Curiosidades, Saúde

Usar máscara realmente funciona para se proteger do coronavírus?

Usar máscara realmente funciona para se proteger do coronavírus?

Nos últimos dias, os telejornais e portais de notícias da web não falam de outro assunto senão a epidemia de pneumonia por conta do novo coronavírus. O surto começou no início de dezembro de 2019 na cidade de Wuhan, no centro da China, com um grupo de pessoas ligadas a vendedores ambulantes que trabalhavam no Mercado de Produtos do Mar de Huanan.

Consequentemente, muitas pessoas (especialmente na China) passaram a comprar máscaras para tentar se proteger do vírus, gerando uma procura tão grande pelo material que até causou filas em alguns mercados. Mas será que o uso de uma máscara cirúrgica pode realmente proteger a pessoa contra o novo coronavírus? É essa a questão que vamos abordar ao longo desse post!

O uso de máscara tem alguma serventia contra o coronavírus ou não?

Segundo o Dr. William Schaffner, especialista em doenças infecciosas da Universidade Vanderbilt, no estado americano do Tennessee, se for uma máscara cirúrgica comum, a resposta é “não”. No entanto, se for uma máscara mais especializada, conhecida como respirador N95, ela realmente pode proteger contra o novo coronavírus, também chamado 2019-nCoV. Na prática, o material que compõe o respirador N95 é bem mais grosso que o produto utilizado em uma máscara cirúrgica comum.

Então, por que os especialistas não recomendam essa máscara para uso público em larga escala? Bem, isto ocorre porque, em parte, pode ser um desafio colocar essas máscaras e usá-las por longos períodos de tempo. Na prática, as pessoas deveriam receber um treinamento correto sobre como ajustar adequadamente esses respiradores ao redor do nariz, bochechas e queixo, garantindo que os usuários não respirem nas bordas do respirador, tornando-o inútil.

Além disso, quando a máscara é colocada, o trabalho de respirar fica muito mais difícil, já que a respiração do usuário está passando por um material muito espesso. Assim, é preciso saber trabalhar o sistema respiratório para inspirar e expirar corretamente. A coisa fica ainda mais desagradável porque a respiração fica um pouco mais “claustrofóbica”, sem falar que o ar expirado tende a ficar úmido e quente, causando ainda mais desconforto.

As máscaras cirúrgicas podem prevenir algum tipo de doença?

Os estudos sobre a eficácia das máscaras faciais na prevenção de doenças são inconclusivos, em grande parte porque muitas dessas pesquisas foram realizadas apenas entre profissionais da saúde em seus respectivos locais de trabalho. Ainda assim, esses estudos descobriram que, em geral, se os profissionais de saúde usarem máscaras, o risco de espalhar doenças ao lidar com pacientes infectados tende a ser reduzido. O problema é que isso não é o que sempre acontece com vários tipos de vírus.

Basicamente, as máscaras cirúrgicas comuns, que costumam ser finas e relativamente frágeis, são especialmente destinadas aos cirurgiões, pois esses produtos fazem um bom trabalho ao impedir que patógenos do nariz e da boca do médico entrem contato com o campo cirúrgico. No entanto, elas não conseguem promover o mesmo efeito quando se trata de um agente viral como o novo coronavírus.

De fato, em alguns países asiáticos, como Japão e China, não é incomum ver pessoas usando máscaras cirúrgicas em público para proteger contra patógenos e poluição. Embora elas até possam ser úteis contra certos agentes externos, essas máscaras não ajudam muito no contexto de um vírus, pois elas não são projetadas para impedir a entrada de partículas virais e não costumam ficar tão bem ajustadas ao redor do nariz e das bochechas como um respirador N95.

Em outras palavras, as máscaras cirúrgicas comuns até poderiam ter alguma utilidade na prevenção de certas doenças, mas o seu efeito contra partículas virais tende a ser muito modesto. Além disso, o próprio Dr. William Schaffner observou que algumas pessoas usam máscaras cirúrgicas porque estão doentes de resfriado ou gripe e não querem que outras pessoas fiquem doentes. No entanto, quando se está doente, é melhor não ir para áreas públicas. Ficar em casa é sempre o melhor, tanto para o paciente quanto para as pessoas ao redor.

Então, como podemos nos proteger contra o novo coronavírus?

Como vimos ao longo desse post, usar máscaras cirúrgicas que podem ser facilmente encontradas em qualquer farmácia não impede que uma pessoa inale partículas menores no ar. De fato, elas nem são consideradas objetos de proteção respiratória por vários órgãos de pesquisas de doenças. As máscaras cirúrgicas também são frouxas, de modo que, quando o usuário não ajusta esses objetos corretamente, existe o potencial risco de entrada e vazamento de partículas contaminadas pelos lados.

Por conta disso, é importante deixar claro que, no momento, a melhor maneira de evitar qualquer tipo de problema com relação ao coronavírus é, antes de tudo, adiar qualquer viagem à China, onde o vírus se originou e infectou mais de 11.000 pessoas, de acordo com o The Washington Post.

Além disso, você também deve lavar bem as mãos, evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas, evitar manter contato próximo com pessoas doentes e desinfetar objetos e superfícies frequentemente tocados. Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, essas medidas servem de prevenção não apenas contra o coronavírus, mas também contra a maioria dos vírus existentes.

Quanto aos donos de animais que colocam máscaras até mesmo nos seus cães, é importante destacar que não há evidências de que os nossos amigos caninos possam pegar o coronavírus. Então, podemos concluir que ninguém precisa fazer isso com os seus animaizinhos.

O surto do novo coronavírus tem sido um evento realmente assustador, não é mesmo? Compartilhe o post e deixe o seu comentário!

Leia Também: