Bizarro, Curiosidades, História, Saúde

Teorias estranhas da medicina antiga

Teorias estranhas da medicina antiga

Hoje a medicina é extremamente avançada, foi descoberta a cura e o tratamento para diversas enfermidades. A cada dia ela avança mais, com novas descobertas, novos remédios e novos tratamentos. Mas na antiguidade a vida era muito diferente. Sem a tecnologia que temos hoje, os médicos às vezes praticamente tinham de adivinhar que doença estava acometendo a pessoa. Remédios eram poucos e caros, os tratamentos eram a base de plantas e chás. Portanto hoje trouxemos uma lista com as teorias mais estranhas usadas pelos médicos da antiguidade. Vem que eu te conto mais sobre isso!

Teorias estranhas da medicina antiga

  • O amor era considerado uma doença

Na Grécia antiga o amor era considerado uma doença. Se não fosse tratado, poderia causar pústulas, convulsões e levar a pessoa a morte. A pessoa também poderia passar a uivar como um lobo até acabar por morrer. O tratamento para curar os apaixonados envolvia chibatadas, espancamento e colocar ácido entre as coxas.

Leia também: Você sabia que a cerveja já foi usada como remédio e moeda de pagamento no Antigo Egito?

  • Vermes nos dentes

Houve uma época em que os médicos acreditavam que a maior parte dos problemas dentários eram causados por vermes. Eles acreditavam que viviam muitos vermes na boca e o tratamento para resolver esse problema era abrir a gengiva para retirar os animais.

  • O uso de barba fazia bem para a saúde

Foi no ano de 1850 que os médicos descobriram a existência dos germes. Eles passaram a defender que esses microrganismos podiam prejudicar a saúde humana. Assim, eles acreditavam que a barba funcionava como um filtro, que evitava que os germes passassem para o rosto e a boca do homem. O uso de barba passou a ser uma recomendação médica.

Leia também: Conheça as doenças mais antigas da história 

  • O útero se movia pelo corpo

Houve uma época em que os médicos acreditavam que o útero era capaz de se movimentar pelo corpo inteiro. Assim eles defendiam que quando o útero se movimentava pelo corpo, a mulher estava sofrendo de histeria. O tratamento para histeria era absorver perfume, pois o útero se sentir melhor com boas fragrâncias.

  • O sangue era repleto de líquido maligno

Os médicos acreditavam que o sangue tinha “um líquido maligno” que deveria ser retirado para que os pacientes se curassem. Dessa forma surgiu a sangria, que foi muito popular nos séculos 18 e 19. A sangria consistia em colocar sanguessugas pelo corpo do paciente, para que elas retirassem o sangue. Quase todas as doenças eram tratadas pela sangria.

Você conhecia essas estranhas teorias da medicina antiga? Conta pra nós!

Leia Também: