Curiosidades, História

Conheça a história da bizarra inundação de melaço de Boston

Hollywood já produziu filmes retratando vários tipos de desastres, desde tornados repentinos e invasões extraterrestres até explosões solares gigantes que fritam a Terra em pouco tempo. Mas até mesmo os mestres da sétima arte não seriam capazes de imaginar um desastre tão devastador e ao mesmo tempo tão bizarro como o que aconteceu em janeiro de 1919 na cidade de Boston.

Pouco depois das 12h30 do dia 15 de janeiro de 1919, um tanque de armazenamento de melaço da Purity Distilling Company rebentou na cidade de Boston, liberando cerca de 8 milhões de litros de melaço nas ruas. O dilúvio resultante, que ficou conhecido como “a inundação de melaço de Boston”, chegou a atingir 7 metros de altura em seu pico, avançando a uma velocidade de 56 km/h por hora!

A onda se espalhou por um raio de dois quarteirões, achatando escritórios e casas e varrendo veículos e carruagens puxadas por cavalos. O melaço liberado se movia com tanta força que foi suficiente para deformar as vigas mestras dos trilhos do trem da Atlantic Avenue, uma das avenidas mais importantes na época. Aqueles que ficaram no caminho do dilúvio acabaram sendo levados, esmagados ou afogados. Para piorar a situação, o melaço engrossou rapidamente, já que estava exposto ao ar do inverno. Desse modo, depois que a onda diminuiu, dezenas de pessoas ficaram sepultadas sob uma substância milhares de vezes mais viscosa que a água.

Nos quatro dias seguintes ao incidente, a polícia, os bombeiros, o exército e o pessoal da marinha vasculharam os escombros incessavelmente. A busca revelou que a inundação de melaço de Boston havia deixado 21 mortos e 150 feridos, além de causar mais de US $ 7 milhões em danos materiais, o que equivaleria a mais de US $ 100 milhões nos dias atuais com a correção monetária. Os proprietários da Purity Distilling e os membros da Companhia Industrial de Álcool dos Estados Unidos (USIA), afirmavam que grupos de anarquistas teriam explodido o tanque como uma forma de protesto. No entanto, os moradores da região relatavam que o tanque apresentava vazamentos desde a sua construção.

No final das contas, o fato é que vários fatores diferentes contribuíram para a explosão por trás da inundação de melaço de Boston. Construções de má qualidade, testes de segurança negligentes e vários anos de repetidos excessos de enchimento acabaram deixando o tanque enfraquecido o suficiente para uma ruptura. Isso se tornava ainda mais perigoso quando o melaço era submetido ao processo de fermentação para produzir etanol. De fato, o dióxido de carbono, um outro subproduto da fermentação, foi o que desempenhou um papel crucial no desastre do melaço de Boston. Alguns dias quentes durante o inverno (pelos padrões de Boston) aceleraram a fermentação e aumentaram a quantidade de dióxido de carbono produzida no tanque. Com o aumento da pressão interna, o tanque já fragilizado acabou não suportando e veio se romper.

Após três anos de batalhas nos tribunais, a USIA foi condenada a pagar mais de US $ 600.000 em assentamentos extrajudiciais às vítimas e suas famílias, o que equivaleria a mais de US $ 8,4 milhões nos dias atuais. Hoje, grande parte do local onde ocorreu inundação de melaço de Boston agora fica dentro do Langone Park. Curiosamente, o único sinal de que o desastre já ocorreu se resume a uma placa fixada na entrada do parque.

Um desastre muito bizarro, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: