Curiosidades

6 símbolos que tinham significados originais bem diferentes dos atuais

6 símbolos que tinham significados originais bem diferentes dos atuais

Os símbolos podem dizer mais sobre uma pessoa, um grupo, uma organização, uma religião ou uma ideologia política do que mil palavras. De fato, nós já estamos perfeitamente cientes do que certos símbolos representam. Por exemplo, a suástica é um dos símbolos mais reconhecidos no mundo moderno, além de ser um dos mais temidos da história. Por outro lado, poucas pessoas conhecem a verdadeira origem da suástica, que está longe de ser algo necessariamente relacionado ao nazismo.

Curiosamente, a suástica não é o único símbolo que perdeu seu significado original. Existem vários outros símbolos que a maioria das pessoas de hoje em dia acredita representar algo que não tem nada a ver com o seu significado original.

Pensando nisso, listamos aqui seis símbolos que acabaram adotando significados bem diferentes dos que eles representavam originalmente. Confira!

6. Cruz invertida

A cruz invertida é provavelmente o símbolo anticristão mais famoso do mundo. No entanto, antes disso, ele era um dos símbolos pró-cristãos mais poderosos. De fato, o seu nome original é “cruz de São Pedro”. Segundo a história cristã, quando Pedro foi crucificado, ele sentiu que não era digno de morrer da mesma maneira que Jesus Cristo. Foi então que ele pediu para ser crucificado de cabeça para baixo.

Depois disso, a cruz invertida também tornou-se um símbolo de humildade. De fato, você ainda pode encontrar a cruz invertida em várias igrejas antigas, o que não implica que as pessoas venerem o Satanás nesses locais, não é mesmo? Só recentemente a cruz invertida passou a ser usada como um símbolo anticristão, muito por conta de filmes de terror e dos movimentos punk e heavy metal, onde conota o anti-autoritarismo.

5. Caduceu

O caduceu, também conhecido como “emblema de Hermes”, é frequentemente usado por organizações médicas ou instituições relacionadas à saúde. Esse símbolo é retratado como um cajado com asas e duas cobras enroladas em torno dele. No entanto, o que pouca gente sabe é que, em contextos médicos, o emblema de Hermes foi confundido com o bastão de Asclépio, um símbolo que, embora até seja semelhante, não possui asas e conta com apenas uma cobra enrolada. Asclépio era o antigo deus grego da medicina e da cura, por isso faz sentido que seu símbolo seja usado na área da saúde.

O principal culpado por trás de toda essa confusão é o Corpo Médico do Exército dos EUA, que escolheu o emblema de Hermes como seu símbolo há mais de 100 anos, com base na decisão de um único oficial que o confundiu com o bastão de Asclépio. Por esse motivo, o novo significado para o caduceu é mais predominante na América do Norte, enquanto que em outras partes do mundo ele é mais frequentemente usado como um símbolo do comércio, uma vez que Hermes era o patrono dos comerciantes.

4. Caveira sobre ossos cruzados

Este símbolo tem dois significados bem estabelecidos que muitas pessoas de todas as partes do mundo conhecem muito bem. O significado mais moderno é a identificação de algum veneno ou substância perigosa, já que esse símbolo é colocado em produtos químicos e outras substâncias nocivas para que as pessoas saibam que não devem bebê-los. O seu outro simbolismo é mais histórico, representando os piratas.

No entanto, a verdade é que os espanhóis já usavam esse símbolo anteriormente para identificar cemitérios. Ainda nos dias de hoje, é possível encontrar cemitérios, igrejas e templos antigos com o famoso símbolo da caveira sobre ossos cruzados. De fato, os piratas adotaram esse símbolo justamente porque ele já era muito conhecido e temido por sua associação com cemitérios.

3. Estrela de Davi

A estrela de Davi é o símbolo mais facilmente identificável do judaísmo. No entanto, diferentemente de itens como a menorá ou o shofar, essa estrela não é exclusivamente judia. Antes de ser um símbolo judeu, ele também já figurava no budismo, hinduísmo e jainismo. De fato, o hinduísmo foi provavelmente a primeira religião a usar essa estrela. Para os hindus, ela representa o Anahata, o quarto chakra primário.

Não se sabe se esses símbolos compartilham uma origem comum ou se foram concebidos por várias pessoas sem conexões aparentes devido às características básicas do design (que é a teoria mais provável). Outro fato curioso relacionado a esse símbolo é que, embora seu uso pelo povo judeu remonta a séculos, ele só foi oficialmente adotado como símbolo do judaísmo em meados de 1897.

2. Símbolo da paz

Muitos de nós tendemos a associar esse símbolo à paz ou ao movimento contracultural hippie da década de 1960. No entanto, o homem que o projetou, Gerald Holtom, criou esse símbolo para transmitir uma mensagem específica e esquecida nos dias atuais: o desarmamento nuclear britânico. Segundo o próprio Holtom, o desenho representa um homem (ele mesmo, na verdade) com os braços para baixo e as mãos espalmadas em sinal de agonia e desespero. Holtom também revelou que a sua inspiração veio do quadro “Três de Maio de 1808”, de Francisco de Goya.

Esse símbolo permaneceu muito popular ao longo das décadas porque Holtom nunca quis reivindicar os direitos autorais. Desse modo, tal desenho tornou-se uma maneira de simbolizar a liberdade e, eventualmente, passou a representar a paz. Vale destacar que houve tentativas de associar o símbolo a origens mais antigas e sombrias, como cruzes satânicas quebradas ou insígnias nazistas, mas essas semelhanças são apenas coincidências.

1. Suástica

Muitas pessoas nos países ocidentais têm dificuldade em associar a suástica a qualquer outra coisa que não seja ao movimento nazista. No entanto, a suástica (também conhecida como gammadion) é um símbolo tão universal que é um dos mais antigos do mundo. A suástica já foi até apresentada em religiões antigas, como o budismo, o hinduísmo e o jainismo, também tendo sido usada por civilizações antigas, como gregos, egípcios, romanos e celtas.

Algumas das representações mais antigas da suástica podem ser rastreadas no hinduísmo, onde ela serve como um símbolo do deus Vishnu. De fato, a suástica ainda é comumente usada no hinduísmo e no budismo. Outro fato curioso é que, no campo religioso, ela pode ter significados diferentes, dependendo do lado em que ela é representada. Por exemplo, as suásticas no sentido horário são um símbolo de Vishnu, enquanto as suásticas no sentido anti-horário representam Kali.

Nos tempos modernos, a suástica desfrutava de uma variedade de usos antes de passar a ser associada ao movimento nazista. De fato, ela já foi usada para representar uma enorme variedade de coisas, incluindo um tipo de roupa na Irlanda, a cervejaria dinamarquesa Carlsberg e até a Força Aérea Finlandesa.

E você, já conhecia o significado original de algum desses símbolos? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: