Curiosidades, Entretenimento

6 coisas que você não sabia sobre a abertura de Game of Thrones

6 coisas que você não sabia sobre a abertura de Game of Thrones

Quando Game of Thrones estreou pela primeira vez na HBO em 2011, ninguém poderia prever que essa complexa saga épica de fantasia se tornaria uma das séries de TV mais famosas de todos os tempos. Inicialmente, os livros escritos por George R. R. Martin eram considerados muito fantasiosos para serem adaptados para o público da TV. No entanto a série deu tão certo que, oito temporadas depois, os fãs ainda estão de luto pelo fim dessa obra-prima.

Curiosamente, uma coisa que conseguiu atrair a atenção de muitos telespectadores foi a empolgante abertura da série, que se consiste em um mapa que se desdobra através de engrenagens à medida que os títulos aparecem. Enquanto os espectadores olhavam para os Sete Reinos de Westeros, esse chamado da aventura enfeitiçava os seus ouvidos e transportava-os para uma época repleta de espadas, dragões e heróis bem peculiares.

Pensando nisso, nós do TriCurioso resolvemos listar algumas curiosidades que você provavelmente não sabia sobre a abertura de Game of Thrones. Você vai perceber que a introdução da série provou ser tão importante quanto os luxuosos figurinos usados pelos atores para fazer Westeros ganhar vida. Confira!

6. A abertura foi feita antes mesmo da criação do tema musical

A abertura de Game of Thrones, composta por um mapa épico, foi feita especialmente pela Elastic, uma empresa focada em produções audiovisuais que também está por trás de vários sucessos recentes de televisão, incluindo Westworld, True Detective e The Crown. O conceito básico da introdução foi feito antes da concepção da música tema, que foi criada posteriormente para combinar com os detalhes visuais da abertura.

A introdução, com seus modelos de relógio tridimensionais de cada localidade de Westeros, deveria apresentar uma grande afinidade com o que se passava na série. Por conta disso, a equipe da Elastic decidiu mudar levemente alguns detalhes da abertura a cada episódio, como uma forma de levar em consideração o local onde os personagens estavam indo, de Westeros a Essos e vice-versa.

5. O tema musical foi composto por Ramin Djawadi

O tema musical de Game of Thrones (e o resto da trilha sonora série) foi escrito e arranjado pelo compositor alemão Ramin Djawadi. Se observarmos bem, o tema favorece um poderoso som da percussão, o que não é surpreendente, já que seu mentor é Hans Zimmer, cujas partituras também têm essa característica que confere um tom mais “épico” às composições.

Vale destacar que Djawadi já tinha realizado vários trabalhos no cinema quando assinou contrato para fazer o tema do Game of Thrones, incluindo produções como “Homem de Ferro” (pelo qual ele foi indicado para um Grammy em 2009) e a franquia de jogos “Warcraft”. Atualmente, ele também compõe as músicas de outras duas séries altamente aclamadas: Jack Ryan e Westworld.

4. Os criadores da série queriam que o tema musical representasse uma jornada

Os criadores da série, David Benioff e D.B. Weiss, insistiam desde o início que Ramin Djawadi criasse um tema instrumental de tal forma que soasse como uma longa jornada. Na prática, eles exigiam isso porque os personagens estariam viajando bastante e embarcando em muitas missões separadas. Desse modo, a música precisava refletir a constante mudança de ambientes.

De fato, essas características estariam presentes mais tarde na música que Djawadi iria compor para a série. Como cada personagem viajava e progredia, os temas que ele escreveu para cada um eles também apresentava variações com o passar do tempo. Assim, cada tema refletiria o estado atual do personagem após muitas experiências que alterariam a sua vida. Como alguns dos personagens mudaram muito, Djawadi teve que escrever temas musicais completamente diferentes para eles.

3. Foram necessários vários esboços para a criação da abertura

Inicialmente, a introdução da série envolveria um mapa bidimensional de Westeros. Ele ainda rastrearia os locais que os personagens iriam visitar ao longo de cada temporada, mas também seria revisitado periodicamente durante a série. No entanto, os criadores de GoT acharam que isso seria muito “perturbador”.

No fim das contas, o método de representação tridimensional foi o escolhido e, embora a estética utilizada fosse incrível de se ver, não havia um senso de escala para nenhum dos prédios ou seus ambientes. Foi só à medida que a série progredia que a equipe de produção resolveu começar a conceber uma escala, de modo que, na 8ª temporada, as estruturas apresentadas na introdução tiveram de ser dimensionadas (usando um ser humano como referência). Trabalho minucioso, não é mesmo?

2. A abertura muda a depender do enredo da temporada

Para muitas das temporadas de Game of Thrones, a abertura serviu como um mapa gigante para ilustrar o mundo que George R. R. Martin havia criado. Mas além de ser um mapa de Westeros, a introdução tinha a intenção de mostrar onde os personagens começariam, até onde eles chegariam e até onde eles ainda tinham que ir.

Por causa disso, cada temporada mudava a perspectiva de onde o mapa estava focado, com determinados locais sendo selecionados em detrimento de outros a depender de onde os personagens estariam naquela parte específica da série. Para os fãs mais atentos, essa era uma maneira divertida de ver não apenas onde os personagens estavam, mas também onde eles se encontravam em relação aos outros.

1. A abertura foi recriada em uma versão alternativa que contou com vários biscoitos Oreo

A mesma produtora por trás da produção da abertura de Game of Thrones, a Elastic, também estava por trás de uma das mais populares “versões alternativas” da introdução da série. A Oreo se aproximou da companhia de artes digitais para fazer uma réplica de sua famosa abertura para Game of Thrones, mas desta vez, a empresa iria produzir a abertura usando biscoitos. A ideia era servir como uma campanha de marketing para divulgar o lançamento de uma linha de biscoitos especialmente inspirada em GoT.

A Elastic não decepcionou e produziu uma versão alternativa da abertura com 2.750 Oreos inteiros e aproximadamente 20 milhões de migalhas espalhadas ao redor. O resultado é um tanto inspirador para quem é fã de Game of Thrones e dos biscoitos Oreo. Além disso, a produção conseguiu fazer com que os biscoitos ficassem visualmente ainda mais apetitosos do que já são.

E você, já tinha prestado atenção nos detalhes da abertura de Game of Thrones? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: