Curiosidades, História

Quem foi Jacques Cousteau?

À primeira vista, pesquisadores e cientistas parecem já ter explorado todos os cantos da Terra, desde florestas tropicais e selvas aos desertos e tundras congeladas. No entanto, a parte terrestre compreende apenas uma pequena fração do que o planeta tem para oferecer. Isso porque ainda existem verdadeiras fronteiras inexploradas escondidas bem abaixo das águas dos oceanos. Cobrindo aproximadamente 70% da superfície da Terra, os oceanos do mundo mantêm muitos mistérios ainda a serem revelados. E se há um homem que sabe disso melhor do que ninguém, esse é Jacques Cousteau, cuja história vamos explorar ao longo desse post.

Nascido na França em 11 de junho de 1910, Jacques Cousteau se destacou em muitos campos ao longo de sua vida. O seu maior destaque foi como oceanógrafo, já que ele dedicou a sua vida principalmente na pesquisa e exploração dos oceanos do mundo. Enquanto liderava muitas expedições submarinas, ele também dedicoava tempo à fotografia subaquática e produzia documentários e séries de televisão sobre a vida marinha. Como se isso não bastasse, Cousteau também inventou vários dispositivos para ajudar em suas explorações submarinas.

Cousteau era um amante da vida marinha.

O amor de Cousteau pelo mar começou quando criança e continuou durante o seu período como oficial da marinha francesa. Durante a Segunda Guerra Mundial, sua pesquisa subaquática levou-o a colaborar com o engenheiro francês Emile Gagnan na invenção do “Aqualung”, o primeiro equipamento de mergulho autônomo, permitindo que os mergulhadores ficassem submersos por longos períodos de tempo. Em 1945, Cousteau iniciou um grupo de pesquisa submarina da marinha francesa. Trabalhando com outros, ele ajudou a desenvolver vários outros dispositivos importantes, incluindo um disco de mergulho e câmeras à prova d’água. Com essas invenções, ele conseguiu fazer seus primeiros documentários sobre exploração submarina.

O Aqualung de Cousteau.

Cousteau também adquiriu um antigo caça-minas britânico em 1950 e o converteu em um navio de pesquisa oceanográfica chamado “Calypso”. Ele começou a usar o Calypso para fazer viagens anuais para explorar os oceanos do mundo. Através disso, ele documentou muitas dessas viagens em sua famosa série de televisão “O Mundo Submarino de Jacques Cousteau”. Para ajudar a financiar suas viagens e chamar a atenção da mídia para a necessidade de esforços de conservação para proteger os oceanos e a vida marinha do mundo, Cousteau também escreveu vários livros e produziu uma série de documentários e séries de televisão, incluindo “O Mundo do Silêncio”.

O navio Calypso em ação.

A fama de Cousteau permitiu que ele iniciasse a Cousteau Society em 1973. Através dessa organização, ele foi capaz de aumentar a conscientização sobre os ecossistemas oceânicos e a necessidade de protegê-los. Em 1996, seu navio Calypso afundou acidentalmente no porto de Cingapura após ser atingido por uma barcaça. Cousteau tentou levantar dinheiro para construir um novo navio, mas morreu inesperadamente em Paris, em 1997, aos 87 anos, vítima de um ataque cardíaco. No entanto, seu legado nos mares é lembrado até hoje por muitos oceanógrafos e outros profissionais da área.

Uma lenda das águas, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Você já assistiu nosso último vídeo no Canal Experimentando?

Clique aqui para assistir no YouTube

Você também pode gostar de