Curiosidades

7 coisas que você provavelmente não sabia sobre o Cristo Redentor

7 coisas que você provavelmente não sabia sobre o Cristo Redentor

Um dos símbolos mais emblemáticos do Brasil, a estátua do Cristo Redentor está em pé há quase 90 anos. Tendo resistido a várias adversidades, como fortes tempestades de raios e até mesmo pichações de vândalos, essa estátua é considerada um grande feito da engenharia e um motivo de orgulho para boa parte do povo brasileiro.

Canecas para Presente

Criada para representar um Cristo acolhedor e amoroso, essa estátua é, portanto, considerada um ícone internacional de paz e harmonia que vigia a cidade do Rio de Janeiro. No entanto, embora seja um ícone brasileiro e ostente uma popularidade invejável, ainda existem alguns detalhes a respeito do Cristo Redentor que muita gente desconhece. Por isso, continue lendo para descobrir 7 coisas que você provavelmente não sabia sobre a famosa estátua do Cristo Redentor.

7. Algumas pessoas ainda debatem sobre o que a estátua realmente quer dizer com a sua pose

Não há dúvida alguma de que a estátua do Cristo Redentor é um dos monumentos mais emblemáticos do mundo. No entanto, ainda existe um certo debate sobre o que a estátua realmente quer dizer com sua pose. De acordo com o jornal The Washington Post, algumas pessoas parecem interpretar os braços estendidos da estátua como a representação de uma cruz.

Por outro lado, a maioria das pessoas costuma argumentar que o monumento mostra Cristo estendendo os braços para dar um abraço. Sendo assim, esta hipótese reforçaria a tese de que Cristo abraça e ama a todos. Por causa disso, essa estátua é vista como um símbolo de paz e harmonia por milhões em todo o mundo.

6. A estátua já sofreu vários danos por conta de raios

Todo mundo já sabe que o Cristo Redentor é uma estrutura impressionante. No entanto, o que pouca gente para pra pensar é que, mesmo representando algo divino, essa estátua não foi capaz de suportar os poderes da Mãe Natureza, até porque ela já foi atingida por raios em várias ocasiões ao longo dos anos.

De fato, um dos piores incidentes envolvendo a relação entre o Cristo e os raios ocorreu em 2008, quando a cabeça, as sobrancelhas e os dedos da estátua acabaram sendo danificados por uma intensa tempestade elétrica. Depois disso, a estátua foi restaurada usando pedra-sabão (esteatito) da mesma pedreira da qual o material original foi extraído.

5. A estátua foi restaurada especialmente para uma visita do Papa

A estátua foi concluída no ano de 1931 e sempre passou por algumas restaurações ao longo dos anos para mantê-la com as mesmas características dos seus primeiros anos. No entanto, a primeira grande restauração só veio a ocorrer em 1980, em preparação para a chegada do papa João Paulo II, que estava visitando o Brasil naquele ano.

Desde então, a estátua foi restaurada mais algumas vezes. Em 2010, 30 anos após a visita do papa mencionada anteriormente, o Cristo Redentor foi fortemente restaurado novamente, após uma violenta tempestade de raios, assim como a tempestade citada no tópico anterior.

4. O Cristo Redentor poderia ter tido uma aparência diferente

A imagem do Cristo Redentor com os braços bem abertos se tornou um símbolo icônico em todo o mundo. No entanto, o que pouca gente sabe é que a estátua deveria ter um aspecto completamente diferente da sua aparência nos dias de hoje.

Os esboços iniciais da estátua colocavam o Cristo segurando uma cruz em uma mão e um globo na outra. Esse design foi inicialmente bem recebido e até chegou a ser denominado informalmente de “Cristo com um globo”. Eventualmente, o design foi adaptado para apresentar o estilo Art Deco que ostenta até hoje.

3. O Cristo poderá parecer diferente no futuro

Embora a estátua do Cristo Redentor até pareça diferente do seu conceito de design inicial, o fato é que ela não mudou muito desde a época em que foi construída. Porém, em um futuro a longo prazo, é possível que vejamos algumas mudanças na aparência dessa estátua emblemática

Primeiramente, a estátua é revestida em pedra-sabão, o que lhe confere uma cor clara. Só que a pedreira que serviu como fonte de pedra-sabão para a construção da estátua tem ficado escassa, por isso pode ser difícil substituir o revestimento por um material que dê à estátua a mesma tonalidade clara que ela apresenta. Em 2020, quando a próxima grande reforma da estátua deverá ocorrer, acredita-se que a estátua apresentará uma tonalidade mais escura.

2. Quase levou uma década para a estátua ser totalmente concluída

Embora a construção da estátua tenha sido iniciada em 1922, levou quase uma década até que o projeto fosse finalmente concluído, principalmente devido ao tamanho monumental da sua estrutura. Outro fator que desacelerou o processo de construção tinha a ver com o fato de que o Morro Corcovado, onde fica localizado o Cristo Redentor, estava coberto por uma vegetação muito densa na época.

No fim das contas, a verdade é que, embora tenha levado quase dez anos para ser concluída, a estátua provou ser duradoura. De fato, faltam apenas dois anos para o Cristo completar os seus 90 anos.

1. Nem todas as partes da estrutura do Cristo Redentor são originárias do Brasil

O Cristo Redentor é o símbolo do Brasil mais reconhecido no exterior. De fato, poucas pessoas visitam o Rio de Janeiro sem ver o famoso marco que vigia a cidade. No entanto, por mais surpreendentemente que seja, a verdade é que a estátua não foi totalmente construída no Brasil, já que algumas partes da sua estrutura foram parcialmente projetadas na França.

Boa parte da estrutura do Cristo Redentor foi criada nesse país da Europa pelo escultor francês Paul Landowski, que ficou encarregado de criar uma série de peças de barro para a estrutura da estátua. Esses pedaços de barro foram posteriormente enviados para o Brasil, onde Heitor da Silva Costa e sua equipe os reforçaram com concreto e completaram a estátua.

O Cristo Redentor é uma estátua realmente icônica, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: