Curiosidades

Casu marzu: O queijo proibido feito de larvas de mosca

Casu marzu: O queijo proibido feito de larvas de mosca

Eca, só de ler este título já fico com o estômago embrulhado. Já pensou você comer um queijo cujo tempero especial são larvas de mosca? ECA! Porém, com certeza este curioso queijo merece estar aqui no TriCurioso, então vamos agora conhecer o curioso Casu Marzu.

O Casu Marzu é um queijo sardo produzido a partir do leite de ovelha e que possui a malfadadas larvas vivas de mosca em sua fabricação para auxiliar na maturação do produto. Em diversos locais o Casu Marzu é ilegal em função de sua fabricação duvidosa, obviamente. Entretanto, dizem por ai que você consegue facilmente compra-lo no mercado negro de Sardenha, região da Itália onde costuma ser produzido. Para você ter noção, Casu marzu significa literalmente queijo podre em sardo, ou ainda queijo de verme. Vamos explorar sua fabricação?

Para fazer um casu marzu é necessário separar grandes peças de queijo pecorino e armazena-las em um ambiente aberto até que comece a fermentar. É nesta etapa que os ovos das moscas são introduzidos no queijo, então esses ovos nascem e se tornam larvas que comem o alimento. O ácido da digestão destes bebês mosca conseguem quebrar os lipídios do queijo, o que o torna muito macio. Como um derivado do conhecido queijo pecorino, o casu marzu não para no estágio costumeiro de fermentação, sendo dado como pronto apenas quando entra em quase estado de decomposição em função da ação digestiva das larvas da mosta chamada mosca-do-queijo. Na hora de comer, algumas pessoas retiram as tais larvas translúcidas e brancas do alimento, porém outras pessoas dizem que é nelas que se encontra o sabor característico.

Entretanto, não vá se animando não (como se fosse possível) pois esta variedade de derivado da lactose é considera tóxica quando as larvas morrem e é por esta razão que o alimento só pode ser comido enquanto as larvas estiverem vivas dentro dele. Quando a fermentação estiver pronta, são cortadas fatias e espalhadas no chamado pane carasau servido sempre com um vinho tinto forte. Os moradores também acreditam que o queijo seja afrodisíaco. Outro fato surreal é que quando incomodadas, as larvas saltam em até 15cm e por isso é comum que quem estiver se alimentando coloque a mão na frente do lanche, evitando que a larva salte em seus olhos. Quem gosta do queijo sem as larvas simplesmente coloca a peça dentro de um saco e esperam pelo som característico dos saltos do pequenino animal, uma vez que estão sem oxigênio elas vão morrendo e o som vai diminuindo. Credo, que genocídio.

É muito comum que hajam intoxicações alimentares após se alimentar do casu marzu, também houveram relatos alergia alimentar e exposição ao perigo de comer o queijo já em estágio de toxicidade. Também existe rico de miíase entérica e infecção intestinal e seus sintomas incluem náusea, vômito, dor abdominal e diarreia sanguinolenta. Essas larvas são extremamente resistentes ao ácido do nosso estômago e podem tranquilamente se alojar em nossos intestinos, assim causando lesões estomacais e problemas gastrointestinais. Hoje fazer este tipo de queijo em Sardenha pode gerar multas altíssimas aos infratores da lei.

Muito bizarro, não é mesmo? Comente!

Leia Também: