território estadunidense. No entanto, agentes da fronteira viram todo o dinheiro e objetos de valor do seu veículo e resolveram negar-lhe o acesso, pois suspeitavam que ele poderia ser algum traficante de drogas. No dia seguinte, Adams largou o emprego e comprou uma passagem aérea para embarcar em um voo com destino a Frankfurt, na Alemanha, que deveria sair na terça-feira seguinte.

Blair Adams era considerado uma pessoa amável pela família e amigos.

Imediatamente depois que Blair Adams registrou o seu voo, ele resolveu ir para a casa de uma amiga. Ao chegar lá, a sua amiga logo viu que ele estava em pânico, já que Adams começou a perguntá-la se ela poderia levá-lo de volta à fronteira para ajudá-lo a entrar nos EUA, pois alguém estava tentando matá-lo. No entanto, ela foi incapaz de ajudar e Adams acabou indo embora. Na terça-feira, Adams desistiu da viagem para a Alemanha e conseguiu o reembolso da sua passagem no aeroporto. Ao invés de cruzar o Atlântico, ele acabou alugando um carro e mais uma vez seguiu para a fronteira entre Canadá e EUA. Desta vez, ele conseguiu o acesso e prontamente se dirigiu para o Aeroporto de Seattle, onde comprou uma passagem para o primeiro voo, que o levou a Washington DC. Depois que ele pousou na manhã da quarta-feira, 9 de julho, a primeira coisa que Adams fez foi alugar um veículo e se dirigir para Knoxville, no Tennessee, a mais de 800 km de distância.

Até hoje ninguém sabe por que Adams foi parar no Tennessee.

Ninguém em Knoxville viu o viajante até o início da noite, quando ele parou em um posto de gasolina com um suposto problema no carro. O atendente do posto diagnosticou o problema logo depois de ver que a chave que Adams estava tentando usar não era a correta para aquele tipo de carro. Então, os funcionários do posto rebocaram o carro para uma pousada, onde Blair Adams poderia ficar hospedado enquanto esperava por uma outra chave da empresa de aluguel de carros. Curiosamente, as câmeras de vigilância da pousada puderam registrar o seu comportamento extremamente suspeito, apresentando sinais de paranoia e nervosismo. Depois que Adams finalmente reservou um quarto, ele resolveu sair da pousada, sem nem mesmo chegar a abrir a porta do seu aposento.

Câmeras de vigilância da pousada registraram o comportamento estranho de Blair Adams,

Essa foi a última vez que alguém viu Blair Adams vivo. Na manhã seguinte, seu corpo foi descoberto em um estacionamento a cerca de 800 metros do motel. Por mais estranho que fossem os seus últimos dias de vida, a cena do crime levantou ainda mais perguntas. Alguém havia rasgado a sua camisa e tirado suas calças. Além disso havia uma quantia equivalente a US $ 4.000 em cédulas dos EUA, Canadá e Alemanha ao redor do seu corpo. A polícia também descobriu uma bolsa de ouro e joias no local. Seu corpo apresentava uma série de cortes e contusões, além de um furo na testa causado por um porrete ou pé de cabra, mas a causa da morte foi posteriormente definida como um duro golpe em seu abdômen, que posteriormente veio a ferir fatalmente o seu estômago.

Caso permanece sem solução até os dias atuais.

Quando souberam de sua morte, ninguém da família de Blair Adams conseguia entender por que ele queria ir para Knoxville ou para a Alemanha. Segundo eles, Blair não conhecia ninguém nesses lugares e ele simplesmente não tinha motivos para estar lá. A polícia levantou a possibilidade de que a morte de Adams poderia ter motivações sexuais, devido ao estado de como o seu corpo foi encontrado. A única evidência de DNA encontrada na cena do crime foi uma mecha de cabelos compridos presos na mão de Adams, mas que nunca chegou a ser identificada. Os investigadores até chegaram a levantar a hipótese de um possível caso de esquizofrenia, mas os ferimentos no seu corpo contradizem essa versão.

Por causa da ausência de evidências, o caso nunca chegou a ser concluído e permanece até hoje sendo um dos mistérios mais bizarros envolvendo um cidadão canadense.

Caso sinistro, não é mesmo? Deixe o seu comentário!

Você também pode gostar de