Bizarro, Curiosidades

Processos judiciais mais bizarros da história

Processos judiciais mais bizarros da história

Os processos judiciais servem para resolver conflitos e fazer justiça por meio de aplicação das leis. De fato, os processo judicial se tornou um instrumento importante conforme o tempo foi passando. Segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), somente em 2018 existiam cerca de 80 milhões de processos em tramitação no Brasil, o que chega a ser um número bem surpreendente.

Como bem sabemos, as bizarrices estão espalhadas por todo o mundo, em qualquer que seja o lugar e nem mesmo os processos judiciais escaparam, dá para acreditar nisso? Pois é meus caros amigos, por isso prepare-se, pois hoje iremos conhecer alguns dos processos judiciais mais bizarros da história da humanidade.

Processos judiciais mais bizarros da história

  • Ladrão – No ano de 2008, Wanderson Rodrigues de Freitas que tinha 22 anos acabou assaltando uma padaria e levando R$45,00 do caixa, no bairro de Planalto, em Belo Horizonte. O jovem estava com um pedaço de madeira por baixo da blusa para simular uma arma na hora do crime, Márcio Madureira Vieira que era o dono do estabelecimento percebeu que Wanderson não estava portando uma arma de verdade, partiu pra cima do jovem e começou a bater nele. Wanderson acabou processando o comerciante por lesão corporal e ainda falou que essa situação tinha sido a “pior aberração postulatória” que já viu em “longos anos no exercício desse cargo”;
  • A si mesmo – O americano Robert Brock se envolveu em uma briga de bar e foi pego ao dirigir embriagado no ano de 1995, ele então foi preso e resolveu processar a si mesmo, além de pedir uma indenização de US$5 milhões. O homem alegou que havia violado suas crenças religiosas quando cometeu os crimes que o levaram para a prisão. Por estar preso, Robert tinha fé de que o estado iria pagar a indenização a ele, porém como é de se esperar, a justiça americana recusou o processo, o homem então continuou preso e ficou sem o dinheiro desejado;

Processos judiciais mais bizarros da história

  • Batman – Se você acompanha o TriCurioso, já deve saber que existe uma cidade na Turquia chamada “Batman” certo? Bom, em 2008, o prefeito dessa cidade entrou com um processo contra a produtora Warner Bros e o diretor Christopher Nolan por usar o nome ‘Batman” no filme “Batman: O Cavaleiro das Trevas”. A principal alegação, era que o nome da cidade estava sendo usado impropriamente, porém vale lembrar que esse nome surgiu bem antes, em 1939, quando o homem-morcego foi criado, enquanto a cidade só surgiu em 1957;

LEIA TAMBÉM: VOCÊ SABIA QUE EXISTE UMA CIDADE CHAMADA BATMAN?

  • Faculdade – Trina Thompson cursou Tecnologia da Informação pela Monroe College, em Nova Iorque. quando tinha 27 anos e estava recém-formada. Em 2009, a jovem entrou com um processo contra a faculdade em que estudou, ela alegou que após 7 meses estando formada, ela não tinha conseguido ainda um emprego e a faculdade não teria dado o apoio necessário e prometido. Uma indenização de US$70 mil também foi pedida pela jovem, esse valor seria o correspondente ao seu gasto com estudos na instituição. Na mesma época, um porta-voz da Monroe College disse que a o processo era “completamente sem mérito” e que a faculdade ajuda seus alunos a encontrarem emprego;

Processos judiciais mais bizarros da história

  • Deus –  Em 2005, Mircea Pavel, um homem de 41 anos deu início a um processo contra Deus. Pavel alegou que Deus o traiu quando não o protegeu do diabo, então processou por traição, tráfico e abuso de influência. Ele tentou de tudo para convencer á justiça que o seu crime foi na verdade uma obra do diabo, porém, todas as tentativas foram falhas. O homem ainda alegou que o batismo foi um contrato entre ele e Deus que teria prometido deixar o diabo longe dele. Dois anos depois o processo foi arquivado e Pavel continuou cumprindo a sua pena de 20 anos de prisão.

Bem bizarros não é? Comenta aqui o que achou e não esquece de compartilhar!

Leia Também: