Curiosidades

Por que os planetas do sistema solar tem nomes de deuses?

Quando começamos a ter a matéria ‘Ciências’ na escola, uma das primeiras coisas que tive que decorar foi o nome de todos os planetas do Sistema Solar em ordem de posição em relação ao sol. Para minha sorte, sempre fui viciada em Castelo Ra-Tim-Bum e vi tantas vezes o filme que memorizei a fala do Dr. Victor Stradivarius que ensina seu sobrinho Nino exatamente esta sequência: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturo, Urano, Netuno, Plutão. Este último, anos depois infelizmente foi rebaixado a planeta-anão. Uma dúvida que sempre veio a minha mente é o motivo pelo qual todos esses planeta – menos a Terra – tem nomes de deuses romanos e hoje decidi pesquisar e trazer a resposta à vocês. Espero que gostem!

Isso tem relação com o descobrimento destes planetas ainda durante a Grécia e Roma Antiga. Nesta época, os estudiosos acreditavam que a Terra era o centro e corpos celestes circulavam ao nosso redor, por isso estes pesquisadores não consideravam que a Terra fosse um planeta, logo não nos batizaram. Triste. Uma curiosidade interessante sobre o período é que a palavra ‘Planeta’ deriva do grego πλανήτης “planētēs” cujo significado é ‘vagabundo’ ou ‘errante’. Este foi um nome genérico dado na época em função da teoria do geocentrismo criada por Ptolomeu. Foi ele quem teorizou sobre sermos o centro do universo.

Na hora de nomear os planetas ao nosso redor, os estudiosos foram mais criativos, assim utilizando como referência os deuses romanos. Marte, por ser vermelha, recebeu o nome do deus da guerra, Vênus tem este nome em função de ser o planeta mais brilhante e belo assim como a deusa da beleza. O mais rápido de todo (sua rotação leva apenas 88 dias) ganhou o nome do deus mensageiro Mercúrio enquanto o maior de todos recebeu o nome do deus mais importante: Júpiter. Já o último recebeu o nome Saturno.

Urano e Netuno só foram descobertos após alguns séculos e tiveram como primeiro nome de batismo ‘Herschel’ e ‘Georgium Sidium’ em sequência. Porém, em 1950 foi estabelecido um padrão onde ambos tiveram de ser rebatizados também com nome de deuses. Curioso, não acha? Comente!

Leia Também: