Curiosidades, Entretenimento

7 fatos curiosos sobre o filme Dora e a Cidade Perdida

7 fatos curiosos sobre o filme Dora e a Cidade Perdida

Como o fascínio de Hollywood pela transformação de desenhos animados em filmes live-action continua firme e forte, era apenas uma questão de tempo até que Dora, a Aventureira, encontrasse seu caminho para as telonas. Graças ao diretor de “Os Muppets”, James Bobin, as aventuras da exploradora Dora foram finalmente retratadas em um filme que estreou nos cinemas recentemente. Na trama, a agora adolescente Dora (Isabela Moner) e seus amigos devem explorar as selvas para resgatar seus pais enquanto salvam a antiga cidade inca de Parapata das mãos de um grupo de mercenários.

Como em todas as adaptações cinematográficas, algumas coisas no longa acabarem sendo alteradas com relação ao desenho, embora o “espírito” do material de origem tenha sido mantido vivo. Mas mesmo com essas atualizações, há algumas coisas e personagens familiares que apenas os mais espectadores mais atentos podem conseguir observar.

Pensando nisso, listamos aqui sete fatos curiosos envolvendo o filme Dora e a Cidade Perdida. Confira!

7. O filme contou com uma dose de inspiração no clássico Indiana Jones e a Última Cruzada

No filme Dora e a Cidade Perdida, Dora e seus amigos se aventuram nas selvas para resgatar seus pais ao mesmo tempo em que também tentam impedir que criminosos roubem tesouros antigos. Se isso soa familiar, é porque esse filme é, basicamente, uma adaptação juvenil do clássico Indiana Jones e a Última Cruzada, estrelado por Harrison Ford.

De fato, isso fica explicitamente claro no terceiro ato, quando a gangue precisa resolver os enigmas mortais do templo para obter acesso ao tesouro. O desafio final envolve até escolher sabiamente onde o antigo guardião escondia a água que fornece vida sobre a riqueza material, uma clara referência ao Santo Graal da terceira aventura de Indiana nos cinemas.

6. Há também uma certa tirada de sarro com Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal

Por falar em Indiana Jones, Dora e a Cidade Perdida “zomba” da época em que Indiana foi ao Reino da Caveira de Cristal para descobrir no fim que, na verdade, o conhecimento era o “verdadeiro tesouro”.

Quando Dora pergunta por que o ouro não é o verdadeiro tesouro de Parapata, seu pai diz com toda aquela moralidade característica que aprender sobre a cidade inca é o que realmente importa. Inicialmente, isso só confunde Dora e Diego, então sua mãe resume isso com o dizer “caçador de tesouros ruim, bom explorador”. Que lição de moral, hein?!

5. A Mochila e o Mapa também marcam presença no longa-metragem

As aventuras de Dora nunca seriam completas sem a ajuda de seus confiáveis companheiros, a Mochila e o Mapa. Embora eles sejam vistos apenas brevemente na imaginação de Dora, os dois ainda fazem parte de sua mais recente aventura cinematográfica. A Mochila notavelmente tem uma aparência ligeiramente diferente, enquanto o Mapa ainda é o mesmo pergaminho sorridente de papel que qualquer fã reconheceria facilmente.

Os dois também são dublados por seus atores originais, Sasha Toro (Mochila) e Marc Weiner (Mapa). Curiosamente, Weiner também era a antiga voz original de Swiper, o raposo, que agora é dublado pelo ator, produtor e dublador porto-riquenho Benicio del Toro.

4. A sequência de abertura do filme recria a introdução do desenho animado

O filme Dora e a Cidade Perdida inicia com Dora, Diego, Boots e o Bebê Jaguar em uma de suas aventuras na selva. Muita gente pode pensar que isso seria apenas uma imagem proveniente da imaginação hiperativa das crianças, mas na verdade existe uma explicação mais interessante por trás disso.

Embora não seja um remake ao pé da letra, o prólogo é basicamente uma recriação da abertura original do desenho animado. A sequência também contém algumas imagens bastante familiares ao desenho, como um jipe amarelo, as crianças se balançando em videiras e o raposo Swiper.

3. Danny Trejo dá voz ao macaco Botas

O melhor amigo de Dora, Botas, é um macaco que, realisticamente, não consegue falar. Durante todo o filme, Botas faz os ruídos característicos dos macacos, todos eles dublados por Dee Bradley Baker, que também é conhecido por dar voz ao Patolino no filme Space Jam e ao hamster Wrecking Ball do jogo Overwatch.

No entanto, no live-action, Botas aparece falando em uma breve cena. O mais incrível é que, para a surpresa de Dora (e de grande parte do público), a voz que sai da boca do pequeno macaco azul é a de Danny Trejo, ator que é mais conhecido por retratar o lendário Machete. Quem diria que Trejo seria o escolhido para dar voz a um personagem de um filme desse tipo, não é mesmo?

2. O filme não é tão infantil quanto o desenho animado

No filme, fica bem explícito desde o início o fato de que Dora é um pouco diferente dos adolescentes normais de sua idade, tanto é que ela costuma viver perigosamente perto de crocodilos que tentam agarrar-se a seus pés. Além disso, não podemos deixar de citar que Dora também costuma carregar uma faca de tamanho considerável na sua mochila. Curiosamente, isso tem a ver com o fato de que Dora é comumente apresentada como um tanto “ingênua” para introduzir uma carga mais humorística na trama.

Embora isso seja definitivamente engraçado para o filme em si, algumas pessoas compartilharam certas preocupações de que isso possa confundir a cabeça das crianças que estão acostumadas com o desenho animado da aventureira, que por sua vez é mais “leve”. Por causa disso, alguns pais já disseram nas redes sociais que pode ser necessário explicar para as suas crianças os perigos envolvidos em algumas cenas.

1. A atriz que interpreta Dora também fez parte do elenco de Transformers: O Último Cavaleiro

Um dos pontos que mereceram destaque no filme Transformers: O Último Cavaleiro foi o bom desempenho da atriz Isabela Moner como a esplêndida criança Izabella. Críticos e telespectadores concordaram que Moner merecia uma participação mais ativa do que a sua aparição em Transformers, e esse desejo se tornou realidade através da adaptação para o cinema do famoso desenho animado da Nickelodeon.

De fato, o papel de Isabela Moner interpretando Dora é o maior destaque da carreira dessa jovem atriz. Esta também é a segunda vez que Moner estrela um filme ao lado de Benicio del Toro, já que ambos compartilharam a tela em Sicário: Dia do Soldado, lançado em junho do ano passado.

E você, já assistiu ao filme Dora e a Cidade Perdida? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: