Notícias, Tecnologia

Cientistas da Geórgia pretendem plantar uvas em Marte para fazer vinho

Muito se fala sobre a possibilidade da humanidade tentar colonizar Marte no futuro, seja para o desenvolvimento científico ou até mesmo por questões de sobrevivência da nossa espécie. No entanto, você já parou para pensar no fato de que os primeiros colonos humanos em Marte terão que abrir mão de muitos dos confortos da Terra caso essa ideia realmente se concretize? Felizmente, uma coisa muito comum na Terra que esses colonos talvez não precisarão abandonar é o vinho. Pelo menos é isso o que alguns cientistas da Geórgia esperam.

A Geórgia é um país do leste europeu que conta com uma tradição na viticultura há mais de 8.000 anos e que recentemente resolveu colocar os seus principais cientistas do espaço e do vinho para trabalharem juntos para descobrirem como cultivar uvas em Marte. O projeto, batizado de IX Millennium, vai envolver várias fases de pesquisa para a construção de uma infra-estrutura agrícola em Marte. Um passo inicial muito importante seria identificar as variedades de uva na Terra que têm uma maior facilidade de suportar a radiação severa, tempestades de poeira assustadoras e fortes variações de temperatura do Planeta Vermelho.

O novo projeto de vinho espacial poderá ter início já no final deste ano com a instalação de estufas verticais dentro de um hotel na capital do país, Tbilisi, de acordo com a agência de notícias georgiana Agenda.ge. Lá, as sementes de uva serão deixadas para crescer sob luzes hidropônicas com a mínima interferência humana possível, simulando as possíveis condições de uma agricultura controlada em Marte.

Enquanto isso, os especialistas em vinhos da Geórgia estão trabalhando duro para tentar descobrir quais variedades de uva podem sobreviver melhor às severas condições marcianas. Nos próximos anos, pesquisadores da Universidade de Tecnologia de Negócios de Tbilisi planejam simular um ambiente marciano em laboratório, expondo amostras de solo a condições abaixo de zero, altos níveis de monóxido de carbono e ar rarefeito para imitar a pressão atmosférica do Planeta Vermelho. Muito provavelmente, esses experimentos não darão frutos até pelo menos 2022, mas os cientistas já têm um palpite de que o vinho branco será ainda melhor se for fabricado em Marte. Enquanto isso, só nos resta aguardar o desenrolar dessa história.

Interessante, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: