Conecte-se conosco

Oi, o que você está procurando?

Curiosidades

O misterioso caso do desaparecimento de Walter Collins

Em meados de 1928 na cidade de Los Angeles, o desaparecimento de Walter Collins, de nove anos, desencadeou uma das mais incríveis séries de eventos da década. O desaparecimento do garoto não apenas incluiu a ameaça à criança, mas também trouxe à tona o empoderamento feminino, a corrupção e os maus-tratos flagrantes das pessoas envolvidas no caso.

Foi no dia 10 de março de 1928 que Christine Collins descobriu que seu filho Walter não estava em lugar algum. Enquanto a polícia suspeitava que Walter havia simplesmente fugido, Christine temia o pior. Ela se recusou a acreditar que seu filho queria fugir, então chegou à temida conclusão de que ele havia sido sequestrado. Agora, com a suspeita de que Walter havia sido levado, a polícia começou a vasculhar a rua dos Collins e o bairro de Lincoln Heights, em Los Angeles.

Muitas pessoas foram interrogadas sobre o paradeiro de Walter, mas a busca não resultou em nada. Foi somente quando as testemunhas foram procuradas que uma vizinha, a sra. A. Baker, alegou ter visto Walter em um automóvel, implorando para ser libertado na companhia de duas pessoas de aparência estrangeira. Outros vizinhos também disseram que, dias antes do sequestro de Walter, um homem de ascendência italiana, junto com uma mulher, estava pedindo o endereço de Walter.

No entanto, simplesmente não havia vestígios de Walter que pudessem levar a polícia a encontrá-lo ou descobrir quem o havia levado. Meses se passaram e Christine Collins teve que lidar diariamente com os pensamentos do desaparecimento de Walter em sua cabeça. Até que, cinco meses após o desaparecimento de Walter, um milagre aconteceu: o garoto havia sido encontrado em Illinois. No entanto, a história estava longe de ter um final feliz.

O misterioso caso do garoto que não era quem parecia ser

Christine Collins, mãe de Walter.

Walter foi imediatamente colocado em um trem de Illinois para Los Angeles para retornar para as mãos de Christine. A reunião de mãe e filho estava sendo tratada como um enorme sucesso por parte da força policial local. Porém, quando o garoto desceu do trem, Christine imediatamente percebeu que o garoto em questão não era o seu filho. Assim, o que Christine achou que seria a resposta para suas orações e um verdadeiro milagre, provou não ser o caso.

No entanto, J. J. Jones, capitão da polícia de Los Angeles, não acreditava no que Christine dizia. Jones explicou a Christine que Walter simplesmente parecia ter mudado por causa dos meses longe de casa e das experiências traumáticas que ele havia enfrentado. Ainda assim, Christine rejeitava a explicação de Jones, insistindo que ela conheceria o próprio filho, não importando as circunstâncias.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Mesmo com todo o apelo de Christine, o capitão Jones não aceitou os seus argumentos e sob nenhuma circunstância deixou claro que o Departamento de Polícia de Los Angeles havia cometido um erro. Tentando evitar a humilhação, Jones disse a Christine para levar o garoto para casa e conviver com ele por um tempo, para ver se a memória dela ficaria mais clara.

Sentindo a pressão do público e da polícia, Christine concordou em levar o menino para casa. Posteriormente, a polícia começou a questionar o suposto Walter na esperança de encontrar seu sequestrador. O garoto foi questionado sobre como havia escapado do sequestrador e a polícia queria saber como ele acabara em Illinois. No entanto, a polícia e os médicos não conseguiam obter respostas concretas do garoto.

A busca de Christine pela comprovação de que estava correta

O encontro de Christine com o garoto que a polícia acreditava ser Walter Collins.

Certa de que o garoto encontrado não era o seu filho, Christine usou os registros dentários de Walter para provar a diferença entre Walter e o garoto que agora morava com ela. Esses registros realmente demonstravam diferenças marcantes nos dentes dos dois meninos, mas tais registros não serviram para mudar a versão oficial da polícia. Jones não apenas debochou de Christine, como também concluiu que ela estava apenas tentando humilhar o Departamento de Polícia de Los Angeles.

Com isso, Jones tomou uma ação imediata. O capitão conseguiu levar Christine Collins para a ala psicopática de um hospital local para ser colocada em observação. Christine Collins permaneceu no sanatório sob circunstâncias adversas e foi tratada de uma forma totalmente desumana, chegando a ser drogada com vários medicamentos fortes para fazê-la acreditar que o garoto encontrado era o verdadeiro Walter.

Dez dias depois, o suposto Walter confessou não ser o verdadeiro Walter Collins. Na verdade, ele se chamava Arthur Hutchins Jr. Quando questionado sobre o porquê de Arthur se passar por Walter, o garoto admitiu que, quando viu uma foto de Walter e a semelhança entre eles, viu uma oportunidade. Ele sabia que, se fingisse ser Walter, teria uma passagem de ida para Los Angeles e teria uma chance maior de aparecer no cinema e até conhecer algumas de suas estrelas favoritas.

O possível sequestrador e o desfecho do caso

Gordon Stewart Northcott, o principal suspeito.

Enquanto isso, em Wineville, também na Califórnia, a polícia local reuniu informações de que um homem chamado Gordon Northcott poderia ter assassinado o garoto desaparecido junto com outras crianças. Ao vasculhar a fazenda de Gordon, a polícia encontrou os corpos de garotos que provavelmente tinham sido mortos por um machado. No entanto, o corpo de Walter não havia sido encontrado e o próprio Gordon havia dito à Christine que ele não tinha matado o seu filho.

Posteriormente, Christine Collins ganhou na justiça o direito de receber uma indenização de US $ 10.800 contra o capitão J.J. Jones por enviá-la para uma ala psiquiátrica. No entanto, Jones nunca chegou a pagar o valor combinado e recebeu apenas quatro meses de suspensão pelo que havia feito contra ela.

Propaganda. Role para continuar lendo.

Christine nunca perdeu a esperança de que Walter continuasse vivo, mas o paradeiro do garoto permaneceu desconhecido pelo resto de sua vida.

Um caso bastante sinistro, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Mais

Curiosidades

Existem diversos animais domésticos espalhados pelo mundo e a maior parte deles, como bem sabemos são cães e gatos. Mas também sabemos que cuidar...

Curiosidades

Existem mais de 7.000 idiomas espalhados pelo mundo, são tantos que é completamente impossível saber de todos. Aqui no Brasil geralmente aprendemos nas escolas,...

Curiosidades

Embora os pelos faciais sejam uma das características mais marcantes do sexo masculino, você já deve ter percebido que alguns homens não conseguem ter...

Curiosidades

No passado, o conhecimento humano sobre as reações químicas não era tão profundo quanto é agora. Da mesma forma, os homens das cavernas não...

Curiosidades

James Bond é indiscutivelmente um dos agentes especiais mais populares da cultura pop. Desde a publicação inicial do primeiro romance de Ian Fleming em...

Curiosidades

Quando se escreve para um site de curiosidades, tudo acaba virando tema para post, até mesmo os mais bizarros que você possa imaginar. Eu...

Curiosidades

Ahhhhh, o Playstation 3… com esse console passei horas das minhas madrugadas acordado, jogando os mais diversos jogos. Eu fui ganhar o PS3 somente...

Curiosidades

O ritmo apressado dos tempos modernos fez com que nossas mentes passassem a ser simultaneamente ocupadas por muitas coisas. No entanto, para nossa sorte,...