Curiosidades, História

8 curiosidades fascinantes sobre o Partenon, o templo da deusa Atena

8 curiosidades fascinantes sobre o Partenon, o templo da deusa Atena

Muitas vezes considerado um dos símbolos mais importantes da Grécia Antiga e da Democracia Ateniense, o Partenon domina o horizonte de Atenas há mais de 2000 anos. Originalmente projetado para servir como templo para uma deusa grega proeminente, o edifício levou cerca de uma década para ser construído, tendo a sua construção iniciada em meados de 447 a.C.

Além de toda a sua simbologia religiosa, os antigos atenienses também viam o Partenon como uma simbolização de sua vitória sobre os invasores persas. Hoje, esse antigo templo ainda continua impressionando visitantes de todo o mundo, mesmo não apresentando as mesmas características que antes.

Pensando nisso, listamos aqui alguns fatos curiosos muito interessantes sobre o Partenon. Você vai ver que esse antigo templo tem muita história para contar. Confira!

8. A sua localização foi influenciada pela mitologia grega

Pouca gente sabe, mas a localização exata do Partenon foi cuidadosamente traçada para se alinhar às crenças da mitologia grega. Isso porque o templo realmente se alinha a um aglomerado de estrelas conhecidas como Híades, que eram bem conhecidas no sistema de crenças antigas dos gregos.

As Híades da lenda grega correspondem as cinco filhas de um titã chamado Atlas. Segundo a lenda, Zeus puniu Atlas forçando-o a segurar o peso dos céus em seus ombros pelo resto da eternidade, pois Atlas levou os Titãs à batalha contra os deuses do Olimpo.

7. Existiu um “Pré-Partenon”

Tendo a sua construção iniciada em 447 a.C., o Partenon é um dos melhores exemplos de arquitetura antiga preservada. No entanto, o que pouca gente sabe é que, antes do Partenon que conhecemos hoje em dia ser erguido, havia uma espécie de “Pré-Partenon”, muitas vezes também chamado de “Partenon mais antigo”. De fato, o templo atual foi construído com o objetivo de substituir o templo mais antigo de Atena.

Registros históricos descobertos por arqueólogos apontam que alguns restos da antiga construção na Acrópole que remontam a 2800 a.C. Vale destacar que as pessoas que se estabeleceram na colina ateniense pertenciam originalmente a uma sociedade neolítica que existia muito antes dos minoicos e micênicos.

6. Originalmente, ele era dedicado à deusa Atena

Atena pode ser considerada a estrela principal do Partenon, até porque o templo foi originalmente dedicado a ela, assim como o Partenon mais antigo, que existiu antes do atual. Atena era a deusa da sabedoria e desempenhou um papel importante na Odisseia de Homero como ajudante do protagonista Odisseu.

Durante a Guerra de Troia, a mitologia grega também contava que Atena havia apoiado a causa dos gregos sobre os cavalos de Troia. De fato, o nome Partenon é derivado do nome “Atena Partenos”, que pode ser traduzido como “Atena, a Virgem”, já que Atena era considerada a filha favorita de Zeus e nunca chegou a se casar.

5. Ele era mais que um templo para os antigos gregos

O Partenon é comumente chamado de templo, mas é importante deixar claro que ele também tinha muito outros propósitos. Segundo o site Greeking.me, o Partenon também servia como uma galeria de arte e um depósito de tesouros, devido ao fato de abrigar uma enorme estátua de Atena, feita com ouro derretido. Os cidadãos costumavam admirar regularmente essa estátua, cuja réplica existe até hoje.

Curiosamente, a estátua original acabou sendo destruída porque o líder tirânico Lachares resolveu pegar o ouro da estátua para financiar seu exército, que por sua vez exigia um orçamento extremamente alto.

4. Alguns historiadores acreditam que originalmente ele era bastante colorido

Quando falamos sobre o mundo antigo, nós tendemos a imaginar vários prédios com tonalidade branca, afinal de contas, essa é a cor que as ruínas antigas adquirem quado se desintegram ao longo do tempo. No entanto, assim como muitos outros edifícios do mundo antigo, o Partenon provavelmente era bastante colorido durante o seu auge.

Os historiadores acreditam que as cores vibrantes acabaram se desgastando com o tempo. Além disso, a poluição de Atenas nos dias atuis pode estar fazendo com que as ruínas se desgastem a uma taxa ainda maior. Outro edifício que alguns historiadores acreditam que já foi colorido, pelo menos por dentro, é o Coliseu de Roma.

3. Boa parte da sua estrutura foi destruída com pólvora

O Partenon foi capaz de suportar muitas coisas ao longo dos seus mais de 2.000 anos. No entanto, grande parte da sua estrutura foi danificada em 1687, quando os venezianos dispararam armas de pólvora contra o templo. Uma grande parte do edifício foi destruída na batalha, o que chegou a deixar o Partenon em chamas.

Esse ataque destruiu principalmente o telhado do templo, além de várias colunas e muitas das esculturas anexadas aos seus painéis. Também foi nessa época que os otomanos capturaram a cidade e construíram uma mesquita menor dentro do Partenon original.

2. A sua estrutura original foi desenvolvida para resistir a terremotos

Os gregos podem não ter construído o Partenon para resistir aos ataques de pólvora, mas eles certamente o construíram para resistir a terremotos. Evidências histórias deixam claro que a estrutura original do Partenon tinha uma curvatura ascendente parabólica muito bem estruturada que permitia ao monumento escoar facilmente a água das chuvas, além de reforçá-lo contra a ação de terremotos.

É importante destacar que a Grécia é frequentemente abalada por terremotos e pequenos tremores, alguns dos quais foram documentados ao longo da história, sendo que um dos mais famosos ocorreu em 1999, em Atenas. Por causa disso, não é de se admirar que os construtores do Partenon tenham levado isso em consideração na hora de projetar o templo.

1. O Partenon também já esteve relacionado a outras religiões

Como foi dito anteriormente, o Partenon é um símbolo da Grécia Antiga que foi originalmente criado para ser um templo da deusa pagã Atena. No entanto, ao longo da história, ele também já serviu um papel importante em várias outras religiões, incluindo o cristianismo e o islamismo.

O templo foi transformado em uma igreja cristã quando Atenas caiu sob o domínio bizantino, tendo sido dedicado à Virgem Maria na ocasião. Então, no século XV, quando os turcos otomanos assumiram o controle da Grécia, a igreja foi convertida em mesquita, chegando a contar com o seu próprio minarete. Segundo algumas fontes históricas, os otomanos o transformaram em mesquita como uma forma de “punir” os atenienses.

E você, já tinha ouvido falar na história desse grande símbolo da Grécia Antiga? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: