Curiosidades, História

Incêndio da Igreja de La Compañía: O pior da história de Santiago – Chile

Incêndio da Igreja de La Compañía: O pior da história de Santiago – Chile

Santiago do Chile foi atingido por seu maior incêndio ainda em 1863, no dia 8 de dezembro para ser específica. O local incendiado foi a Igreja de La Compañía e neste dia faleceram cerca de 2 mil pessoas. Consegui deixar você curioso? Então, vem comigo!

Canecas para Presente

Tudo começou no dia 8 de dezembro de 1863 quando seria celebrada uma grande missa em comemoração à Imaculada Conceição, data que termina a festividade mês de Maria. Esta é a festividade mais popular do catolicismo chileno até os dias de hoje. Para esta comemoração a Igreja de La Compañía foi toda decorada e adornada com flores naturais e artificiais, velas, lâmpadas à óleo e muito mais. Ao entardecer era possível ver as milhares de velas, lâmpadas à óleo e parafina iluminando cortinas de flores, balões coloridos, fitas de papel e milhares de flores em uma decoração marcante. Não é difícil perceber o acidente eminente, não é mesmo?

O incêndio da Igreja de La Compañía

Foi por volta de 18h45 que se iniciou um incêndio que rapidamente se espalhou pelo templo graças aos adornos e enfeites. O fogo começou no altar em função das luzes de parafina terem entrado em contato com os ornamentos e flores que transmitiram as chamas para uma pintura que ficava posicionada no teto da Igreja de La Compañía. O fogo causou imenso pânico nos fiéis que saíram correndo em desespero. Devido aos longos vestidos, era muito difícil para as mulheres correr, ainda mais com os filhos pequenos no colo.

Igreja de La Compañía

Por esta razão, infelizmente foram as mulheres e crianças as mais atingidas que morreram pisoteados, asfixiados ou queimados. Este movimento de quedas também causou grande tumulto, o que bloqueou a saída através das portas e impediu a fuga de quem as alcançava. Ainda havia um atenuante, muitas pessoas não encontraram lugar para sentar-se na igreja neste dia devido a imensa lotação e para poder acompanhar a festividade, levaram panos para sentar em cima e não se gelar com o piso frio. Esses panos também incendiaram rapidamente e espalharam o fogo por todo o templo,

Não demorou para que o fogo tomasse conta de todo o espaço, subindo a cúpula construída de madeira e subindo pela pápula. Então, começou a atravessar os telhados mostrando as labaredas ardendo ao longe. A única torre na serra frontal começou a ser queimada também, assim pouco a pouco todo o templo foi tomado pelas chamas. Os gritos eram ouvidos a longas distâncias, a polícia se uniu aos fiéis na tentativa de conter a histeria de quem conseguiu fugir.

Tem interesse em visitar Santiago do Chile? Então acompanhe nossos vídeos!

Vítimas resgatadas

O resgate da época era fraco e improvisado, logo não obteve muito êxito. Eles tentaram conter as chamas, porém não possuíam equipamento para conseguir. Centenas de pessoas morreram queimadas em frente a mais centenas de pessoas que não podiam fazer nada para ajudar.

Às 20h a cúpula, torre do sino e torre do relógio desabaram, esmagando mais centenas de vítimas. Acredita-se que levou apenas pouco mais de uma hora para o incêndio transformar o local em ruínas, causando a morte de cerca de duas mil pessoas. Algumas fontes afirmam que foram enterradas 2 mil pessoas, entretanto a morte foi de cerca de 3 mil em uma cidade que na época tinha apenas 100 mil pessoas.

Neste período sabe-se que quase não restou nenhuma família que não tivesse pelo menos um parente falecido no incêndio da Igreja de La Compañía. Os corpos amontoados nas ruínas do templo foram retirados dois dias depois do acontecimento, não haviam caixões funerários suficiente e por isso foi necessário utilizar carrinhos simples cobertos com o que se conseguisse achar, isto porque nem mesmo a grama foi suficiente. O cheiro da carne queimada se espalhou pelos arredores e se tornou insuportável de sentir por muitos e muitos dias.

Consequência

Devido ao trágico acidente o cidadão José Luis Claro y Cruz – participante do resgate frustrado às vítimas – decidiu criar um corpo de bombeiros. como os que já haviam sido fundados em Valparaíso, Valdivia e Ancud. Foi assim que nasceu o Corpo de Bombeiros de Santiago em anúncio realizados nos jornais La Voz do Chile e El Ferrocarril dos dias 10 e 11 de dezembro do mesmo ano. Veja o anúncio:

Para o público. Os jovens que desejam participar da formação de uma empresa de bombeiros são convocados, passando no dia 14 do presente, à uma da tarde, para a mesa do assinante. J. Luis Claro .

Já na segunda-feira (14) mais de duzentos homens se apresentaram para criar assim uma comissão que criaria os estatutos e a organização da instituição. Nas salas do Cassino Philharmonic foi fundado o Corpo de Combeiros de Santiago através da união de quatro setores: Guardas orientais, meridionais, ocidentais e de propriedade.

Triste, não é mesmo? Comente!

Leia Também: